Cachoeira continuará preso na Papuda, em Brasília

Ministério Público Federal tinha recorrido para que ele voltasse para Mossoró

04/06/2012 13:57

A- A+

R7

compartilhar:

O bicheiro Carlinhos Cachoeira vai continuar preso no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. É o que decidiram os juízes da 3ª Turma do TRF1 (Tribunal Regional Federal da Primeira Região) nesta segunda-feira (4).

Eles julgaram uma liminar concedida em abril, que garantiu a transferência do contraventor de Mossoró (RN), onde ele estava em uma prisão de segurança máxima, para a capital federal.

A primeira decisão era do desembargador Tourinho Neto, que aceitou o pedido de transferência feito pelos advogados de Carlinhos Cachoeira. O desembargador afirmou, em sua decisão, que Cachoeira não havia cometido nenhum crime hediondo e não representava alto risco para a sociedade.

Os advogados de Cachoeira argumentavam que não havia necessidade de seu cliente ficar no presídio federal de Mossoró, onde a rotina de segurança foi apontada como "desnecessária", já que seria a primeira vez que ele era preso.

Além disso, os advogados afirmavam que tinham dificuldades para despachar com o cliente e que a família de Cachoeira tinha problemas para visitá-lo, devido à distância.

Com a decisão desta segunda-feira, o bicheiro permanecerá onde está. Na Papuda, o contraventor divide a cela com outros 22 presos em uma área da Polícia Federal.

Cachoeira chegou à Papuda no dia 18 de abril. Desde então, deixou o local para o depoimento no Congresso Nacional, na CPI que leva seu nome, mas usou o direito constitucional de permanecer calado.

O bicheiro é apontado com o chefe da quadrilha que explorava máquinas caça-níqueis e pagava propina para agentes públicos de segurança. Ele é acusado de comandar o jogo do bicho na Região Centro-Oeste, em especial no estado de Goiás.

Ele foi capturado durante a Operação Monte Carlo, deflagrada em fevereiro pela Polícia Federal, que resultou na prisão de 20 pessoas ligadas ao grupo criminoso. 

Primeira Edição © 2011