Governador se reúne com membros de CPMI da Violência Contra a Mulher

Encontro teve o objetivo de debater a situação de Alagoas; secretário garantiu que Delegacias da Mulher passarão a funcionar 24 horas

01/06/2012 04:17

A- A+

Assessoria

compartilhar:

O governador Teotonio Vilela Filho recebeu, no início da noite desta quinta-feira (31), membros da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Violência Contra a Mulher no Brasil. O encontro, que também teve a participação de secretários estaduais, aconteceu no Palácio República dos Palmares e teve o de objetivo debater a situação de Alagoas quanto à questão.

As discussões já geraram resultados para o Estado: na ocasião, o secretário de Defesa Social, Dário Cesar, anunciou que, dentro de 15 dias, as Delegacias da Mulher de Maceió passarão a funcionar 24 horas. “Não temos como fazer isso amanhã, pois temos uma escala de plantão, mas assumo o compromisso. Vamos repensar ainda a situação de Arapiraca”, disse.

O chefe do Executivo falou sobre a importância da ação e também da visita da CPMI. “É uma honra receber em Alagoas a comissão. A mulher, assim como outros grupos minoritários, sofre mais preconceito e, por isso, precisamos de avanços e providências. A CPMI pode contar com o Governo para atuar. Esse é um trabalho muito importante e terá todo o nosso empenho”, expôs.

Teotonio Vilela ressaltou ainda que a violência contra o sexo feminino será tema de um capítulo do plano de segurança elaborado junto ao Governo Federal. Uma missão do Ministério da Justiça (MJ) estará na capital alagoana nesta sexta-feira (1º) para tratar das estratégias do projeto, e na próxima segunda (4) o governador irá a Brasília para finalizar a proposta.

A presidente da comissão, a deputada federal Jô Moraes (PSBD-MG), agradeceu ao Governo pelo empenho. “Agradecemos pela atenção que Alagoas tem dado à mulher. O Estado já contribuiu com a criação da primeira Secretaria da Mulher do Brasil, além de ser também o primeiro a assinar o pacto de enfrentamento à violência. Isso já melhorou a atuação em 300%”.

Já a relatora da CPMI, a senadora Ana Rita (PT-ES) destacou o papel da iniciativa na melhoria da atual realidade brasileira. Segundo ela, a comissão foi criada devido ao número de homicídios de mulheres no Brasil, que continua alto mesmo com a criação de leis de proteção. A finalidade é investigar a situação e propor soluções para o problema.

Para a secretária da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos, Katia Born, a reunião representou mais um avanço para a política de proteção ao sexo feminino desenvolvida no Estado. “É um momento muito importante, pois essas deputadas têm um olhar diferenciado. Esse relatório com certeza trará mais investimentos para que o governo estadual possa agir”, disse.

Também estiveram presentes ao encontro a deputada federal Rosinha da Adefal, o defensor público geral do Estado, Eduardo de Campos Lopes, e representantes do movimento feminista.

Assembleia
A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito estará na Assembleia Legislativa de Alagoas nesta sexta-feira (1º) para uma audiência pública sobre o tema. A sessão, que começa às 14h, contará com a participação de gestores públicos, parlamentares e representantes de movimentos sociais e da sociedade civil para discutir situações de violência e ampliação da rede de proteção à mulher.

Primeira Edição © 2011