'kit gay' é criticado e postura de Haddad é defendida

Gabriel Chalita fez critica durante sabatina

31/05/2012 14:38

A- A+

Uol

compartilhar:

Gabriel Chalita, pré-candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo, defendeu a política de diversidade que envolvia o polêmico "kit gay" - material que explicava a homossexualidade, apresentado durante a gestão do pré-candidato do PT, Fernando Haddad, no ministério da Educação -, mas criticou a forma como foi feito, durante sabatina realizada pelo "R7" e "Record News" nesta quinta-feira (31).

"O material apresentado não foi bom, mas trabalhar a diversidade é fundamental. Porém, precisa tomar cuidado com a forma deste material e ele nem chegou a ser distribuído", afirmou.

Durante a sabatina, Chalita respondeu sobre sua amizade com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e disse que, apesar de serem próximos, o tucano tem seu candidato, que é José Serra. "Não acho que Alckmin me daria apoio por debaixo dos panos, ele tem um candidato e eu respeito", disse.

Já quando o assunto foi a troca partidária, Chalita disse que não acha que tenha mudado muito de legenda e que passou 20 anos no PSDB. "Eu só mudei porque queria apoiar o governo da presidente Dilma e não poderia fazer isso no meu partido. Fui para o PSB e depois para o PMDB, que são da base aliada", disse.

Quando perguntado sobre suas semelhanças com Haddad, ele disse que as diferenças vão aparecer nos programas de governo. "Eu adoro o Haddad, tenho certeza de que ele trará elegância para a disputa e eu espero que os outros também sejam assim. mas nossas propostas serão diferentes", afirmou, elogiando o adversário na disputa.

Ataques

Durante a entrevista, Chalita criticou a atual gestão da prefeitura, mas não quis dizer nomes, mesmo quando provocado pelos jornalistas. "É uma administração que não vai deixar saudades", disse, referindo-se ao prefeito Gilberto Kassab (PSD).

Primeira Edição © 2011