Agricultores do Vale do Mundaú aprendem a produzir solução caseira contra fungos

14/05/2012 14:36

A- A+

Sebrae

compartilhar:

Um procedimento simples vem ajudando produtores de laranjas lima do Vale do Mundaú a fazer render sua produção. Na última semana, através de uma capacitação, eles aprenderam a produzir e utilizar uma solução caseira que elimina a doença feltro de suas plantações. É a calda sulfocálcica, ou seja, uma mistura de água, enxofre e cal virgem que tem mostrado aos produtores locais que é possível cultivar laranjas grandes e saudáveis, livres de doenças, sem grandes gastos.

A doença “Feltro”, que tem atingido as laranjeiras da região, é causada por fungos do gênero Septobasidium, e se caracteriza por um revestimento branco, marrom ou cinza escuro, que recobre principalmente os ramos, mas pode aparecer também em folhas e frutos. O fungo é semelhante à camurça, compacto e espesso, e forma um tecido impermeável sobre as partes das plantas. A boa notícia para os produtores, além da existência da solução caseira, é que o fungo é facilmente removível.

Para produzir a solução, basta levar os ingredientes ao aquecimento por determinado tempo para que eles desenvolvam reações químicas e se transformem na concentração de calda sulfocálcica, que pode ser guardada e utilizada quando necessário. Para utilizá-la, é só diluir 100ml de calda a cada litro de água e pulverizar em toda a plantação.

A solução, que utiliza ingredientes de baixo custo e pode ser produzida e aplicada pelos próprios agricultores, é isenta de substâncias tóxicas, ou seja, não prejudica as plantações, mesmo que elas sejam de produtos orgânicos.

De acordo com Cristina Loureiro, analista da Unidade de Atendimento Coletivo Agronegócios do Sebrae Alagoas, existem dois benefícios principais para o uso da calda: primeiro, os agricultores gastam pouco para produzi-la, o que não aconteceria se ela fosse composta por produtos químicos, como os pesticidas; segundo, porque eles garantem frutos livres da doença feltro.

“Hoje, o maior ganho que eles tiveram foi perceber que não é uma questão de sorte a laranja nascer grande e saudável, mas uma questão de controle e combate das doenças. A capacitação provou a eles que não só é possível que as frutas nasçam com qualidade, mas também que eles não precisam gastar muito para isso”, explicou Cristina.

Segundo a engenheira agrônoma Valdelane Tenório, que ministrou a capacitação para os produtores, é importante promover uma mudança de hábitos entre eles, pois muitos tratam a produção de laranja como uma cultura extrativista.

“Todas essas práticas têm os ajudado a aumentar a produção, melhorar os aspectos da fruta e a cuidar do solo. São exercícios simples, que podem garantir o uso da terra de forma sustentável, por tempo indeterminado”, salienta Valdelane.

A região do Vale do Mundaú, que possui três unidades demonstrativas de Práticas de Manejo Agrícola para Cultivo da Laranja Lima, vem recebendo diversas capacitações importantes para esse cultivo desde agosto de 2011. Algumas delas foram para análise do solo, correção do solo a partir da análise, identificação das doenças do pomar, práticas de poda de limpeza para a retirada de galhos ladrões, produção de biofertilizantes, adubação natural, entre outros.

A capacitação para a produção e utilização da calda sulfocálcica foi realizada em Santana do Mundaú, no Sítio de Amoras, e é uma realização da Secretaria de Estado de Agricultura e do Desenvolvimento Agrário (Seagri), em parceria com o Sebrae Alagoas, como parte das ações do Arranjo Produtivo Local Laranja no Vale do Mundaú.

Primeira Edição © 2011