Silêncio de Teotonio confunde adversários e ‘intriga’ aliados

Governador continua evitando falar em nomes para disputar sucessão em Maceió

07/05/2012 04:33

A- A+

Jornal Primeira Edição

compartilhar:

A estratégia do governador Teotonio Vilela para a eleição deste ano em Maceió – se é que se pode qualificar de estratégia – está confundindo a oposição, mas também tem intrigado seus próprios correligionários envolvidos na batalha sucessória da capital.

Silêncio absoluto. Mesmo quando é provocado a se manifestar sobre o assunto, o líder estadual do PSDB prefere levar a conversa em outra direção, embora estando a apenas um mês do período das convenções partidárias que irão homologar as candidaturas.

Os aliados mais próximos do governador revelam, entretanto, que ele se sentiria mais à vontade se tivesse apenas um nome para apoiar, ainda que não fosse de seu próprio partido, o PSDB. “Téo respeita as alternativas, mas, claro, acha que tudo seria mais fácil se o bloco governista marchasse com um único candidato”, disse um funcionário com trânsito no Palácio do Governo.

De outra fonte, o PRIMEIRA EDIÇÃO obteve um relato segundo o qual o deputado federal Rui Palmeira (PSDB) procurou o governador para definir seu apoio, mas Vilela teria desconversado, o que, entretanto, em nada mudou a disposição de Palmeira de concorrer à sucessão de Cícero Almeida.

Pré-candidato declarado do DEM, o deputado estadual Jéferson Morais revelou que, em várias ocasiões, conversou com o governador, mas, a exemplo de Rui Palmeira, não obteve dele nenhuma manifestação sobre o processo eleitoral em Maceió.

- Estive com o governador em algumas oportunidades, coloquei a minha candidatura a sua apreciação, mas ele simplesmente evita falar de eleições – admitiu Morais.

Apesar disso, Vilela sabe que o seu projeto de retornar ao Senado disputando a eleição em 2014 depende consideravelmente de seu desempenho nas eleições deste ano, principalmente em Maceió e nos principais colégios eleitorais do interior como Arapiraca, Palmeira dos Índios, Delmiro Gouveia, União dos Palmares, Rio Largo e Santana do Ipanema.

Três líderes com três pré-candidatos

O bloco governista já conta com três pré-candidatos cujos nomes já obtiveram aprovação formal de seus partidos: o deputado federal Rui Palmeira, do PSDB, o deputado estadual Jéferson Morais, do Democratas, e o vereador (atual secretário estadual de Ação Social) Marcelo Palmeira, do PP.

Considerando os partidos, cada um desses nomes caminha sob a influência de um líder: Rui é colega de partido do governador Téo Vilela, Jéferson é liderado pelo vice-governador Thomaz Nonô, e Marcelo é companheiro do senador Benedito de Lira. Vale lembrar que o bloco pode ainda ganhar um quarto concorrente, o deputado federal Givaldo Carimbão, do PSB, que ainda não se definiu.

Para alguns analistas políticos, Teotonio Vilela não terá outra opção senão manter-se eqüidistante ou apoiar a todos de seu grupo, manifestando sua aprovação sem declinar preferência, alimentando a expectativa de que todos estarão unidos no segundo turno.
 

Primeira Edição © 2011