Rádio Primeira Edição - Ouça agora!

notícias > Meio-ambiente setas

PUBLICIDADE

Entidades apresentam estudo socioeconômico do Programa Alagoas Mais Peixe

Secretário Regis Cavalcante se reuniu com Instituto Ambiental e Agência Espanhola para analisar resultados da pesquisa

03/05/2012 09:51

A- A+

Divulgação

compartilhar:

Acervo Sepaq/AL

Regis Cavalcante particia da entrega de equipamento pelo Programa Alagoas Mais Peixe

O Secretário de Estado da Pesca e Aquicultura, Regis Cavalcante, e a equipe técnica da pasta, se reuniram, nesta quarta-feira (2), com representantes do Instituto Ambiental Brasil Sustentável (IABS) e Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID). O destaque da reunião foi a discussão acerca dos resultados de estudos socioeconômicos realizados por consultores para analisar o Programa Alagoas Mais Peixe.

O estudo foi dividido em três fases. Nas duas primeiras etapas, todos os módulos do Estado, presentes entre a Zona da Mata e Agreste de Alagoas foram avaliados. Os critérios foram analisados quanto aos números de piscicultores e pescadores ativos, a qualidade da água, a renda das pessoas beneficiadas, quantidade de ração utilizada e quantos alevinos foram entregues.

Regis Cavalcante ficou satisfeito com os resultados que o programa vem obtendo e afirmou como cada vez mais o associativismo ganha desenvolvimento na sociedade. “A absorção da piscicultura pelos moradores locais mostra o quanto o Programa é eficiente. Uma prática altamente sustentável que merece ser incentivada”, comentou o secretário.

A terceira e última fase, será realizada durante os próximos dois meses e vai abranger a capacitação da gestão administrativo-financeira junto aos piscicultores do Programa Alagoas Mais Peixe. Os itens a serem instruídos passam pela análise de fluxo de caixa, planilha de custos, entradas e saídas de recursos e outros assuntos pertinentes a área.

Para o diretor técnico do IABS, Paulo Sandoval o programa conseguiu atingir a sua meta. “O objetivo principal é de implantar a piscicultura nos municípios, e as pessoas já conseguem compreender o peixe como fonte de renda e se esforçam para dar continuidade a prática”, completa Sandoval.

O secretário avaliou a reunião como um momento importante para que a equipe técnica pudesse apontar possíveis erros, e corrigi-los de maneira eficiente. Para que dessa forma o Programa continue dando resultados positivos para a população. 

* campos obrigatórios

  • Enviar »

@primeiraedicao seta

anterior proximo

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Primeira Edição © 2011

Plus! Agência Digital