Desmatamento não pode ser anistiado, declara Dilma em entrevista

Em entrevista, Dilma Rousseff comentou a aprovação do texto "ruralista" do Código Florestal aprovado essa semana na Câmara. "Eu tenho a prerrogativa do veto".

27/04/2012 15:40

A- A+

Fran Ribeiro

compartilhar:

Em entrevista à imprensa nesta quinta-feira (26), a presidenta Dilma Rousseff reforçou sua opinião sobre o texto do Código Florestal aprovado pela Câmara dos Deputados na quarta-feira (25). Considerado pelos movimentos sociais e entidades que defendem a preservação do meio ambiente como “ruralista”, o código possui tem pontos polêmicos, como a anistia para os desmatadores.

A presidenta afirmou que o potencial agrícola do país pode ser conciliado com a preservação ambiental. “Eu não concordo que o Brasil seja um país que não tenha condição de combinar a situação de grande potência agrícola que ele é com a grande potência ambiental que ele também é. Nós temos sim condições de fazer isso”, disse.

Dilma declarou também que o país viveu uma prática de anistias e que não pode se repetir. “Eu sou contra a anistia para os desmatamentos”, declarou. A presidenta disse ainda que foi contra a aprovação da emenda que prevê a anistia para aqueles que desmataram faixas de preservação ambiental, e disse que tentará mudá-la no Senado.

Sobre a possibilidade de usar o veto presidencial, Dilma foi enfática. "Eu defendo os interesses do Brasil. (...) Eu tenho a prerrogativa do veto. Se eu julgar que qualquer coisa prejudica o país, eu vetarei."

Veja a entrevista no vídeo abaixo.


 

Primeira Edição © 2011