Depois de receber defesa de Demóstenes, Conselho de Ética se reúne

26/04/2012 07:36

A- A+

Agência Senado

compartilhar:

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado realiza uma reunião administrativa nesta quinta-feira (26). No quinto encontro do colegiado em 2012, os parlamentares devem apreciar requerimentos relativos à representação do PSOL contra o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), acusado de envolvimento com o empresário Carlinhos Cachoeira.

Na noite de quarta-feira (25), o Conselho recebeu a defesa prévia do senador. O documento com 61 páginas foi entregue pelo advogado Antônio Carlos de Almeida Castro.

Demóstenes pede que o Conselho aguarde a manifestação do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a validade das escutas telefônicas de conversas entre ele e o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Além de sustentar a ilegalidade das escutas, o senador argumenta também que a representação do PSOL é inepta por se basear em matérias jornalísticas e pede ao conselho de Ética que aguarde as conclusões da comissão parlamentar mista de inquérito que vai investigar o caso.

O advogado também ponderou que a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira, instalada nesta quinta, tem o mesmo alvo de investigação e, portanto, o Conselho de Ética poderia aguardar o resultado da comissão. A CPMI tem 180 dias para concluir seu trabalho.

"A mencionada representação não merece prosseguir nesses termos, sendo absolutamente indispensável que se promova, antes da formalização de uma acusação, investigações preliminares, tais quais se intenta realizar no curso da comissão parlamentar de inquérito já instaurada no Congresso Nacional para apurar", diz o texto.

Primeira Edição © 2011