Rádio Primeira Edição - Ouça agora!

notícias > Saúde setas

14 municípios estão com epidemia de dengue em Alagoas

Forma mais nova, do tipo 4, já teve duas notificações. Sesau faz recomendações à população

13/04/2012 06:02

A- A+

Marcela Oliveira

compartilhar:

Divulgação

Quatorze municípios alagoanos estão com epidemia de dengue e outros 28 estão em situação de alerta, segundo boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

De janeiro até o início da semana passada, foram notificados 4.286 casos da doença, o que representa um aumento de 11,35% em relação ao mesmo período do ano passado.

Só em Maceió foram registrados 1028 casos, ou seja, 24% das notificações feitas em todo o Estado, o que deixa a capital em alerta. Também merecem atenção os municípios de Arapiraca, Dois Riachos, Canapi, Lagoa da Canoa, Jacaré dos Homens, Major Isidoro, Limoeiro de Anadia, Maragogi, Murici, Novo Lino, Palmeira dos Índios, Santana do Ipanema e Senador Rui Palmeira.

De acordo com a Sesau, nestas localidades foram registrados cerca de 300 casos para cada 100 mil habitantes, colocando-os em situação epidêmica.

Ascom/Sesau

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Sesau, Cleide Moreira, diz que quanto às formas graves - que podem ser a dengue hemorrágica, com complicação ou síndrome de choque (quadro mais grave de todos, que pode levar a morte), a Sesau registrou 133 casos suspeitos, representando um aumento de 82%, comparado ao ano de 2011, com 73 casos.

Até o momento foram notificadas cinco mortes suspeitas de dengue, destas, apenas uma foi confirmado como dengue (ocorrida em Arapiraca), uma foi descartada e as outras três estão sob investigação.
 

Tipo novo

Neste ano, já houve dois casos do tipo 4 da doença, considerado o mais grave, em Palmeira dos Índios e Piaçabuçu. No entanto, não é possível afirmar se eles foram picados pelo mosquito Aedes aegypti em Alagoas, pois o paciente de Palmeira esteve em São Paulo e o outro em Sergipe, ou seja, estavam em deslocamento durante o período de incubação da doença, que é de 3 a 15 dias.

“Esse vírus é novo em vários estados do País. Acreditamos que já deva existir em alguns municípios daqui. O que deixa as autoridades preocupadas é que está todo mundo suscetível a ele. Os tipos 1 e 2, muitas pessoas já adoeceram e estão livres”, explica a coordenadora.

 

Combate

Com a finalidade de monitorar a presença do vírus no estado, foram adotadas as medidas pertinentes a essa situação como: busca ativa de casos, acompanhamento dos níveis de infestação predial, intensificação do combate ao vetor, além de educação em saúde, comunicação e mobilização social.

“Já estamos trabalhando permanentemente, independente dessa situação. Desde o começo do ano estamos intensificando e monitorando esses municípios utilizando diversas medidas. Não temos como impedir que ocorram os casos, mas podemos diminuir os números de epidemias e evitar que pessoas desenvolvam formas mais graves e morram”, disse ela acrescentando que a secretaria tem dado suporte necessário e trabalhado na capacitação dos médicos.

“Estamos dando suporte com cooperação técnica, envio de insumos, uniformes e proteção para os agentes entrarem nos domicílios; treinando médicos para que a doença seja tratada e montando esquema laboratorial em 20 municípios, com máquinas que realizam exames”.

Reprodução/Sesau

Classificação dos municípios por área...

Cleide Moreira recomenda que a população adote medidas diárias de fiscalização de suas próprias casas com cuidados que evitarão criadores do mosquito Aedes aegypti, o qual se reproduz em recipientes com água limpa, como por exemplo: vedar tampas de caixas d’água, tanques, tinas, poços e fossas; não deixar detritos em volta das residências para não acumular água da chuva; encher bordas de vasos com areia e guardar garrafas de cabeça para baixo.

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica alerta que, ao sentir os sintomas, deve-se procurar uma unidade básica de saúde nas primeiras 24 horas. “Se estiver com febre, dor no corpo, dor de cabeça ou nos ossos, a gente recomenda que procure as unidades de saúde e que seja acompanhado diariamente pelo médico. Adoeceu, não fique em casa”.

 

* campos obrigatórios

  • Enviar »

@primeiraedicao seta

anterior proximo
  • João Julio da Silva

    Polícias Militar e Civil ajudam no combate ao crime http://t.co/174xmRF4Dn via @primeiraedicao

  • João Julio da Silva

    III Soletrando acontece na próxima terça-feira http://t.co/ooEgkUKlTI via @primeiraedicao

  • João Julio da Silva

    Videomonitoramento: SMTT vai fiscalizar ônibus http://t.co/aIXAFbhc52 via @primeiraedicao

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Primeira Edição © 2011

Plus! Agência Digital