Chesf e governo do Estado se encontram para firmar convênio

Secretaria da Pesca vai reestabelecer atividades de piscicultura para beneficiar a região do baixo São Francisco

23/03/2012 09:23

A- A+

Divulgação

compartilhar:

O secretário de Estado da Pesca e Aquicultura, Regis Cavalcante e diretores da pasta estiveram nesta quinta-feira (22) na cidade de Piranhas para se reunir com o diretor administrativo da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) de Paulo Afonso, Pedro de Alcântara Jr. e outros representantes da empresa.

 

O principal destaque da reunião foi a conversa sobre a reativação das unidades tecnológicas de produção de alevinos, pós-larva do camarão-pitu e o beneficiamento do pescado que o Instituto Xingó vinha realizando para beneficiar a região do entorno do Baixo São Francisco.

 

Regis Cavalcante manifestou a vontade do governo do Estado em dar prosseguimento às atividades referentes ao Instituto Xingó. “Esse encontro foi o

primeiro passo para que a Sepaq firmasse o compromisso de encampar os assuntos da área de piscicultura, antes de responsabilidade do Instituto.

 

Eles mantinham funcionando essas áreas de pesquisa com o apoio da Chesf. Depois de desabilitado, o governo não vai deixar estagnadas, importantes pesquisas, que beneficiam associações de piscicultores, comunidades Ribeirinhas, bem como açudes e barragens daqueles municípios”, explicou.

Para o diretor administrativo da Chesf, depois de vários impactos ambientais, que causaram perdas para a região, projetos de sustentabilidade e de beneficiamento não podem acabar. “Para atenuar esses impactos, a Chesf tem toda intenção de continuar com a parceria que havia com o Instituto, e que agora terá o governo, por meio da Sepaq, dando continuidade. Falo em relação a recursos e toda a infraestrutura possível. Queremos também, ampliar ações que ajudem às comunidades ribeirinhas”, salientou Alcântara Jr.

 

O secretário Regis Cavalcante adianta que a Secretaria de Estado da Pesca e Aquicultura (Sepaq) visa produzir aproximadamente 30 mil pós-larvas de pitu por ano, dessa forma fará o povoamento do crustáceo na região. Com isso também, aumentará a proposta da larvicultura, além de realizar cursos de processamento de pescado, fortalecendo a cadeia produtiva do Baixo São Francisco.

 

A partir dessas ações, está sendo providenciada a oficialização do convênio, estabelecendo que a Sepaq abrace todas as atividades que estavam sendo desenvolvidas com o apoio da Chesf e que beneficiam o segmento da pesca e aquicultura naquela região.

 

A prefeita de Piranhas Mellina Freitas, também participou da reunião e demonstrou está sensibilizada com o interesse do governo em reestabelecer um centro de pesquisa importante, e que favorece o seu município e o povo em geral. 

Primeira Edição © 2011