Cepram e pescadores discutem estudos da Petrobras na Lagoa Manguaba

Conselho Estadual de Proteção Ambiental (Cepram) e pescadores discutem impacto ambiental e possíveis danos a sua subsistência

13/03/2012 05:43

A- A+

Redação com Semarh

compartilhar:

O Conselho Estadual de Proteção Ambiental (Cepram) volta a se reunir nesta terça-feira (13), com pautas especiais. O colegiado, presidido pelo vice-governador José Thomaz Nonô, receberá uma apresentação da Petrobras, solicitada pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA), e do Programa Água Doce, solicitada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh).

A primeira apresentação será realizada pela Petrobras para falar sobre o Levantamento Sísmico que será realizado na Lagoa Manguaba e terá duração de aproximadamente 40 minutos. Trata-se de apresentar a metodologia de como será realizado o estudo que tem como objetivo verificar a disponibilidade de gás e petróleo na região.

Os pescadores das comunidades locais foram convidados para reunião, pois existe a dúvida se esse tipo de atividade poderá prejudicar uma das principais atividades de subsistência dos moradores. Segundo o diretor técnico do IMA, Ricardo César, não haverá instalação de plataformas na Lagoa Manguaba e a reunião desta terça-feira servirá justamente para esclarecer os pescadores.

“Solicitamos essa reunião ao Cepram para poder explicar aos pescadores e a sociedade como será a metodologia desse estudo da Petrobras. Mas os moradores não deve se preocupar, pois ainda que seja encontrado petróleo ou gás, as plataformas não serão instaladas na Lagoa. Além disso, não se sabe ainda se realmente há algo naquela região” – explicou o técnico do IMA.

 Além da apresentação da Petrobras, o Programa Água Doce, parceria entre o Ministério do Meio Ambiente e a Semarh, apresentará um panorama sobre a instalação de dessalinizadores no Semiárido Alagoano. O objetivo será manter os conselheiros informados sobre o andamento do projeto que está se tornando referência em todo o Brasil.

Primeira Edição © 2011