Igrejas Cristãs: Indagações de uma Realidade

07/03/2012 12:06

A- A+

Jorge Vieira – Jornalista

compartilhar:

No último artigo publicado, perguntava-se sobre o que aconteceu com as igrejas cristãs no Continente europeu. O referido texto diagnosticou o fenômeno religioso da histórica hegemônica e, atualmente, o envelhecimento e esvaziamento dos templos. Frente à essa reflexão, vários comentários de leitores foram enviados ao autor. Dentre eles, destacaram-se alguns, escolhidos pelo critério de uma análise teórica, deixando textos praticamente se expressarem por si próprios.

Inicialmente, a France Menétrey, residente na cidade de Carouge (Suíça), membro da denominação calvinista e militante dos direitos humanos, afirmou: “sobre a igreja europeia, daria para fazer um trabalho de doutorado...”.

Uma interpretação possível, o seu comentário representa uma demonstração da profundidade da crise e da necessidade de um conhecimento mais sistemático sobre essa realidade vivenciada pelo cristianismo.

Na mesma direção, o padre Walter Torres, alagoano residente na cidade de Braga (Portugal), posicionou-se: “verdadeiramente uma reflexão de quem está atento à vida e à história da Igreja nesta velha Europa”.

Tendo como base outra vertente, Carlos Vieira, português católico e empresário, analisa: “o texto descreve incisivamente a crise de valores com que as sociedades industrializadas, e a Europa em particular, padecem no que respeita aos valores de Humanidade e respeito pela pessoa humana. É por não ter apostado na educação dos valores humanos que as sociedades modernas se tornaram frias e sem rosto. A convivência em sociedade foi substituída por um individualismo medíocre e cego”.

Numa perpesctiva eminentemente acadêmica, Patricia Nascimento Delorme, mestranda da Université Sthendal Grenoble 3 (França), brasileria moradora de Lans-en- Vercors (França), comentou: “Penso que a crise da modernidade é mais facil de identificar na Europa porque ela é o berço dos 4 pilares citados por Betto na palestra. O desafio é identificar como essa crise que é mundial ou pelo menos nos paises norteados pelos tais 4 ...”.

A leitora refere-se a palestra proferida pelo dominicano Frei Beto, tendo como base o pensamento de Stuart Hall, no livro Identidade Cultural na Pós-modernidade, em que o autor analisa a crise da modernidade.

A matriz greco-romana, com sua expressão na Razão Cartesiana, sustentou o desenvolvimento técnico- científico, ignorando as diversas dimensões do ser humano e a sua intrínseca relação com a natureza. Na quebra da dimensão holística pode se encontrar os fundamentos da atual crise ontológica da sociedade, como expressou Georg Lukács.
Uma crise que não é só religiosa.
 

Primeira Edição © 2011