Rádio Primeira Edição - Ouça agora!

notícias > Política setas

PUBLICIDADE

Frente Parlamentar LGBT considera aberração projeto que propõe a "cura" da homossexualidade

A proposta do deputado João Campos (PSDB-GO) prevê mudanças na resolução do Conselho Federal de Psicologia, com o objetivo de permitir que psicólogos trabalhem na chamada “cura gay”

05/03/2012 17:02

A- A+

Agência Brasil

compartilhar:

Reprodução

O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), considerou uma ?aberração? o projeto apresentado pelo deputado João Campos (PSDB-GO)

O coordenador da Frente Parlamentar Mista pela Cidadania LGBT, deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), considerou uma “aberração” o projeto apresentado pelo deputado João Campos (PSDB-GO) que prevê mudanças na resolução do Conselho Federal de Psicologia, com o objetivo de permitir que psicólogos trabalhem na chamada “cura gay”.

“Considero uma aberração o fato de se propor um projeto desses. Querem legalizar um tratamento que enseja tortura psicológica e física. O principal grupo dos Estados Unidos que defendeu a psicoterapia como forma de curar a homossexualidade já veio a público pedir desculpas pelos suicídios que muitos adolescentes cometeram, induzidos por esse suposto tratamento”, argumentou o deputado.

Jean Wyllys avaliou que a inconstitucionalidade da proposta é clara porque fere o princípio da dignidade humana. “O projeto do deputado João Campos jamais será aprovado na Comissão de Constituição e Justiça porque fere o princípio da Constituição que é fundamental, o da dignidade humana. Além disso, a proposta contraria um ponto pacífico na comunidade científica que é a certeza de que a homossexualidade não é uma doença”, destacou.

“Nenhuma orientação sexual é doença, nem a heterossexualidade, nem a homossexualidade, nem a bissexualidade. Não há hierarquia entre elas e uma não é mais saudável que a outra. São expressões diferentes da sexualidade humana. A comunidade cientifica entende, a Organização Mundial da Saúde também. Se todos os tratados de direitos humanos garantem que a orientação sexual tem que ser exercida livremente, não faz sentido alguém querer legalizar a cura para certa orientação sexual”, rebateu o deputado que aceitou participar do debate que poderá ocorrer na Comissão de Seguridade Social e Família.

“Eu aceito porque é o espaço democrático da gente colocar essas ideias. Talvez as pessoas defendam isso por pura ignorância. Muita gente, talvez, acredite ainda que a homossexualidade é uma doença, porque aprendeu isso. É uma informação errada que precisa mesmo ser erradicada”, disse Jean Wyllys.

* campos obrigatórios

  • Enviar »

@primeiraedicao seta

anterior proximo
  • João Julio da Silva

    Classe C diminui ritmo de compras http://t.co/O2d0iCe8Ab via @primeiraedicao

  • João Julio da Silva

    Estudo revela vínculo entre adoçantes artificiais e intolerância à glicose http://t.co/KTVl4dZjg0 via @primeiraedicao

  • João Julio da Silva

    Thelure inaugura sua primeira loja em Maceió http://t.co/49ZAOizR1i via @primeiraedicao

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Primeira Edição © 2011

Plus! Agência Digital