Ibama/AL recebe crianças autistas em projeto socioambiental

O órgão recebeu usuários do Centro de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil (CAPSi) Dr. Luiz de Rocha Cerqueira nesta quarta-feira

14/02/2012 07:06

A- A+

Jessica Pacheco

compartilhar:

O Ibama/AL abriu novamente as ‘portas’ da natureza para um trabalho socioambiental desenvolvido com crianças e adolescentes autistas de Maceió. O órgão recebeu usuários do Centro de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil (CAPSi) Dr. Luiz de Rocha Cerqueira nesta quarta-feira (13).

“É extremamente importante que eles tenham essa oportunidade de sair do CAPSi e não ficar apenas dentro do serviço. Que possam também participar de atividades externas e passeio terapêuticos, como foi o caso aqui no Ibama”, explicou a psicóloga do CAPSi, Mariana Assunção, que acompanhou o grupo.

Além da psicóloga, o grupo de cerda de 10 crianças foram ao Ibama/AL acompanhados da assistente social do CAPSi, Kelly Brandão, e de alguns parentes/responsáveis.

“Nós trabalhamos com crianças e adolescentes com transtornos mentais e o objetivo de trazê-los aqui é buscar a socialização deles”, explicou a assistente social do CAPSi, Kelly Brandão. “A gente sempre procura levá-los ao contato direto com outras pessoas, com a natureza, é uma espécie de ressocialização que é muito importante para o tratamento”, disse.

Jessica Pacheco

O grupo do CAPSi foi acompanhado de perto pela tecnica educacional do Ibama/AL, Silva Coelho. De acordo com ela, não foi possível realizar o tradicional passeio pela reserva de Mata Atlântica que existe dentro do órgão, mas mesmo assim as crianças se divertiram muito em meio a natureza e no parquinho localizado no pátio do Ibama/AL, uma doação da Intendência Geral do Sistema Penitênciario (IGESP) ao órgão que viabiliza esse trabalho do Ibama/AL com crianças.

“Nós não pudemos fazer aquele tradicional passeio pela reserva por que o pedido delas foi feito muito em cima e não tivemos tempo de limpar a área e viabilizar o passeio das crianças”, explicou Silvia Coelho. “O passeio deles se limitou a esse espaço aqui na frente, eles brincaram muito no parquinho que temos aqui e também fizemos um passeio em volta do Cetas [Centro de Triagem de Animais Silvestres], eles não puderam entrar, por que ali é uma espécie de hospital dos animais e não é permitida a entrada, mas deu para que eles observassem os animais ou macacos. Ele se divertiram muito”, finalizou.

Jessica Pacheco

De acordo com a assistente social, o CAPSi Dr. Luiz de Rocha Cerqueira cuida de inúmeros usuários com problemas psiquiátricos, mas nesta visita apenas as crianças portadoras do autismo participaram. Segundo ela, a articulação com o Ibama foi realmente feita em cima da hora, mas que já pensa em uma nova visita e dessa vez ‘com tudo que as crianças tem direito’.

“Nós pensamos no Ibama, buscamos esse contato de imediato. Foi tudo muito em cima mesmo. Fizemos essa articulação e fomos muito bem recebidas. Vamos voltar com mais calma, vou mandar a programação com muita antecedência. Mas foi muito bom, muito importante para as crianças”, finalizou a assistente social.

Arquivo PEIbama/AL aberto à sociedade

“Alagoas não é só praia e abrir as portas do Ibama/AL, desse imenso verde, dá mais uma oportunidade para a sociedade conhecer as outras belezas naturais do Estado”, disse a superintendendo do órgão em Alagoas, Sandra Menezes. “Hoje nós temos o Parque Municipal que é aberto ao público e aqui [Ibama] isso já está acontece. Aos poucos, mas já acontece”, disse. “Sempre vai ter que ter um controle, por que aqui tem abelha, maribondo, cobra coral, é perigoso. E ainda tem o Cetas, temos materiais valiosos. E por isso vai sempre que ter alguém acompanhando. A gente gostaria de abrir, você vir aqui e simplesmente entrar, mas é complicado, mas é algo que ainda será muito trabalhado”, finalizou Sandra. 

galeria de fotos seta

Primeira Edição © 2011