Apesar de ter zaga de boa estatura, Tricolor sofre com jogadas pelo alto

'Caos aéreo' é responsável por seis dos sete gols sofridos pelo Tricolor no Campeonato Paulista e preocupa elenco: 'Isso tem de parar', diz Denis

14/02/2012 05:28

A- A+

Globo Esporte

compartilhar:

O perigo vem pelo alto para o São Paulo. A defesa tricolor está longe de ser uma das piores do Paulistão, mas está sofrendo com as bolas aéreas. Apesar de ter uma dupla alta de zagueiros – com média de altura de 1,89m –, os cruzamentos e lançamentos são perigos constantes para o time de Leão.

– Estamos cometendo alguns erros de marcação. Treinamos bastante e precisamos parar de sofrer gol de bola parada, escanteio, cruzamentos. Isso tem de acabar – disse o goleiro Denis.
Dos sete gols sofridos pelos comandados de Leão no estadual, seis vezes foram pelo alto. 

Contra o Oeste, Tadeu balançou a rede após um escanteio e um cruzamento. Foi também depois de um cruzamento que Fumagalli marcou para o Guarani. Guilherme, da Ponte Preta, vazou Denis em um escanteio quase idêntico ao que originou o gol do Corinthians, anotado por Danilo no último domingo.

O maior vacilo, porém, foi contra o Comercial. Após um lançamento longo da equipe de Ribeirão Preto, a bola pingou em frente a Paulo Miranda, encobriu o zagueiro e sobrou para Jaílton marcar. Apenas o gol de Moradei, do São Caetano, não veio pelo alto – o volante aproveitou falha da defesa são-paulina para receber livre na grande área.

O técnico Leão já identificou o problema há algum tempo. Ele costuma treinar bastante as jogadas de bola parada. O comandante chega a interromper alguns coletivos para repetir cobranças de faltas e escanteios. Mesmo com todas as instruções do técnico, o problema persiste. Agora, o elenco tricolor tenta encontrar o motivo das falhas.

– Pode ser falha de posicionamento. Estamos deixando os atacantes correrem soltos. Temos de conversar, porque temos bons cabeceadores e jogadores altos. Vamos aperfeiçoar no treinamento, porque, hoje, 75% dos jogos são decididos em bola parada – disse o meia Cícero.

O São Paulo, ao menos, tem a receita para evitar que esse filme se repita diante do Paulista, nesta quinta-feira, às 19h30m (horário de Brasília), no Morumbi.

– Precisamos levantar a cabeça e corrigir isso nos treinos – disse Denis.

Primeira Edição © 2011