Vasco espanta crise com vitória sobre o Duque debaixo de água

Gigante da Colina vence por 3 a 1, com direito a golaço de Juninho, e segue 100% na Taça Guanabara

29/01/2012 15:08

A- A+

Globo Esporte.com

compartilhar:

A semana foi turbulenta no Vasco. Insatisfeitos com o atraso dos salários, os jogadores chegaram até a ameaçar não concentrar para o jogo contra o Duque de Caxias, neste domingo. Mas nem isso, nem a forte chuva que caiu em Macaé, impediram que o time jogasse bem e conquistasse a vitória sobre o time de Caxias, por 3 a 1. Juninho, com um golaço, Diego Souza e Alecsandro marcaram para o Gigante da Colina. Gilcimar diminuiu para o Duque.
Com o resultado, o Vasco chega aos seis pontos na Taça Guanabara e segue com 100% de aproveitamento. O Gigante da Colina está em segundo lugar no Grupo B, atrás apenas do Fluminense, que tem saldo de gols melhor. Já o Duque de Caxias é o lanterna da chave, sem ter conquistado nenhum ponto ainda.

Vasco e Duque de Caxias voltam a campo na quarta-feira pela terceira rodada da Taça Guanabra. O Gigante das Colina encara o Bangu, em Moça Bonita, enquanto o time da baixada vai até Friburgo enfrentar o Friburguense.

Golaço de rei

Apesar do eficiente sistema de escoamento do campo e do esforço dos funcionários do estádio, a chuva que caiu minutos antes do início da partida deixou algumas poças de água, principalmente do lado direito de ataque do Vasco, no primeiro tempo. Com isso, o Gigante da Colina tinha dificuldades de armar suas jogadas pelo setor, ponto forte do time. Mas isso não impediu que Fagner continuasse avançando e tentando ajudar a equipe. E tinha espaço para isso.

O que se viu no primeiro tempo foi o Duque de Caxias acuado em campo, esperando alguma chance no contra-ataque. Mas ela não vinha e enquanto isso o Vasco dominava o jogo e criava várias chances de gol. Em uma delas, o goleiro Fernando operou um milagre ao tirar uma bola em cima da linha. Juninho cruzou, a bola ficou perdida no meio da área e Nilton aproveitou para chutar, mas parou na grande defesa do arqueiro do Duque.

Fernando, entretanto, teve que ficar apenas na torcida nos chutes seguintes. Allan cruzou para Alecsandro que, desequilibrado, mandou para fora. Os dois trocaram de papeis minutos depois e o camisa 9 deu bonito passe para o volante, que bateu com categoria por cima do goleiro. A bola entretanto, acertou o travessão. O mesmo destino teve uma cobrança de falta de Juninho, que tirou tinta da trave.

A sorte do goleiro do Duque, entretanto, não durou muito. Juninho, que mostrava muita disposição no jogo ajudando, inclusive, na defesa, recebeu na entrada da área, antes da meia-lua. Com um chute forte e colocado, o meia fez a torcida vibrar. Golaço e vantagem cruz-maltina.

Depois do gol, o Duque de Caxias até se soltou um pouco mais, mas só conseguiu ameaçar em um chute de Romário, de longe. Fernando Prass defendeu com tranquilidade. Mas ficou só nisso e o Vasco seguiu dominando o jogo.
 

Caxias volta melhor, mas Vasco garante vitória

O Duque de Caxias voltou para o segundo tempo com postura totalmente diferente do primeiro. Tanto, que em poucos minutos fez muito mais do que havia feito em toda a primeira etapa. Gilcimar mandou uma bomba de fora da área e acertou a trave logo no primeiro minutos mostrando que o seu time não ia aceitar a derrota. Explorando as jogadas pelo lado esquerdo, a equipe de Caxias seguiu pressionando e rondando a área do Vasco. Até que conseguiu o que queria. Gilcimar mandou outro bom chute de fora da área, mas dessa vez teve mais sorte e acerou o alvo, sem chances para Fernando Prass. Tudo igual em Macaé.

Contudo, nem o gol do Duque, nem a chuva que passou a apertar mais, diminuíram o animo da torcida do Vasco, que passou a cantar muito para incentivar o time. E pouco depois, o Gigante da Colina voltou a ficar em vantagem. Juninho cobrou escanteio, a bola passou por todos até parar nos pés de Alecsandro. O artilheiro não desperdiçou e mandou para o fundo do gol.

Depois do gol, a chuva decidiu que passaria a fazer efetivamente parte do jogo. Muito forte, o temporal alagou o campo e fez com que ficasse ainda mais difícil trocar passes. Os times passaram então a jogar mais na base da vontade e nas bolas levantadas. O Duque pareceu ter sentido o golpe e deixou que mais uma vez o Vasco mandasse no jogo. Com isso, não tardou que o terceiro do time da Colina saísse. Fagner recebeu em profundidade e cruzou na medida para Diego Souza. O meia, de cabeça, ampliou o marcador.

O Vasco seguiu buscando mais gols e quase conseguiu em um chute cruzado de Thiago Feltri dentro da área e em uma bomba de longe de Eduardo Costa, que voltou a jogar depois de se recuperar de lesão. Mas ambas as tentativas passaram ao lado e o placar seguiu inalterado até o fim.

Primeira Edição © 2011