Uso excessivo de ar condicionado pode causar pneumonia

Exposição ao produto não deve ultrapassar duas horas por dia, segundo especialista. Limpeza correta do aparelho também é importante

23/01/2012 06:27

A- A+

Saúde em Pauta

compartilhar:

Seja em casa, no trabalho ou no carro, o ar condicionado é uma alternativa para refrescar os dias de forte calor. No entanto, o aparelho utilizado em excesso prejudica a saúde, aumenta o risco de gripe, sinusite, crises de asma, bronquite, infecções e, em casos mais graves, pode culminar em um quadro de pneumonia, alerta o pneumologista e diretor da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, Dr. Ricardo Milinavicius.

Há quem considere o eletrodoméstico o salvador da pátria, enquanto outros são negativamente impactados, mas é inegável o frescor proporcionado pela temperatura agradável. Assim, para que não haja futuros problemas de saúde, o período de utilização do aparelho não deve exceder o período de duas horas por dia. Ultrapassado este tempo, o organismo já demonstra os primeiros indícios de complicações em razão da exposição excessiva ao ar condicionado.

 “Os cílios da mucosa nasal são necessários para proteger o organismo dos agentes bacterianos. O ar frio resseca a mucosa e promove a fácil entrada de vírus e bactérias no organismo, especialmente pelas vias superiores e se encaminham diretamente ao pulmão”, revela o pneumologista. Logo, o grupo formado por alérgicos deve dobrar os cuidados com o uso do aparelho, pois qualquer estímulo pode desencadear uma crise de sinusite, por exemplo.

 Com o ressecamento da mucosa, o corpo pede hidratação e é fundamental que o indivíduo beba muita água durante o dia. Quanto ao nariz, o uso do soro fisiológico três vezes ao dia umidifica a região danificada. O bom senso ao determinar a temperatura do ar condicionado também é uma das medidas preventivas de doenças e o recomendado é que o ambiente não fique muito frio e permaneça entre 20º C e 22º C graus.

Limpeza do aparelho

Assim como qualquer outro eletrodoméstico, o ar condicionado deve e precisa ser limpo para evitar o risco de infecções. O Dr. Milinavicius alerta para a importância da manutenção do aparelho. “Mesmo que a função do filtro seja impedir a passagem das bactérias, ele não o faz totalmente e sobra água detida nos tubos, o que favorece o crescimento de uma colônia de vírus e são eles que prejudicam a saúde”.

A principal recomendação quanto à limpeza é a troca anual do filtro e também a realização da lavagem dos dutos a cada seis meses. Para o ar condicionado dos carros, a indicação é praticamente a mesma e o filtro deve ser substituído a cada 10 mil quilômetros. Seguindo essas indicações, é possível desfrutar plenamente o verão com o conforto do ar refrescante e sem prejudicar a saúde.
 

Primeira Edição © 2011