‘Rei do Rio’ nos octógonos, Edson Barbosa se vê pronto para o cinturão

Peso-leve nocauteou de forma espetacular Terry Etim no UFC 142

16/01/2012 08:18

A- A+

R7

compartilhar:

O HSBC Arena já virou uma espécie de segunda casa para Edson Barbosa. Depois de vencer no local em 2011, o brasileiro deu show e levou ao delírio ao torcedor ao nocautear o britânico Terry Etim no último sábado (14), tornando-se uma espécie de “Rei do Rio” quando o assunto é UFC, o maior evento de MMA do mundo.

A façanha, que lhe rendeu o prêmio de melhor nocaute da noite e de melhor luta, impressionou o presidente da entidade, Dana White.

Sentado ao lado do “chefe” na entrevista coletiva após o combate, Edson Barbosa falou com desenvoltura e mostrou estar preparado para encarar Franki Edgar, atual detentor do cinturão.

No entanto, em nenhum momento quis pressionar o chefão Dana White, mesmo com a televisão reprisando a todo momento o incrível chute giratório que levou a nocaute Terry Etim no fim do terceiro round do combate.

- Gosto muito de lutar aqui. Posso dizer que comecei o ano literalmente com pé direito. Para o futuro, só posso dizer que meu foco é sempre a próxima luta. Sou funcionário do UFC e vou lutar contra quem quiser, não importa aonde. Não fico pensando se o cinturão está perto ou longe. Um ia terei a chance e vou agarrá-la com certeza.

Torcedor fanático do Botafogo, Edson Barbosa só recebeu algumas poucas vaias do público brasileiro quando, no fim de seu discurso, ainda no octógono, gritou o nome de uma torcida organizada do alvinegro.

Vaias que rapidamente se transformaram de novo em aplausos quando explicou como surpreendeu a todos os presentes com o golpe que lhe deu sua décima vitória em dez lutas na carreira.

- Imaginei que ele [Terry Etim] esperasse um chute na barriga. Então arrisquei um golpe alto e deu certo, derrubei ele.

Hoje um ano e dois dias da tragédia em Friburgo, momento triste, todo povo sofreu. É como na luta, estamos sempre prontos para dar a volta por cima, levantar a nossa cidade. Amo lá, minha família está lá. Espero que o governo possa ter olhos para lá. Não fico pensando o tão perto do cinturão, longe. Não tenho pressa. Quero fazer meu trabalho, sei que a minha hora vai chegar.

Primeira Edição © 2011