Baixo estoque de sangue com fator negativo preocupa direção do Hemoar

16/01/2012 14:59

A- A+

Assessoria

compartilhar:

Estatísticas do Hemocentro de Arapiraca (Hemoar) apontam que o número de doadores de sangue de fatores negativos está abaixo do necessário. De acordo com a diretora do órgão, Márcia Rocha, a escassez deve-se a dois princípios básicos: pouca quantidade de pessoas com esse tipo sanguíneo e menor ainda o número de voluntários que doam sangue.

“Em 2011, tivemos, uma média, de sete mil doações. Mas, infelizmente, cerca de 60% desse público veio doar sangue apenas pelo fato de algum amigo ou parente estar necessitando e não como doador voluntário. Antes da doação fazemos uma triagem médica e também trabalhamos a parte psicológica, mostrando a importância da ação e, principalmente, esclarecendo sobre os mitos em relação ao ato de doar sangue”, explicou Márcia Rocha.

O Hemoar atende oito unidades hospitalares de Arapiraca, além de seis municípios vizinhos. Segundo a diretora, somente a Unidade de Emergência do Agreste (UE) é responsável por consumir, em média, 30% do sangue coletado durante o mês.

Ainda conforme Márcia Rocha, vários fatores contribuem para a diminuição no número de doadores voluntários em Arapiraca, e um deles é a população que reside na zona rural e que não pode se deslocar com freqüência para cidade por conta do período de plantação nas lavouras. Mas um dos principais motivos da falta de doadores é atribuído à desinformação da população que, em boa parte, teme que a doação seja um processo dolorido ou que venha a fazer mal à saúde.

Desinformação e mitos afastam doadores

“A falta de informação faz com que muitos mitos sejam criados pelas pessoas quando o assunto é doar sangue. Algumas mulheres, quando menstruadas, acham que não podem doar sangue, temendo que poderão ficar com pouca reserva no corpo. Já alguns homens acreditam que doando sangue ficarão mais fracos e sem disposição. Puros mitos”, ressalta a diretora do Hemoar, informando que uma mulher menstruada pode sim realizar a doação, porque o sangue expelido na menstruação já é uma reserva natural do organismo.

Dados apontam ainda, que as mulheres representam um grupo pequeno de doadores, sendo apenas 30%, enquanto que os homens superam a marca em larga vantagem com 70% das doações em Arapiraca.

Para ser doador, o voluntário deve seguir alguns critérios como ter idade entre 16 e 67 anos e peso acima de 50 quilos, além estar em boas condições físicas. Cada bolsa de doação capta em média 450 ml de sangue, num processo que dura aproximadamente 5 minutos. Alguns cuidados básicos devem ser seguidos pelo doador, entre eles: não estar gripado ou com febre, não ter contraído hepatite após os 11 anos de idade e, principalmente, não ter ingerido bebida alcoólica 12 horas antes da doação.

O serviço de assistência social do Hemoar realiza, diariamente, palestras para os doadores, onde são abordados temas sobre a importância da doação de sangue, os benefícios para o organismo, além dos cuidados que uma pessoa deve ter para evitar a transmissão de doenças no dia-a-dia.

Hemoar ganhará unidade móvel em breve

A novidade do Hemoar, segundo Márcia Rocha, será a aquisição da unidade móvel destinada à coleta externa de sangue em Arapiraca. O ônibus já foi garantido pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e logo estará auxiliando as equipes da região.

A unidade atuará na coleta de sangue e no cadastro de medula óssea, atendendo toda a região Agreste. “A unidade será disponibilizada em eventos, praça pública e também um dia por mês estará na Unidade de Emergência do Agreste”, informou a diretora.

HEMOFÍLICOS – Com o horário de atendimento estendido das 7h às 17 horas, de segunda a sexta-feira, o Hemoar também é referência no atendimento hematológico para pacientes hemofílicos e falsêmicos. O hemocentro se tornou referência na 2ª macrorregião para este grupo de pacientes, realizando consultas e fazendo aplicações dos fatores 8 e 9, além do atendimento domiciliar.

Primeira Edição © 2011