Mutirão oferece reconstrução mamária para vítimas de câncer

A triagem para ação segue até fevereiro; Secretaria de Saúde se comprometeu a atender todas as pacientes cadastradas

09/01/2012 12:33

A- A+

Assessoria

compartilhar:

Mulheres alagoanas que sofreram de câncer de mama terão agora uma nova oportunidade de recuperar a autoestima. Trata-se do Mutirão Nacional de Reconstrução Mamária, que será realizado em Maceió entre os dias 5 e 9 de março. A ação é voltada a pacientes mastectomizadas – que tiveram a mama retirada – e a triagem segue até fevereiro.

A primeira etapa da triagem acontece no Hospital do Açúcar às terças e quintas-feiras, das 9h às 13h; no Ambulatório Geral da Unidade Rodrigo Ramalho, na Praia do Sobral, às terças e quartas, a partir das 14h30; e no Hospital Universitário às quartas, das 9h às 13h, e às quintas às 15h. Durante as consultas, serão analisadas condições de saúde e indicação da cirurgia.

O mutirão terá 20 vagas em Alagoas. O número, no entanto, pode ser ampliado. “Essa quantidade foi definida pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, mas o secretário Alexandre Toledo se comprometeu a continuar com as cirurgias se tivermos demanda”, diz a diretora de Atenção Especializada e Programas Estratégicos da Secretaria de Saúde (Sesau), Lisiane Torres.
E, para alcançar mulheres de todo o Estado, será realizada uma busca ativa nos municípios. As pacientes do interior que necessitam do procedimento serão identificadas por agentes do Programa de Saúde da Família. “Além disso, também teremos a demanda espontânea e a demanda reprimida vinda dos médicos”, explica o coordenador da ação, o oncologista Lourival César.

As operações, assim como o processo de triagem, serão gratuitas e terão os custos hospitalares e das próteses – que giram em torno de R$ 2.800 – assumidos pela Sesau. Já o trabalho da equipe médica será realizado de maneira voluntária. A reconstrução mamária é um procedimento que devolve o volume e o contorno da mama mastectomizada.

A diretora de Atenção Especializada e Programas Estratégicos destaca a importância da ação. “A mulher que passa pela cirurgia fica mais confiante e mais colaborativa, sendo mais produtiva e evitando a depressão, o que afeta de forma positiva a recuperação. A retirada da mama é uma sequela que afeta a autoestima e pode comprometer o tratamento”, afirma Lisiane.

Realizado no País pela primeira vez, o Mutirão Nacional de Reconstrução Mamária é coordenado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBPC) – que definiu a quantidade de vagas de cada estado – e pelas secretarias estaduais de saúde. A iniciativa é resultado de uma ação promovida em Brasília no início de 2011.

“Tivemos um mutirão isolado no Distrito Federal e a busca foi muito grande, superando todas as expectativas. Isso serviu de alerta para que víssemos a grande demanda existente nessa área”, expõe Lourival César, que, além de coordenar a ação em Alagoas, também estará fazendo a triagem no Hospital Universitário.

Para mais informações sobre a triagem, basta entrar em contato pelos telefones: 82 – 3241-2272/3338-1540 das 14h às 18h.                                                                                                               

Primeira Edição © 2011