Familiares de presos realizaram protesto contra fechamento de presídio

04/01/2012 09:20

A- A+

7 Segundos

compartilhar:

Os reeducandos do Presídio Desembargador Luis de Oliveira Souza, em Arapiraca, começam a ser transferidos para Maceió já nos próximos dias. Por conta disso, cerca de 50 esposas e familiares realizaram um protesto na manhã desta quarta-feira no Fórum estadual em Arapiraca.

A transferência acontece após o governador Teotonio Vilela ter comunicado que o presídio será desativado por estar localizado ao lado do campus da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), o que já provocou incidentes, como a invasão de salas de aulas durante fugas dos reeducandos.

Após diversos protestos de estudantes, o governo do estado determinou, em dezembro passado, um prazo de até 90 dias para a transferência dos reeducandos e fechamento em definitivo do presídio, o que começou a ser feito menos de um mês depois.

O novo prédio do presídio terá o dobro da capacidade do atual, sendo que 240 vagas serão para o regime fechado e 60, para o semiaberto. O prazo para a construção da nova unidade será de até dois anos. A decisão do governador recebeu aval do corregedor-geral de Justiça, desembargador James Magalhães, e do juiz Antônio Dória.

REUNIÃO

Na próxima segunda-feira (9) uma comissão de familiares deverá ir até a governadoria em Arapiraca para participarem de uma reunião com representantes do Governo estadual. A principal reclamação dos familiares é que parte dos reeducandos vem de cidades do Sertão de Alagoas. A transferência para Maceió irá, segundo eles, as visitas.

Primeira Edição © 2011