Paralisação da PM gera onda de arrastões

03/01/2012 11:37

A- A+

Redação

compartilhar:

Lojas de ruas e de shoppings de Fortaleza fecharam as portas ou reforçaram a segurança particular com receio de assaltos e arrastões, em meio à paralisação dos policiais militares e bombeiros do Ceará, na manhã desta terça-feira (3).

O governador Cid Gomes decretou situação de emergência no Ceará sábado (31) e solicitou tropas do Exercito e Força Nacional que policiam Fortaleza desde o réveillon. Secretaria de Segurança Pública diz saber da onda de denúncia de arrastões e afirma que a maioria são boatos.

Algumas agências dos Correios também pararam o atendimento por falta de segurança, segundo a empresa. Lojas da Companhia Energética suspenderam atividade em alguns bairros da capital e nas cidades de Maracanaú e Baraturité.

Segundo o comando do movimento de paralisação da PM, 10.000 policiais estão parados desde a última quinta-feira (29) em pelo menos 10 cidades do Ceará. Policiais militares e bombeiros querem reajuste salarial de 80% até o fim de 2014, além de anistia a todos os policiais que participam do movimento.

Arrastões

Nas redes sociais e no Centro Integrado de Operação de Segurança (Ciops), são dezenas de relatos de supostas ocorrências de assaltos e arrastões. Mas segundo a Secretaria de Segurança, maior parte das denúncias são boatos. No início desta tarde, a hastah #CaosEmFortaleza era uma das mias comentadas no Twitter.

*Com G1

Primeira Edição © 2011