Seresteiros da Pitanguinha inauguram exposição fotográfica sobre o baile de Máscaras

A abertura da exposição, que acontece no próximo sábado (7) conta a trajetória dos 9 anos da festa

02/01/2012 15:39

A- A+

Divulgação

compartilhar:

O clima de carnaval começa a invadir a cidade com mostra fotográfica dos bailes dos Seresteiros da Pitanguinha. A exposição com 250 fotos será inaugurada neste sábado, dia 7 de janeiro. O local é o Maceió Shopping – térreo, ao lado do stand Sue Chamusca, onde estão sendo vendidos os ingressos para o III O Baile e o IX Baile dos Seresteiros da Pitanguinha.

A mostra fotográfico é constituída de fotos que registram cenas dos bailes entre os anos de 2004 e 2011 por vários profissionais e colaboradores. Este ano o baile fará uma homenagem não apenas a uma personalidade da cena cultural alagoana, mas a 5 pessoas que de uma maneira ou de outra contribuíram para a cultura e para a alegria dos carnavais no Estado.

São eles: o eterno Rei Momo Setton Neto; um dos fundadores do Pinto da Madrugada, Marcial Lima; o grande passista Moleque Namorador; a figura folclórica Miss Paripueira e um dos primeiros produtores culturais do Estado, responsável pelos bailes da saudosa Portuguesa e do concurso do Passo, Eduardo Cerqueira, o Cebolinha. Fotos dos homenageados vão estar em uma ala especial da exposição.

A inauguração da mostra está marcada para as 19h30 e dará início também a já tradicional apresentação dos Seresteiros pelo shoppping nos sábados que antecedem ao Baile de Máscaras.

Utilidade pública

Os Seresteiros da Pitanguinha fazem parte de uma instituição de utilidade pública estadual e municipal, a Organização Serenata da Pitanguinha. O grupo existe há 17 anos e é formado por profissionais liberais, funcionários públicos, engenheiros, médicos, psiquiatras. Pessoas com idades entre 24 e 84 que se uniram em nome do amor à cultura.

Nos primeiros anos, o foco era reviver as saudosas serenatas de rua. Assim, desde então todas as primeiras sextas-feiras de cada mês os seresteiros saem as ruas do bairro da Pitanguinha cantando choros, sambas, marchinhas e outros genros da autêntica música brasileira.

Na seqüência, os Seresteiros decidiram que também iriam dar a sua contribuição para o resgate dos blocos de rua de Jaraguá. A partir daí, a cada sábado que antecede o carnaval os alegres senhores e senhoras saem cantando pelas ruas do histórico bairro. Mas no ano passado o desfile mudou de local e passou a ser feito nas ruas da própria Pitanguinha

Sobre o nascimento do baile

Há 10 anos os Seresteiros firmaram parceria com o escritório de produção Sue Chamusca Arte e Assessoria para desta vez apostar numa empreitada mais ousada: reviver os antigos e belos bailes de carnaval.

Remando contra a maré dos axés, pagodes e outras estilos do gênero, o Baile de Máscaras abriu espaços, passou a ser o ponto de encontro de quem realmente ama o carnaval. Um carnaval cheio de magia, com boa música, segurança e fantasia. E toda essa festa acontece em ambiente de 3 mil metros cuidadosamente decorado.

Este ano a banda convidada para animar a festa após a apresentação dos Seresteiros é a pernambucana Estação Frevo Orquestra. Já O Bailinho em sua terceira edição contará novamente com a presença do da Divina SuperNova.
 

Primeira Edição © 2011