seta

67 postagens no blog

Empresário, Professor, Pós-graduado em Humanas, e Bacharel no curso de Direito Atuou na área Social e de Responsabilidade Social, ajudou na implantação e implementação do Instituto para o Desenvolvimento Social e Ecológico (IDESE) - OSCIP da Usina Coruripe.

Mendigos diante da Violência

27/02/2014 09:57

Falamos diariamente sobre esse aumento da criminalidade e violência que assola nosso país, em todos os lugares, com grande repercussão ou não...
 

Já a algum tempo que esse tipo de situação, essa violência, não está somente nas redondezas dos menos favorecidos, das comunidades carentes... Vem atingindo em massa as camadas mais favorecidas, sócio-financeiramente falando. E, muitos espectadores, e porque não dizer, próximas vítimas, ficam indagando angustiadamente, apenas indagando... O porquê disso tudo?
 

O que dar para observar e sentir em algumas camadas da sociedade, é que o cansaço psicológico diante desse marasmo desenfreado, está cada vez mais real, de tal forma que muitos “acreditam desacreditar” em tudo, principalmente nas falácias.
 

Em tempos atrás, ouvíamos nas matérias televisivas, que policiais afirmavam da possibilidade de saírem para trabalhar deixando um sentimento do não retornar vivo aos seus lares, referindo-se a tamanha violência que sofriam atuando na profissão... Porém o que podemos sentir de um tempo pra cá é que eles não estão sozinhos nessa angústia... Esse sentimento tomou conta de todos nós, cidadãos comuns.
 

Não estamos precisando... Estamos necessitando, Mendigando usufruir de um espaço tranquilo e saudável, onde possamos usar relógio e o smartphone da moda sem que eles sejam a “moeda” para a morte.
 

seta

Gari cidadão, Motorista...

14/02/2014 10:33

É lastimável a cena vista recentemente, numa determinada rua estreita de Maceió/AL, num bairro nobre, em que uma fila de carros pequenos foi formada a partir do momento em que o caminhão coletor de lixo da cidade, buscando realizar seu trabalho de forma completa, sem deixar qualquer saco de lixo para trás, passa a ouvir um “buzinaço” de alguns motoristas sem educação, paciência e porque não dizer, sem noção alguma de civilidade, de humanidade.
 

Esquecem ou não fazem questão de enxergar que ao participarem desta “baderna social” buzinando desenfreadamente, estão ali, bem sentados em seus carros com ar-condicionado confortavelmente e ouvindo música, que com certeza não é a de Djavan, Caetano e Cia Ltda, pois não podem fazer parte desse nincho da sociedade, é claro. Devem até conhecer o mundo, serem viajados... Mas vale salientar que a cultura e a educação só estão aptas aos que dispõem de abertura para o aprendizado.
 

Ao cometerem tal absurdo novamente, seria interessante pensar que esses garis estão ali contribuindo com a limpeza da cidade, realizando com maestria seus serviços, onde muitos queriam estar ao lado dos familiares ou bebendo a sua cervejinha, já que o horário de coleta é noturno.
 

A falta de consciência, juízo, e de se colocar no lugar do outro, é abundante neste país.

seta

O programa não muito Fantástico...

27/01/2014 05:46

Em recente matéria postada no site de notícias UOL, onde relatava sobre a queda na audiência do programa Fantástico, fica claro que muitos querem encontrar algum alvo para as críticas, e em questão está à reforma ocorrida com os jornalistas / apresentadores.
 

Ora! Será que está sendo por conta disso realmente?
 

Não é bem assim que ouvimos nos comentários de muitos que desejam boas notícias, principalmente na noite de domingo onde estão todos nos preparativos para iniciar a semana com notícias que realmente acrescentem algum conhecimento, que agreguem valor. Muitos programas importantes da televisão brasileira estão em declínio, em “queda livre” como bem citou o site UOL, e isso com certeza um dia ia acontecer, como uma pedra cantada num jogo qualquer.
 

As pessoas em sua grande maioria querem ficar de frente a TV e ter bons assuntos para conversar no dia seguinte, e com isso pulverizá-lo, cada um da sua maneira, porém com um contexto jornalístico, embasado em fatos, em realidade, e não ficar “perdendo tempo” assistindo quem vai ser líder da semana, dando “espiadinha”, vendo resumo de novela ou seriado (que já passa diariamente), ou então apreciando bola cheia ou bola murcha...
 

Vamos pedir que sejam criados matérias produtivas, e que os programas já existentes, voltem a ser bons, passem a divulgar algo que ajude na educação deste país.
 

É preciso focar nisso, já que muitos não têm o hábito da leitura, esses programas servem de revista ou jornal eletrônico., e não focar simplesmente em ibope, em audiência a todo custo.
 

seta

Humanidade Brasil

14/03/2013 15:09

Este é um assunto que deve ser abordado com muita atenção e de forma direcionada, para os próprios cidadãos brasileiros, pois, trata de uma questão de respeito à vida, a dignidade da pessoa humana, que por sinal, é garantido em nossa Constituição Federal de 1988.

O dia-a-dia no Brasil precisa ser vivido com mais cautela, mais atenção e paciência de todos nós, seres humanos brasileiros, já que diante de uma globalização, que já vem acontecendo há muito tempo, trazendo uma enxurrada de coisas boas e produtivas, o que pode ser visto e sentido, é que ela também trouxe uma certa correria de todos, em busca de melhorias, de conquistas de posicionamento no mercado de trabalho, posição social, dentre outros, e tudo isso associado a uma intensa impaciência.

Hoje em dia o que mais conseguimos enxergar a nossa frente é a tal da falta de paciência. São pessoas nervosas que não se importam em ajudar o próximo, totalmente aceleradas, querendo somente o seu lugar, o seu posicionamento, o seu caminho, o seu espaço...E isso acontece em muitos aspectos do cotidiano vivido por todos nós, como;

Nos centros urbanos;

Nas vagas de garagem, onde carros; são estacionados de qualquer jeito sem o pensamento no outro;

No trânsito, que mesmo já sendo caótico, tende a piorar com a falta de controle pessoal e com pensamento somente no seu veiculo;

Nas filas de supermercados, se utilizando do caixa preferencial, na “cara dura”, simplesmente dizendo que está apressado, ou que são poucos itens que tem na cestinha ou que não leu a placa;

ou que...ou que...ou que...;

As desculpas são demasiadas, sempre, pois o que predomina é a lei do mais forte, do mais esperto, de quem dirige melhor, daquele que está com mais pressa...;

Não esquecendo de comentar na falta de respeito com o ser humano, quando o tema tem ligação com a saúde, segurança pública, moradia... Enfim...

E tudo isso é tido como “Normal”... afinal de contas, é isso que ouvimos quando autoridades públicas e privadas, e/ou profissionais das mais diversas áreas, são indagados sobre qualquer caso de abuso contra a vida humana.

É como um soco certeiro no cidadão comum.

Acorda Brasil! 

seta

Seriedade para o Brasil, o futuro chegou...

19/03/2013 14:04

Sinceramente...

A vida, o cidadão, o desenvolvimento social, entre outros tópicos que permeiam a nossa sociedade, precisam ser levados mais a sério neste país, pois para todo lado que apontamos, enxergamos situações que desanimam e desmotivam cada vez mais, nós brasileiros, de fazermos e buscarmos o “básico correto”.

São situações tão simples e corriqueiras, que por conta disso, são tratadas sem a devida importância por muitos, tipo:

- Quando pessoas precisam dos hospitais públicos, e muitas vezes não são levadas a sério;
- Quando crianças e adolescentes que frequentam escolas, em busca de um futuro um pouco mais digno, e não são levadas a sério;
- Pessoas que utilizam do transporte público e não dispõem de forma digna... Não sendo levadas a sério;
- Pessoas em busca de maior acessibilidade nos diversos lugares... E não são levadas a sério;
- Pessoas querendo usufruir de maior segurança nas ruas, nos momentos de lazer, enfim, sem conseguir tal façanha;
- Muitos querendo preços justos para alimentação, remédios e etc, mas não conseguem usufruir desses benefícios sociais;
- Querendo ver o dinheiro público sendo bem aplicado, direcionados para melhorias urbanas, e assim não vislumbram disso...;

E com isso, fica claro que este País precisa ser levado mais a sério, pois muitas dessas pessoas já estão esgotadas com tanta falta de TUDO.

seta

Primeira Edição © 2011