seta

717 postagens no blog

Viçosa sedia 11ª Mostra Alagoana de Dança neste sábado

18/09/2013 11:21

As portas do Centro Cultural e de Convenções José Evilásio Torres serão abertas, neste sábado, 21, a partir das 19h, para receber a originalidade dos ritmos que embalam o estado de Alagoas na 11ª edição da Mostra Alagoana de Dança.

Sobem ao palco artistas de renome estadual, como a Academia de Dança Maria Emília Clark, e três grupos viçosenses selecionados para representar o município: P.D.A. Crew, Performance e Renascer. 14 grupos apresentarão os mais diversos ritmos: hip hop, afro, ballet clássico, popular, dentre outros. Os ingressos para prestigiar a mostra serão distribuídos a partir das 17h, na bilheteria do Centro de Convenções.

Na próxima semana, de 24 a 26, serão ofertadas aulas de dança de salão na Escola de Música e Folclore José Aprígio Vilela. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas na Secretaria de Cultura e Turismo de Viçosa, de segunda a sexta. O público alvo são pessoas de 7 a 100 anos. As aulas vão acontecer em três horários diferentes: das 14h às 15h, das 18h às 19h30 e das 19h30 às 21h.

A mostra é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura, em parceria com a Secretaria de Estado do Planejamento e Desenvolvimento Econômico e da Prefeitura de Viçosa, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

Confira os grupos que irão participar da mostra em Viçosa:

01-P.D.A. Crew - Poder dos amigos - Viçosa - (hip hop);

02- Grupo 3ª Idade Renascer - Viçosa - (popular);

03- Performance - Viçosa - (hip hop);

04- Free Step The boys - Branquinha - (hip hop);

05- All Styler' s – Santa Luzia do Norte - (street dance);

06- Ballet Renascer - Rio Largo - (ballet clássico);

07- Grupo Arafunfun Omanjerè - Maceió - (afro);

08- Harabesck Bellydance Company - Maceió - (dança do ventre);

09- Conexão Arte e Cultura - Maceió - (street dance);

10- Ass. Artística Sururu de Capote - Maceió - (popular);

11- Ass. Cultural Guerreiros Produções - Marcel Correia- Maceió (contemporâneo);

12- Gaby Ferreira e Jal Avlis - Maceió - (contemporâneo);

13- Academia de Dança Maria Emília Clark - Maceió - (contemporâneo);

14- Cia Paulinho Vasconcelos - Maceió - (dança de salão).

seta

Paripueira terá segundo encontro no dia 27 sobre políticas públicas em Alagoas

17/09/2013 14:16

O II Encontro Regional de Avaliação de Políticas Públicas –Alagoas: Realidade e Perspectivas – discutirá os principais problemas e apontará soluções para a região Norte do Estado. O evento será realizado em um amplo espaço coberto nachácara Santo Amaro, em Paripueira, no próximo dia 27 deste mês.

Organizado pela Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), pela União dos Vereadores de Alagoas (Uveal) e apoiado por diversas outras entidades, o encontro é aberto a todos os representantes políticos e de segmentos sociais e produtivos do Estado.

Com aval da AMA e daUveal, a convocação para o encontro é compartilhadapor entidades patronais e de trabalhadores, servidores públicos, agricultores, partidos políticos, movimentos sociais, federações, sindicatos e cooperativas.

A exemplo do I Encontro, que ocorreu dia 10 de maio em Santana do Ipanema, o presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB), convidado pelos organizadores, já confirmou presença no debate de Paripueira.

Os presidentes da AMA, Marcelo Beltrão, e da Uveal, Hugo Wanderley, esperam reunir na cidade litorânea da região Norte do Estado, a 30 km da capital, um número de participantes tão ou mais expressivo que o registrado na cidade sertaneja. Em Santana, foram mais de mil pessoas presentes ao debate.

A finalidade do encontro é debater as necessidades regionais e envolver a bancada federal na busca de soluções para os problemas levantados. Prefeitos, vereadores, empresários, líderes comunitários e produtores rurais, entre outros setores produtivos e sociais, já confirmaram participação na cidade de Paripueira.

O prefeito de Paripueira, Abrahão Moura, também está mobilizado para oferecer todo apoiologístico ao sucesso do evento em sua cidade.

seta

São Miguel dos Campos debate Educação Infantil durante Audiência Pública

17/09/2013 08:27

Foi realizada na última sexta-feira (13), em São Miguel dos Campos, a II Audiência Pública da Educação, que teve como foco a Educação para Infância, com o tema: Por uma Educação Infantil de Qualidade.

Durante o evento foram debatidos os temas: Estrutura física, profissionais, dias e horas letivas, financiamento e proposta curricular.

A audiência foi promovida pela Secretaria Municipal de Educação (SEMED), pelo Conselho Municipal de Educação (COMED), com a participação da Câmara de Educação Infantil (CEI).

De acordo com os organizadores, a audiência teve como principal objetivo, a discussão dos temas ligados e de interesse à comunidade e o COMED, além de ouvir as sugestões, recomendações, críticas e propostas sobre a organização da oferta da Educação Infantil no município.

O evento contou com a participação de alunos (até 05 anos), pais, professores, profissionais da Educação Infantil e abrangeu tanto a educação pública quanto a privada.

A mesa da audiência foi composta pelo prefeito George Clemente, a presidente do COMED, Kátia Francisca Alves, a representante da SEMED, Enalva Vieira, a coordenadora da Educação Infantil no município, Clécia Maria, o representante do Conselho Tutelar, Sandro Andrade, a representante do Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (SINTEAL), Maria Iza Rodrigues, e a presidente da CEI, Gilvanês de Souza.

A presidente da mesa, Kátia Francisca, falou sobre a importância do momento e da realização da audiência. “Estamos aqui para decidirmos o futuro da educação de nossas crianças miguelenses. Iremos colher a opinião de cada um de vocês para que possamos buscar uma educação de qualidade”, enfatizou Kátia.

O prefeito do município, George Clemente, também citou a necessidade de se investir na educação infantil. “Nós classificamos a educação como a base de nossas vidas, então, podemos afirmar que a educação infantil é o grande alicerce da nossa formação pessoal”, destacou Clemente.

Durante a audiência, realizada no auditório do Fórum Desembargador Moura Castro, aconteceram apresentações culturais dos alunos da Escola Municipal Dionízia Apratto, além da apresentação de um vídeo com um representante de cada escola infantil de São Miguel dos Campos.

seta

Prefeita de Mar Vermelho cobra soluções para fornecimento de energia em escola do município

17/09/2013 08:03

Acompanhada do consultor do Consórcio Intermunicipal em Iluminação Pública - Cigip, Jessé Muricy, a prefeita Juliana Almeida, esteve essa semana na Eletrobrás e cobrou providencias imediatas para solucionar o problema do fornecimento de energia para a Escola Municipal Professor Orlando Lins, em Mar Vermelho. A escola atende cerca de 700 alunos e está com o laboratório de informática, com 20 computadores, impressora e ar condicionado, desativado.

Segundo a prefeita, os alunos estão sendo prejudicados. “É preciso que a Eletrobrás adote medidas necessárias para resolver as constantes interrupções de energia que atinge a escola. Estamos com computadores parados e prejudicando o programa pedagógico”, concluiu.

O consultor, Jessé Muricy, afirmou que conforme estabelecido em lei, a distribuidora deve adotar todas as providências para resolver o problema. “Diante de todos os problemas apresentados pela prefeita, solicitamos que todas as providências sejam tomadas, evitando assim, uma representação junto a ANEEL, concluiu.

seta

Feira grande terá Núcleo de Apoio a Portadores de Huntigton

17/09/2013 04:15

Especialistas de vários países estiveram em Feira Grande na última sexta-feira, 13, para participar do Encontro sobre Doença de Huntigton. O evento foi promovido pela prefeitura, através da secretaria de saúde e aconteceu no Clube Social.

O encontro contou com a presença do prefeito Veridiano Almir (PMDB), do vice-prefeito Professor César, da secretária de saúde, Ana Porto, da representante da Associação Brasil Huntington (ABH), Maria Goretti, e da representante da Associação Brasil Huntigton em Alagoas, Maria Aparecida.

Durante o encontro, a secretária Ana Porto fez uma apresentação dos casos da doença no município. Já o representante da Organização Mundial Jovem (HDYO), Matthew Elisson, e os pesquisadores Ignácio Muñoz-sunjuan, da Espanha; Cláudia Perandories, da Argentina; e Michael Orth, da Alemanha; falaram sobre a doença, explicando as causas e destacando as principais ações que deverão ser desenvolvidas.

Além dos gestores, técnicos de todas as áreas da saúde de Feira Grande e de outros municípios assistiram atentos os pesquisados, que nos próximos dias participarão no Rio do Janeiro do Congresso Mundial sobre Doença de Huntigton.

O prefeito Veridiano Almir agradeceu a secretária Ana Porto por oportunizar que servidores públicos da saúde possam se aprimorar no atendimento a pessoas com a enfermidade.

“Infelizmente, ainda temos um número alto de pessoas com a doença. Estamos fazendo o possível para que possamos melhorar os índices. Por isso, estamos criando o Núcleo de Apoio a Portadores de Huntigton”, comentou o prefeito.

Doença de Huntigton

A doença, também conhecida por Coréia Hereditária, é transmitida de pai ou mãe para os filhos, que possuem 50% de chances de herdar o mal, que ainda não tem cura. Entre os sintomas, estão movimentos anormais, declínio intelectual, distúrbios de comportamento e uma progressiva perda da capacidade funcional.

Em Feira Grande
A enfermidade atinge, normalmente, uma pessoa por dez mil habitantes. No entanto, em Feira Grande, esse número é pouco maior – 1,37. Atualmente, o município conta com 16 pacientes.

A doença foi descoberta na cidade pela odontóloga e pesquisadora Aparecida Alencar, que há alguns anos resolveu iniciar voluntariamente um estudo sobre a enfermidade que atingia a população de Feira Grande. Depois da pesquisa, a odontóloga entrou em contato com os integrantes da Associação Brasil Huntington, uma organização criada para apoiar e orientar as famílias que têm portadores da doença.

“No começo, ninguém tinha o diagnóstico, os moradores não sabiam direito o que causava a doença. Agora, sabemos que ela é hereditária e incurável, mas estamos procurando meios para melhorar a qualidade de vida das pessoas com a doença”, ressaltou.

seta

Primeira Edição © 2011