seta

12 postagens no blog

Formada pela Universidade Federal de Alagoas-UFAL. Pós graduada em Nutrição Clínica pela Faculdade São Camilo-SP. Realizou aprimoramento no Hospital das Clínicas-SP, Hospital Beneficência Portuguesa-SP e curso de extensão no AMBULIM- HC-SP, na área de obesidade e transtornos alimentares. Em Brasília, atendeu em consultório no Senado Federal. Pós graduanda em Nutrição Esportiva pela Universidade Gama Filho-RJ. Atualmente, atende em Consultório, localizado no Edifício Harmony Trade Center, sala 511, Jatiúca, Maceió-AL. Tel: (82) 3034-5540/ (82) 9992-2329.

Treinamento de corrida, como realizar?

24/09/2012 19:48

                          

        A corrida é um esporte já muito tradicional, e todos nós sabemos os benefícios desse tipo de treinamento para a saúde física e mental, pois ela contribui para o fortalecimento muscular, aumento de resistência física e ainda eleva a liberação de dopamina, hormônio esse que controla o humor, e ainda o mais interessante é o sentimento de superação que esse tipo de exercício nos proporciona. Mas para quem já tentou correr, mesmo que de forma amadora, sabe que esse é um esporte que exige uma preparação física para conseguir atingir o objetivo, seja ele relacionado ao tempo, a distância ou/e a intensidade desejada que o indivíduo espera.

      Assim, solicitei o auxílio do já conhecido personal trainer, Fabrizio Borsato, que possui a Fabrizio Borsato Assessoria Esportiva e que costuma treinar indivíduos para competições de corrida, na sua maioria amadores, como nós, para nos dar dicas relacionadas ao treinamento de corrida.

        Segundo o profissional, a pessoa que não possuí a prática da corrida, quando inicia sua preparação com a intenção de participar de competições ou porque gosta do esporte, deve iniciar seu treinamento com metas, por exemplo, alcançar 5km ou 10km, e deve alternar entre andar e correr. Esse treinamento deve acontecer cerca de 4x a 5x na semana e com a evolução do aluno, a intensidade e a distância da corrida vai se tornado mais pesada e maior, consequentemente.

     

     Contudo, o treinamento de musculação entre 2 a 4 vezes na semana, é importante para o esportista, pois ajuda principalmente a fortalecer os membros inferiores (foto), para que com isso o corpo crie mais resistência para a corrida, e dessa forma evite lesões musculares e  dores nas articulações. 

        Fabrízio ainda descreve que quando o aluno já participa de competições de alto nível, como o ironman ou triathlon, que envolve em uma mesma competição diversos modalidades esportivas, como natação, ciclismo e a corrida com duração de até 3 dias, o treino possui um ciclo com treinamento de domingo a domingo e, nos finais de semana, uma sobrecarga com a corrida e o ciclismo. Antes da competição há uma fase do polimento do atleta, geralmente nas 2 semanas que antecedem a competição, onde é interessante diminuir a intensidade e o volume do treino ou aumenta um pouco a intensidade, mas mantendo o volume baixo, para que com isso o atleta chegue treinado e descansado na competição, já na semana após a competição ocorre a semana de readaptação, para que o atleta não se sinta sobrecarregado, e assim possa iniciar novamente o ciclo de treinamento.
     

       Mas, destaca o profissional, que é de fundamental importância o acompanhamento de um profissional da nutrição para acompanhar esses esportistas ou atletas. E eu, como profissional e especialista da área, acrescento mais, que nesses casos geralmente se faz necessário o uso de suplementos nutricionais, seja de carboidratos, proteínas, isotônicos, etc. antes, durante e/ou depois dos treinos e competições, para desta forma, aumentar o desempenho do indivíduo, evitar fadigas musculares, dentre outros. Por isso o auxílio dos profissionais de educação física e nutrição são fundamentais para quem deseja ter bons resultados nos treinamentos e competições de corrida, sejam elas profissionais ou amadoras.

 

 

Karla Tenório
 

seta

ANTIOXIDANTES: Previne o envelhecimento e diversas doenças

15/10/2012 08:45

ANTIOXIDANTES


      Muito se fala nos antioxidantes, que combatem os radicais livres e dessa forma retarda o envelhecimento. Mas você sabe realmente do que se trata e quais são os seu benefícios para o corpo humano?
     Os radicais livres são substâncias formadas através de reações químicas dentro do nosso organismo e que possui importante papel na manutenção de muitas funções fisiológicas, mas, quando em excesso, produz efeitos indesejados, como a contribuição para o desenvolvimento de diversas doenças, como, as doenças do coração, problemas pulmonares, câncer, artrite e o temido envelhecimento.
     Os antioxidantes, por sua vez, presentes também naturalmente em nosso corpo, inibe a ação desses radicais livres, diminuindo seus efeitos maléficos, porém, esses antioxidantes, muitas vezes não estão em quantidade suficiente em nosso organismo, necessitando com isso, que nós busquemos esse complemento em nossa alimentação diária.
    Lembrando que o uso de alguns medicamentos, o tabagismo, o consumo de álcool, a poluição do ar e outros fatores, como a atividade física intensa, também pode diminuir os níveis de antioxidantes no nosso organismo e com isso aumentar a ação dos temidos radicais livres.
    Assim a utilização de compostos antioxidantes encontrados na dieta, tais como as vitaminas C, E e A, os flavonoides e carotenóides e os minerais selênio e zinco, é um importante mecanismo de defesa contra a ação dos radicais livres.
    Essas vitaminas e minerais são encontradas nas frutas, verduras, legumes, castanhas, cereais, vinho tinto, sendo importante consumi-los nas quantidades adequadas diariamente, e na maioria das vezes, sem a necessidade de utilização de suplementos vitamínicos, pois apenas uma unidade de castanha do Pará, por exemplo, já supre as necessidades diárias de selênio, forte antioxidante.
      Portanto, uma alimentação balanceada, rica em antioxidantes, contribui não só para efeitos estéticos, como o antienvelhecimento, mas principalmente para uma vida mais saudável!

Karla Tenório.
 

seta

Chocolate: Bom ou ruim para a saúde?

06/11/2012 13:37

  

          O chocolate sempre foi tido como um vilão para que quer perder peso ou evitar doenças, principalmente às ligadas ao coração. Mas após muitos estudos pôde-se perceber que Ele também pode trazer muitos benefícios ao corpo e por incrível que pareça, já foi usado até como medicamento entre o período de 1850 a 1900. É um alimento muito nutritivo que, além de saboroso, é uma fonte de proteínas, gorduras, cálcio, magnésio, ferro, zinco, vitaminas E,  as do complexo B e C.

    Contudo, aproximadamente 40 anos mais tarde o chocolate passou a ser uma guloseima, com mudanças em sua composição e fabricação, com a adição de açúcares, gordura, adoçantes, conservantes e com a diminuição da proporção de cacau e a partir daí o seu consumo em excesso começou a ser prejudicial à saúde.

Mas afinal quais são os benefícios do chocolate?
 

       O chocolate possuí em sua composição o cacau, que é rico em flavonoides, antioxidantes que podem auxiliar na redução dos riscos de doenças cardiovasculares, e deste pode ser extraído a massa de cacau, a manteiga do cacau e o cacau em pó e com essas matérias primas é possível produzir o chocolate amargo, ao leite e o branco.

       Os teores de antioxidantes variam de acordo com o chocolate, sendo que seus níveis aumentam do chocolate branco (mais gorduroso por ser produzido com a manteiga do cacau), chocolate ao leite, chocolate preto e finalmente o que mais apresenta antioxidantes flavonóicos é o chocolate amargo. Esse, por possuir uma alta composição de cacau, é rico em flavonoides, polifenóis e além disso, possui alta concentração de catequinas, que proporcionam o controle da pressão arterial.

    Estudos comprovaram que o chocolate amargo, aumenta em até 4% o teor de colesterol HDL no plasma (colesterol bom). Outros estudos também demonstraram que os flavonoides (antioxidantes) do cacau inibem a oxidação de LDL (colesterol ruim), e que sua alta ingestão na dieta auxilia na prevenção de doenças coronárias.
      O chocolate possui também a capacidade de estimular a produção de do hormônio serotonina, responsável pelo bom humor, ajudando a combater a ansiedade e a depressão.

Porém, cuidado com os excessos!!! 

Pois apesar de seus benefícios, o chocolate é muito calórico, podendo levar ao sobrepeso e até à obesidade. 

Karla Tenório

seta

Alimentos Diet e Light emagrecem ou não?

03/12/2012 09:08

   

     A primeira coisa que vem a nossa mente quando queremos iniciar uma dieta é consumir os alimentos na diet e light com a intensão de continuar consumindo aqueles alimentos que gostamos, mas na versão de calorias reduzidas.
    Contudo, devemos despertar para o que na verdade trocar o alimento original pelo diet e/ou light não é garantia de redução de calorias, pois nem todo alimento que possui essa denominação no rótulo engorda menos ou é mais saudável, podendo até conter em sua composição nutricional mais gorduras e/ou açucares e/ou sódio.


    Mas para esclarecer isso vamos primeiro as definições de alimentos diet e light, segundo à ANVISA:

      Alimento diet é aquele produzido industrialmente e que apresenta ausência ou quantidades bem reduzidas de determinados nutrientes (carboidratos, açúcar, sal, lactose, gordura). Nem sempre os alimentos diet apresentam baixas calorias. São criados para indivíduos que devem seguir uma dieta baseada na restrição ou redução de um determinado nutriente. Exemplo: uma pessoa com problema de taxas altas de triglicérides, deve consumir alimentos com pouca quantidade de carboidratos.
     

       Alimento light é aquele produzido com redução de, no mínimo, 25% do valor calórico em comparação ao produto tradicional . São também considerados ligth àqueles que reduzem, no mínimo, 25% de determinados nutrientes (gordura saturada, gordura total, açúcar, colesterol, sódio). Exemplo: uma pessoa obesa, que precisa perder peso, deve optar por produtos light com baixos teores de gorduras e açúcares.

      Por isso é importante antes de comprar e consumir os produtos verificar a tabela nutricional (obrigatória nas embalagens) do alimento e com isso escolher de acordo com suas necessidades e restrições alimentares. No caso de dúvida, consulte um nutricionista.

 

 

            Karla Tenório
 

seta

Ano novo, tempo de eliminar os excessos!!!

03/01/2013 12:25

Ano novo, tempo de eliminar os excessos!!!

     Final de ano é tempo de festas, confraternizações, reunião em família, porém com esses eventos vem os excessos em nosso prato e consequentemente os de calorias, o que pode levar a um aumento de peso.
    Bom, para quem conseguiu manter a dieta durante o ano, não teve com o que se preocupar, pois mereceu uma “folga”, além do que esses geralmente, apesar de tantas tentações, já possuem a consciência e o hábito de realizar exercícios para queimar esses excessos e com isso evitar um ganho de peso e se manter equilibrado em meio a tantas comidas.
    Aos que passaram o ano enrolando na dieta, homens ou mulheres, e ainda comeram tudo que poderia e não poderia no final de 2012, hora de parar para pensar como estão seus hábitos de vida e se perguntar: “Estou com sobrepeso ou obesidade?”, “Minha saúde está em dia?”, “Estou conseguindo realizar minhas atividades diárias com disposição?”, “Quero ficar em forma e com um corpo que me deixe mais confiante?”.

    Então esse é o momento de entrar em uma academia, ou começar a andar na praia, na praça, no condomínio e evitar ao máximo as gorduras, frituras, açúcares e incluir mais proteínas, vitaminas, minerais, fibras e água em sua alimentação diária e não adianta comprar no supermercado aquelas guloseimas para uma eventual necessidade, pois pode ter certeza que o que você comprar de bicoitos, salgadinhos, bolos, refrigerantes, vão ser as primeiras opções que você consumirá logo que chegar em casa ou no próximo momento de estresse, por tanto não adianta sabotar sua dieta,ok?!

    Mas veja bem, não é para deixar para amanhã ou para a próxima segunda feira, e sim para começar hoje, porque FOCO é fundamental para conseguimos conquistar nossos objetivos, concordam?
 

seta

Primeira Edição © 2011