seta

407 postagens no blog

08 de março Dia Internacional da Mulher.

04/03/2016 16:49

Ser Mulher

*Paula Guimarães

 

Você já parou para pensar quantas mulheres admiráveis estão à sua volta? Mulher batalhadora! Que não desiste! Acorda cedo, arruma os filhos para escola, cuida do esposo, que vai ao trabalho, e, no final do dia, está de prontidão para acolher sua família. Mas também encontramos mulheres que conciliam a vida profissional e familiar com a rotina de estudos, seja na faculdade, em um curso técnico ou até mesmo em casa.

Hoje podemos dizer que a mulher assumiu novas responsabilidades, está inserida no mercado de trabalho, em um mercado cada vez mais competitivo e veloz. Tudo é imediato e não pode esperar. Mas será que ser mulher é somente isso? Trabalho, estudo e família? Muito mais do que ter uma carreira profissional estável ou estar em busca dessa estabilidade, a mulher é um ser humano que tem os seus valores e princípios, que adquiriu desde a sua infância e que certamente a acompanharão para sempre.

Não perdemos e não podemos perder os nossos valores e as raízes que nos sustentam e nos impulsionam a seguir.  Como uma casa, que precisa ter as bases sólidas para então se construir as paredes e o restante da obra, assim é a nossa vida também.

Enquanto não nos conhecermos e não tivermos plena ciência de nossas raízes, as nossas decisões serão vazias, não terão sentido! Reflita! Você pode dizer a seu filho que é importante que ele não desista de seus sonhos. Mas, e você? Também luta pelos seus sonhos? Qual foi a sua última conquista? O que significa sonhar para você? Qual foi a última vez que você alimentou algum? Não tenha medo! Não tenha medo de sonhar, de decidir e de fazer escolhas. Corremos o risco de nos acomodarmos, de cairmos na rotina, de achar que somos velhos demais para começarmos um curso, para fazermos determinada viagem.

O meu conselho é que você, mulher, seja capaz de sonhar, de acreditar, movida sempre pela  esperança de dias melhores. Faça uma retrospectiva das mulheres especiais que passaram por sua vida: sua mãe, avó, tia, amigas e quantos ensinamentos você recebeu delas... É hora de colocá-los em pratica! Acredite em você!

Seja feliz! Feliz Dia Internacional da Mulher!

 

*Paula Guimarães é missionária da Comunidade Canção Nova. Jornalista e apresentadora do Programa Sorrindo pra Vida na TV Canção Nova. Autora do Livro TV Canção Nova a vida por trás das câmeras pela Editora Canção Nova.

Blog:blog.cancaonova.com/paulaguimaraes

 

seta

Três benefícios do café para a saúde da mulher

29/02/2016 16:54

Mesmo estando presente na maioria dos nossos dias, o famoso cafezinho ainda gera muitas dúvidas quando pensamos em seus efeitos sobre a nossa saúde. Não faltam mitos e verdades para embasar o assunto. Pensando nisso e para esclarecer, de uma vez por todas, essas questões, separei alguns benefícios inquestionáveis proporcionados pela presença do café em nossas vidas. Confira!

Quase um sinônimo de felicidade – não há como negar que um cafezinho logo pela manhã é capaz de operar milagres! Nos sentimos mais dispostas, bem humoradas e prontas para enfrentar qualquer  desafio que apareça no decorrer do dia! Porém, mais do que uma sensação, isso é um fato comprovado cientificamente.

Segundo um estudo publicado pela Harvard School of Public Health, mulheres que tomam até seis xícaras pequenas de café diariamente têm 20% menos chance de desenvolver depressão ao longo da vida. Normalmente, somos duas vezes mais propensas a sofrer desse problema do que os homens.

Coração protegido e saudável – Outro benefício proporcionado pelo consumo regular de café refere-se ao fortalecimento do coração. Segundo algumas pesquisas, ao beber café regularmente, suas chances de desenvolver uma doença cardíaca diminui 21%. Isso acontece porque a bebida é rica em substâncias anti-inflamatórias, capazes de prevenir dilatações das placas de gordura nas artérias e, consequentemente, diminuindo o risco de entupimento dos vasos e de quadros de acidente vascular cerebral e infartos.

Mais resistência ao câncer – por ser uma grande fonte de antioxidantes, o café é também um excelente aliado na prevenção de alguns cânceres, protegendo além do coração, diversas outras partes do seu corpo. No nosso caso, o destaque está para a redução na incidência do câncer de pele e de útero.

Segundo informações fornecidas pelo hospital americano Brigham and Women’s, no caso do primeiro, a redução é de 20%. Entretanto, o uso do protetor solar continua sendo imprescindível quando estamos expostas aos raios solares, o café é só um reforcinho extra.

Já em relação câncer de útero, o risco de ocorrência diminui cerca de 7%. Isso porque um dos elementos presentes na composição do café é o ácido clorogênico, substância associada à prevenção de uma série de doenças, especialmente o desenvolvimento de tumores mais comuns em mulheres, como no endométrio.

Amigo da boa forma – se você ainda tinha alguma dúvida se deveria incluir o café na sua dieta, seus problemas acabaram! Além de todos os benefícios já citados, a bebida também é uma ótima parceira na conquista da boa forma.

De acordo com o PhD David Levitsky, da Cornell University nos EUA, a cafeína age no estômago e no duodeno fazendo com que a digestão seja mais lenta e o metabolismo mais acelerado, assim engordamos menos com a mesma refeição. Além disso, o café tem pouquíssimas calorias e, como eleva nossa taxa metabólica em 11%, ainda nos ajuda a queimar umas gordurinhas extras.

Outro ponto positivo é que depois de tomar um cafezinho, liberamos mais adrenalina na corrente sanguínea, o que nos torna mais dispostas para praticar atividades físicas. Basta aproveitar a oportunidade.

Com todos esses benefícios, o café ainda tem a vantagem de ser delicioso e, assim como o amor, não podemos viver sem ele!

Liana Baggio Ometto é fundadora da Baggio Café.

Sobre a Baggio Café:

www.baggiocafe.com.br - (19) 3541 7000

A história da família Baggio com o cultivo de café iniciou-se em 1886, quando Salvatore Baggio, imigrante italiano, chegou à região da Alta Mogiana, no interior de São Paulo. Com muito trabalho, em 1890, comprou seu primeiro pedaço de terra. Logo foi crescendo pelo estado de São Paulo, Paraná e em meados dos anos 70 seus descendentes expandiram a produção para o sul de Minas Gerais. O carinho e a tradição do cultivo foram transmitidos de geração para geração, sendo preservado o conceito artesanal e puro deixado pelos ancestrais, associado a uma tecnologia de ponta e ao acompanhamento de agrônomos renomados. Em 2006, Liana Baggio Ometto, bisneta de Salvatore, resolveu dar um novo e importante rumo à história da família, criando a marca Baggio Café. A empresa utiliza um delicado processo para torrar os grãos produzidos nessas fazendas para transformá-los num saboroso e diferenciado produto. O portfólio atual inclui as linhas Baggio Gourmet (duas vezes eleita como Melhor Café do Brasil, pela ABIC), Baggio Bourbon (também premiado pela ABIC), Baggio Aromas, Gran Reserva, Caffé.com e Fatto Uno.

seta

Qual é o perfil do empreendedor ideal?

17/02/2016 15:51

Segundo dados de uma pesquisa realizada pelo Sebrae e Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), e divulgada pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), o Brasil é o primeiro no ranking mundial quando o assunto é empreendedorismo. Mas o que leva tantos brasileiros a empreender?

Ainda de acordo com os dados, 34 a cada 100 brasileiros adultos – entre 18 e 64 anos – possuem ou estão envolvidos na criação de uma empresa, refletindo no índice de 34,5% de empreendedores. Entretanto, outros países considerados mais desenvolvidos estão abaixo no ranking por apresentar um índice menor, como é o caso da China, com 26,7%, Estados Unidos, 20%, e Reino Unido, 17%, e Japão, 10,5%, que fecham os cinco primeiros colocados. Além disso, o estudo também afirma que ter seu próprio negócio é o terceiro sonho mais comum entre os brasileiros (31%), perdendo apenas para ter uma casa própria, 42%, e viajar pelo país, 32%.

Para Madalena Feliciano, diretora de projetos da Outliers Careers, o Brasil sempre esteve entre os mais empreendedores, porém, a causa disso está mudando ao longo do tempo. “Uma grande parcela dos brasileiros pensa em ter seu próprio negócio. Porém, a grande justificativa disso era a necessidade de arranjar um emprego. Ou seja, muitos desempregados criavam a sua empresa. Hoje, esse o cenário mudou. 71 a cada 100 brasileiros abrem seu negócio por enxergar uma oportunidade. 95% das mais de 10 milhões de empresas do país são pequenos negócios”, revela.

Mas qual o perfil para ser um empreendedor de sucesso? Madalena afirma que a primeira coisa necessária é saber se planejar. “Não dá para abrir um negócio sem saber exatamente o que fazer e como fazer. É importante ter um planejamento e por isso que ter atitude, estar determinado e comprometido são aspectos fundamentais também ao mesmo tempo que você é inteligente emocionalmente e se autoconhecer”, conta.

A inteligência emocional, dita por Madalena, refere-se a ter, por exemplo, a cabeça aberta para novas ideias, aceitando críticas e sugestões. “Ser adaptável a mudanças pode ser essencial para o sucesso. De repente, a ideia inicial pode não estar dando certo e o empreendedor precisa ter jogo de cintura e saber contornar a situação. A persistência diante obstáculos é um fator decisivo na vida das empresas, afinal, segundo o Sebrae, 75,6% das empresas sobrevivem após dois anos”.

E, acima de tudo, ter preparo e atualizar constantemente suas informações também são grandes diferenciais. De acordo com Madalena, não existe mais a desculpa de querer economizar pois existem diversos cursos e palestras grátis, até mesmo pela internet. Além destes, livros, sites e pesquisar também são formas de obter aprendizados, já que o conhecimento do gestor ajuda a minimizar suas angústias e, consequentemente, riscos do empreendimento.

Dessa forma, a especialista apresenta um mini-perfil de um empreendedor de sucesso. “A pessoa deve tomar a iniciativa de criar o negócio e se segurar a essa ideia. Esse perfil necessita que você saiba muito bem seu produto ou serviço, assim como as tendências do mercado no ramo escolhido. Ela tem que ter uma boa rede de contatos e saber como fazer seu marketing pessoal bem feito, além, é claro, de ter a capacidade de gerir a empresa financeiramente de uma maneira organizada e ter a capacidade para aproveitar oportunidades que o mercado propõe e a iniciativa de arriscar”, conclui.

Madalena Feliciano

Diretora Geral da Outliers Careers e do Instituto Profissional de Coaching

seta

2016 será o ano da Reforma da Previdência?

12/02/2016 16:37

Em suas primeiras palavras diante o parlamento brasileiro, a Presidente da República, Dilma Rousseff, mais uma vez invoca a necessidade de uma reforma previdenciária e que tal ocorrência há de ser construída no presente ano de 2016, usando, mais uma vez, a justificativa conhecida do ajuste fiscal e estabilidade econômica, aliás, termos mais do que presentes dos últimos anos.

 Sem sombra de dúvidas, essa reforma há muito se espera, aliás, tem sido alvo de projetos governamentais nos estágios eleitorais, porém, de forma completa, justa, igualitária e responsável, ela nunca saiu do papel.

Tivemos sim meras mini-reformas ou mudanças pontuais, com regras confusas e negativamente inovadoras, criando novos pressupostos de jubilação, sem uma técnica mais acurada.

No entanto, o recente discurso presidencial chama destacada atenção por sua ousada perspectiva no tocante a reforma, já que em alto e bom som, apregoa a necessidade de uma regra única tanto para homens quanto para mulheres, uma idade mínima a todos, regras paritárias aos rurais, bem como as aposentadorias dos servidores públicos.

Se vê então, ao contrário dos anos anteriores, que o discurso mudou, já não mais anunciando a necessidade de restrições a bem das contas previdenciárias, mas sim, mudar, para termos equilíbrio e justiça.

Evidente que o esforço deve ser geral, amplo e bem discutido na sociedade para esse importante intento, contudo, há de se ressaltar que biologicamente há diferenças entre trabalhadores homens e mulheres, diferenças entre obreiros do campo e da cidade, divergências jurídicas entre celetistas e os estatutários.

Assim, não seria essa a igualdade a ser observada, pois, no trato previdenciário, existem diversas diferenças entre os sujeitos participantes, bem como dos regimes previdenciários desses relacionados.

O discurso poderia ser sim de um compromisso amplo acerca de melhorias na Previdência Social, o aprimoramento de sua estrutura, ampliação de sua política de divulgação, novos concursos, novas agências, mais clareza de seus produtos, qualificar a perícia médica, capacitar seus servidores, dialogar com a sociedade seus rumos vindouros, enfim, planejar um novo sistema previdenciário a base, sobretudo, da participação efetiva de seus envolvidos.

Esse o único modelo pensando na carta constitucional de 1988, que projetou um sistema aberto, acessível e que abriga seus participantes de forma efetiva e qualitativa, não podendo ser mais uma vez, massa de manobra para uma não comprovada oscilação econômica.

De igual modo, a pretensa igualdade etária em determinados benefícios, seja a homens e a mulheres, que tecnicamente deve ser bem explorado para que notórias injustiças não ocorram.

Ademais, sabido que temos um país grandiosíssimo e continental, com divergências culturais, econômicas e climáticas em toda a sua extensão, de modo que uma regra única sem regionalização da discussão pode produzir nefastas injustiças sociais.

Também, igualar o regime previdenciário dos servidores públicos com as demais regras do regime geral, o que é extremamente incompatível por diversos aspectos técnicos que prolongariam o vertente e modesto pensamento.

Enfim, a justiça de um modelo previdenciário está muito além de uma discussão meramente de reforma da legislação, mas sim, dar relevo a todo o seu contexto na sociedade através do diálogo institucional com seus destinatários, que justificam a sua razão de existir.

 

Sérgio Henrique Salvador -  Especialista em Direito Previdenciário pela EPD/SP e em Direito Processual Civil pela PUC/SP. Ex-Presidente da Comissão de Assuntos Previdenciários da 23ª Subseção da OAB/MG. 

seta

11.02 - Dia Mundial do Doente

11/02/2016 18:45

Este ano celebraremos o XXIV Dia Mundial do Doente, e para isso o Papa Francisco, no dia 15 de setembro de 2015, publicou sua mensagem para esta ocasião. O Dia Mundial do Enfermo é celebrado sempre no dia 11 de fevereiro, memória de Nossa Senhora de Lourdes.

     A mensagem deste ano tem como tema: “Confiar em Jesus misericordioso, como Maria: ‘Fazei o que Ele vos disser'” (Jo 2, 5). Cada ano é escolhido um Santuário Mariano para ser a sede dessa celebração. Neste ano, a XXIV Jornada Mundial do Enfermo será celebrada de maneira solene na Terra Santa e também dentro do Ano da Misericórdia. Por isso o Papa reflete em sua mensagem sobre o relato evangélico das Bodas de Caná, em que Jesustransforma a água em vinho.

          O ponto culminante deste dia será a Celebração da Santa Missa em honra a Nossa Senhora de Lourdes, e precisamente em Nazaré, onde “o Verbo Se fez homem e veio habitar conosco” (Jo 1, 14). Em Nazaré, Jesus deu início à sua missão salvífica, aplicando a Si mesmo as palavras do profeta Isaías, como nos refere o evangelista Lucas: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu para anunciar a Boa-Nova aos pobres; enviou-me a proclamar a libertação aos cativos e, aos cegos, a recuperação da vista; a mandar em liberdade os oprimidos, a proclamar um ano favorável da parte do Senhor” (4, 18-19).

          Nas Bodas de Caná, percebemos que Maria é uma mulher solícita e que, na sua sensibilidade, vê que algo está faltando para aqueles esposos recém-casados: acabou o vinho. Imaginemos o tamanho vexame para o casal. O vinho é símbolo da alegria da festa. Não poderia faltar a alegria na festa e nem naquele recém-constituído lar. A Virgem Maria vê que faltou o vinho e pede ao seu Filho que face algo: “não tem vinho” (Jo 2,3). Jesus logo diz: “Que queres de mim, mulher? Minha hora ainda não chegou” (Jo2, 4b). Maria ainda diz: “Fazei tudo o que ele vos disser” (Jo 2,5).

         Então Jesus realiza o milagre, transformando uma grande quantidade de água em vinho, um vinho que logo se revela o melhor de toda a festa.

Assim, que ensinamento podemos tirar para a Jornada Mundial do Doente, da narração das bodas de Caná? Podemos ver a princípio a postura de Jesus, Ele, ouvindo o apelo de sua mãe, realiza o primeiro milagre, que é da água que transforma em vinho. Vemos a tamanha misericórdia de Jesus para com o casal e com todos os partícipes da festa. Segundo o Papa Francisco: “em Caná, manifestam-se os traços distintivos de Jesus e da sua missão: é Aquele que socorre quem está em dificuldade e passa necessidade. Com efeito, no seu ministério messiânico, curará a muitos de doenças, enfermidades e espíritos malignos, dará vista aos cegos, fará caminhar os coxos, restituirá saúde e dignidade aos leprosos, ressuscitará os mortos, e aos pobres anunciará a boa nova (cf. Lc 7, 21-22). E, durante o festim nupcial, o pedido de Maria – sugerido pelo Espírito Santo ao seu coração materno – fez revelar-se não só o poder messiânico de Jesus, mas também a sua misericórdia”.

         Vemos, também, a postura de Maria, mulher e mãe muito solícita e muito próxima na necessidade do povo. Ela vê a necessidade e logo roga a seu Filho, Aquele que provém o milagre. A palavra chave de Maria neste Evangelho é: “Fazei tudo o que ele vos disser” (Jo 2,5). Maria pede não somente aos serventes, mas a todos naquele momento e em todos os tempos que cumpramos a vontade de Jesus. Podemos pedir a Jesus misericordioso, pela intercessão de Maria, Mãe d’Ele e nossa, que nos conceda a todos a mesma disponibilidade ao serviço dos necessitados e, concretamente, dos nossos irmãos e irmãs doentes.

         Nós podemos ser mãos, braços, corações que ajudam a Deus a realizar os seus prodígios, muitas vezes escondidos. Ressalta o Papa Francisco: “também nós, sadios ou doentes, podemos oferecer as nossas canseiras e sofrimentos como aquela água que encheu as vasilhas nas bodas de Caná e foi transformada no vinho melhor. Tanto com a ajuda discreta de quem sofre, como suportando a doença, carrega-se aos ombros a cruz de cada dia e segue-se o Mestre (cf. Lc 9, 23); e, embora o encontro com o sofrimento seja sempre um mistério, Jesus ajuda-nos a desvendar o seu sentido”.

         Nesta celebração do Dia Mundial do Enfermo, rezemos por todos os doentes do mundo. Dentro do ano santo extraordinário da misericórdia uma das obras de misericórdia é visitar os doentes, levar a eles nosso alento e nossa proximidade física, bem como espiritual. Em nossa Arquidiocese, a sugestão da obra de misericórdia deste mês é exatamente essa.

         Além disso, é um tempo propício para convidarmos as pessoas para participarem da Pastoral da Saúde ou dos Enfermos, tão necessária para a missão de misericórdia na evangelização de nosso povo. A proximidade da Igreja junto aos que sofrem e junto aos familiares ou cuidadores dá sentido às dores e cruzes por que todos passam. Essa pastoral necessita ser ainda mais incrementada em nossas paróquias e, em especial, nos hospitais. Para isso existem os encontros de preparação, as equipes que trabalham nas várias áreas e um grupo arquidiocesano que coordena essa pastoral.

         O Papa Francisco em sua mensagem, além dessa proximidade do enfermo, também faz referência aos que cuidam dos mesmos e recorda a importância desse carinho. Sem dúvida que a pastoral dos enfermos ou da saúde é essa presença que necessita ainda mais de cristãos de coração abertos para anunciarem e testemunharem o Evangelho.

Por isso, devemos renovar nosso compromisso com esta pastoral importante da visita e do conforto. Que Nosso Senhor passe no leito ou ainda na casa de cada um para dar o amparo necessário. Este amparo que é físico, mas, sobretudo espiritual. 

Orani João, Cardeal Tempesta, O.Cist.

Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ 
seta

Primeira Edição © 2011