seta

326 postagens no blog

Confira dicas para ir bem no Exame da OAB

12/07/2018 17:51

São Paulo, julho de 2018 – A primeira fase do Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) acontece no próximo dia 05 de agosto e Victor Maia, CEO da EduQC, plataforma com metodologia de estudo autodidata com base em inteligência artificial, dá dicas para os advogados serem aprovados. Confira:

  1. Agora o aluno deve revisar os resumos que produziu durante seu preparo para a primeira fase. Deve revisar e escrever os modelos de peças, bem como praticar questões discursivas das provas anteriores. É o momento de se familiarizar com o Vade Mecum físico.

  1. As principais matérias a serem revisadas são somente direito material e processual da área escolhida. É importante decorar os principais modelos de peças e conhecer os demais.

  1. É importante que o aluno intercale intervalos para descanso durante o estudo, pois essa pausa é muito importante para o cérebro processar o conteúdo que foi estudado.

  1. Reservar o dia anterior à prova para lazer ou atividades físicas: isso ajuda a manter a tranquilidade para o exame. Tudo o que precisava ser estudado e revisado já foi feito.

O principal fator a atrapalhar o estudante na hora de fazer a prova é a ansiedade e o nervosismo. Por esse motivo, praticar e saber o nível do seu próprio conhecimento é fundamental para estar confiante durante o exame. Historicamente, cerca de 40% passam para a segunda fase, desses, metade consegue ser aprovada, ou seja, a chance global de reprovação é 80% do total de candidatos.

 

Após os passos anteriores, é hora de polir os conhecimentos adquiridos durante os 5 anos de faculdade. "Se este não for o seu momento, comece desde já a se preparar para a próxima oportunidade. Em média, o preparo para elevar as chances de aprovação do candidato acima dos 80% requer dedicação de 10 horas semanais líquidas durante 6 meses", finaliza Maia.

 

Sobre EduQC

Fundada em 2013 por Victor Maia e Jonas Fagundes, a EduQC é uma plataforma que utiliza inteligência artificial e metodologia exclusiva para aumentar as chances de aprovação em concursos públicos, identificando a proficiência dos candidatos em cada matéria e criando planos de estudo sob medida. A tecnologia está disponível para provas relacionadas a 10 áreas, incluindo Fiscal, Jurídica e Policial, e também para o Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A empresa ainda oferece um serviço B2B destinado a universidades.

seta

Cinco passos para prevenir e tratar celulite

09/07/2018 10:59

A celulite não é uma condição médica grave, porém causa desconforto à muitas mulheres. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, 95% do público feminino é acometido pelos indesejados furinhos que deixam desníveis na pele e são causados pelo acúmulo de gorduras, toxinas e água nas células, resultado de condições hormonais, genéticas, ou externas, como má alimentação, sedentarismo, uso de anticoncepcionais e tabagismo.

“As alterações no tecido gorduroso em conjunto com modificações na circulação, hormonais aumentam o tecido fibroso são alguns fatores que causam aparência de casca de laranja na pele. Nos graus avançados a celulite pode até causar dor, porque promove a compressão de terminações nervosas locais”, explica Ingrid Peres, fisioterapeuta dermato-funcional e gerente científica da ONODERA Estética. 

Abaixo, Ingrid separou cinco dicas  para prevenir e tratar esse grande incômodo feminino. Confira:

Alimentação Saudável - Apostar em uma dieta balanceada ajuda na redução da gordura corporal e, consequentemente, melhora a aparência da pele. Um cardápio composto por frutas, legumes, verduras, e alimentos com fibras é importante para ingestão de antioxidantes que favorecem a eliminação de toxinas. “O consumo em excesso de refrigerantes, doces e sódio pode aumentar o problema, porque fazem o organismo reter mais líquido”, explica a especialista

Hidratação - Ingerir 2 litros de água por dia auxilia na eliminação de toxinas, pois grande parte delas são expulsas do organismo por meio do suor e urina. Se não houver hidratação suficiente esse processo fica comprometido. “Além de diminuir a retenção de líquidos, beber bastante água melhora a circulação sanguínea resultando na prevenção do aparecimento da celulite”, completa.

Exercícios Físicos - A prática de atividade física favorece na queima de gorduras, melhora o metabolismo e a circulação sanguínea. “Alterne exercícios aeróbicos e fortalecimento para eliminar gordura e combater a flacidez”.

Abandone o cigarro - Fumar prejudica a circulação, diminui a quantidade de oxigênio, nutrientes e aumenta a produção de radicais livres.  Fatores que juntos estimulam o aparecimento da celulite.

Tratamentos estéticos - Aliados às outras dicas, os procedimentos podem ajudar a diminuir o incômodo em um menor espaço de tempo. “Um dos tratamentos mais modernos é o Shock Wave da ONODERA, técnica não invasiva que utiliza ondas acústicas de intensidade elevada para gerar alto impacto que atingem o tecido de gordura. O procedimento promove uma quebra dos triglicerídeos, aumenta a oxigenação local e melhora a circulação sanguínea na região. É indicado para graus leves a graves”, finaliza Ingrid.

Sobre a Onodera Estética

Com mais de 36 anos de tradição em sua área de atuação e uma completa equipe multidisciplinar, a ONODERA Estética oferece serviços e tratamentos estéticos exclusivos voltados para a beleza, entre eles, serviços de tratamento corporal, facial e medicina estética. Atualmente, são mais de 1200 colaboradores dedicados ao bom atendimento de seus clientes, além das cerca de 55 unidades localizadas em todas as regiões do país.

seta

Fervor verde, amarelo e bissexto

05/07/2018 10:43

As ruas quase vazias de Porto Alegre, nos instantes anteriores ao início do jogo contra o México, e o fervilhante acúmulo de pessoas diante dos telões em todo o Brasil, reafirmaram, hoje (02/07), o quanto é singular e bissexta nossa exaltação patriótica.

          Roendo unhas e unindo as palmas das mãos em oração, aquelas multidões exibidas na TV me trouxeram à mente os versos de Cassiano Ricardo em “Exortação” (muito provavelmente suprimidos dos repertórios escolares). Em torno da magia do gramado mesclavam-se, abraçavam-se, exclamavam-se, como que saídos da pena do poeta, os filhos do imigrante loiro e diferentes gerações que ele proclamou filhas do sol, do mar e da noite. Basta olhá-los para reconhecer os traços marcantes de diferentes etnias, num convívio alegre e espontâneo que a sociologia de relógio atrasado, gostaria de apartar, imputar culpas, construir conflitos e gerar contas a pagar.

          A seleção brasileira desmente os “intelectuais” farsantes. Desmente-os dentro do gramado, nas arquibancadas e nas multidões reunidas na praça. O Brasil mal-humorado deve ter fechado os olhos para não ver tanto verde e amarelo num cenário onde não se conseguia vislumbrar sequer um pedaço de trapo vermelho.

          O brasileiro ama o Brasil. Ele foi ensinado, porém, a repudiar esse sentimento. Foi sonegado a ele o direito de conhecer sua identidade, de ser informado sobre toda a dignidade presente na nossa história, de admirar o valor dos grandes vultos da pátria e seus exemplos. Maus brasileiros, industriados à tarefa professoral de “formar para a cidadania”, dedicam-se, como baratas, a correr pelos cantos escuros do passado em busca do lixo perdido (que país não o tem?). Nesse triste caminhar rejeitam as virtudes, os grandes exemplos e as nobres realizações (que outro país faz isso?). Até das estampas de nossas cédulas essas figuras notáveis sumiram para ceder vez a onças e araras, como me observou, recentemente, um leitor atento.

          Não surpreende que, no desdobramento, a mal-amada pátria resulte na mal tratada pátria. Até que um belo dia – verde, amarelo e bissexto – o amor explode, a emoção enche os corações e traz lágrimas aos olhos. Claro. Como não chorar sentimentos tão sonegados e contidos?

* Percival Puggina (73), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o Totalitarismo; Cuba, a Tragédia da Utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil, integrante do grupo Pensar+.

seta

Tenho escoliose, o que fazer agora?

28/06/2018 11:16

Em esporte radical ou uma simples caminhada, o risco de machucar é sempre presente, porém até uma má posição do corpo, no trabalho, por exemplo, desenvolverá dores nas costas, em especial a coluna, independente da área ou função.  Especificamente a coluna, sobre com uma doença denominada escoliose, segundo o médico Rodrigo Boechat da Clínica de Fraturas do Hauer, em Curitiba, é “o nome dado ao desvio lateral da coluna vertebral. Pode ocorrer na região torácica ou na lombar, para a direita ou para a esquerda, quase sempre acompanhada da rotação das vértebras (elas "torcem", giram no próprio eixo). Escolioses funcionais, ligadas à má postura, são reversíveis com exercícios, fisioterapia e outros métodos de reabilitação”.

Porém, há diferença nos tipos de escoliose, como elenca o médico:

As escolioses estruturadas, são curvas rígidas e não reversíveis, sendo patologia que frequenta consultório dos Ortopedistas com Área de Atuação em Cirurgia de Coluna. Podem resultar de doenças neurológicas, neuromusculares ou são ditas "idiopáticas", sem causa conhecida. Essas últimas são as mais comuns, ou seja, ocorrem em adolescentes saudáveis.

As curvas podem aparecer na infância, mas a maioria é detectada na adolescência, a partir dos 10 anos. Estudos indicam que atingem entre 6% e 15% da população, sendo a grande maioria meninas (constituem até 90% dos casos). Alterações hormonais da puberdade parecem atuar também como causa, explicando o acometimento comum no segundo estirão de crescimento. O fato é que o desvio aparece por volta de 10, 12 anos e progride rapidamente. Há casos em que o ângulo da curvatura aumenta 1 grau por mês. O mais comum é que não ultrapasse os 20 graus. Até esse patamar, os médicos indicam apenas fisioterapia para o fortalecimento dos músculos e acompanhamento rotineiro, com radiografias. O jovem não sente dores e em geral não tem problemas na vida adulta. Somente quando os 20 graus são ultrapassados indica-se o uso de coletes. Há três tipos, basicamente: o de Milwalkee, que vai do quadril até o pescoço; o de Boston, do quadril ao tórax; e a órtese tóraco-lombo-sacra (OTLS), que sobe até pouco acima da cintura, mais voltada para desvios exclusivamente lombares.

Tratamento

A escoliose tem tratamento, uma das maneiras é o uso contínuo do colete, como explica o médico Rodrigo Boechat da Clínica de Fraturas do Hauer, “os coletes devem ser usados 23 horas por dia, reservando-se apenas 1 hora para a higiene e/ou prática de atividade física. Eles não fazem a coluna voltar à posição normal, mas ajudam a conter o agravamento do desvio. Caso a curva não seja contida com o colete, e atinja o ângulo de 40º, a cirurgia já pode ser indicada”, ou seja, na utilização do colete a coluna retorna a uma inclinação saudável com o decorrer do tempo, isto é, o tempo que for utilizado para retornar a coluna ou normal, ou para mantê-la.

Entretanto para resultados breves, a cirurgia é uma opção. De acordo com o médico “na cirurgia da escoliose, com o uso de hastes, ganchos e parafusos, o cirurgião aumenta ou diminui o espaço entre as vértebras, corrigindo a sua posição. Não é uma operação simples, principalmente quando a curva é muito acentuada. Apesar do cuidado extremo dos médicos e da existência de equipamentos que ajudam a manter as condições do paciente sob controle, há risco de paralisia, caso a medula seja comprometida. Além disso, é preciso considerar que a cirurgia elimina os movimentos da região alterada, uma vez que as vértebras são fixadas na nova posição. Por todos esses motivos, é uma alternativa reservada às situações realmente graves. E nesses casos, diga-se, pode resultar em melhoras significativas”, isto é, mesmo na cirurgia, os cuidados e alertas devem ter máxima atenção.

Apesar da cirurgia ser cuidadosa, existem recursos, com a qual é possível retardar qualquer efeito negativo na operação, como descreve o médico.

A monitoração da medula no intra-operatório é fundamental para trazer segurança na inserção dos implantes e na correção das deformidades, uma vez que as funções da medula são verificadas com o paciente inconsciente, anestesiado. Para isso é necessária toda uma programação distinta da anestesia, sem uso de gases que inibem as respostas medulares medidas nos aparelhos.

Outros recursos disponíveis na cirurgia de escoliose envolvem a auto-transfusão de sangue no intra-operatório, onde por meio de uma máquina chamada "Cell Saver", o sangue aspirado do campo cirúrgico não se perde, ele passa por vários filtros para retirar impurezas e é transfundido novamente para o próprio paciente. Em alguns casos, bem conduzidos, apesar do tamanho da cirurgia, a transfusão de sangue pode ser evitada.

Serviço: Clínica de Fraturas Hauer

Dr. Rodrigo Boechat

Ortopedista Especializado em cirurgia da coluna vertebral

CRM 20072

seta

26 de junho: data história na memória brasileira

26/06/2018 15:09

O dia 26 de junho de 1968 ficou marcado na história brasileira como um dos acontecimentos mais significativos na memória do país. Há 50 anos ocorreu nas ruas da Cinelândia (RJ) a Passeata dos Cem Mil. A manifestação popular, uma das mais expressivas da história, foi organizada pelo movimento estudantil, e protestava contra a política educacional adotada pelo governo, que tendia à privatização.

Apesar de ser organizada pelo movimento estudantil, a manifestação contou com a presença de diversos artistas, intelectuais e políticos. A massa era encabeçada por uma enorme faixa que dizia “Abaixo a Ditadura. O Povo no Poder”. O ato durou cerca de três horas, e acabou em frente à Assembleia Legislativa. 

No livro Cravo Vermelho, o autor Virgilio Pedro Rigonatti detalha com maestria a década de 60, pelos olhos de seu alter ego, Pedrina. A narrativa passeia pelo fatos marcantes da história brasileira, como as manifestações estudantis e a luta da população contra a ditadura militar, como a Passeata dos Cem Mil:

“Mais de cem mil participantes desfilaram pelas avenidas cariocas em direção à catedral da Candelária, sendo ovacionados pela população espremida nas calçadas e sob uma forte chuva de papel picado que caia dos prédios. Líderes se revezavam nos discursos pregando o restabelecimento da liberdade de expressão, de reunião, de manifestação; o fim do autoritarismo, das prisões por motivos políticos e da truculência dos órgãos repressores; a reforma do ensino e das instituições; conclamavam a participação ativa da sociedade, especialmente dos jovens...

O clima era de empolgação e de crença na possibilidade de mudar o mundo: bastava a participação e o voluntariado de todos.”

A partir da Passeata dos Cem Mil, as manifestações foram crescendo exponencialmente, e cada vez mais fortemente reprimidas, com prisões e mortes de vários estudantes. O ato final da repreensão chegou ao seu ápice em dezembro daquele ano, com a instituição do Ai-5, o mais duro ato da Ditadura.

Emitido pelo presidente Artur da Costa e Silva, o AI-5 decretou a perda de mandatos de parlamentares contrários aos militares, intervenções ordenadas pelo presidente, que consequentemente resultou na institucionalização da tortura.

Se na época as vítimas de tortura, e suas famílias, não tinham amparo necessário, a partir de 1997 elas passaram a ter. Já que após 29 anos, a ONU instituiu o Dia Internacional de Apoia às Vítimas de Tortura, coincidentemente no dia 26 de junho. A data visa combater as práticas horríveis de tortura, além de oferecer total apoio às vítimas.


Ficha Técnica:Cravo Vermelho

Autor: Virgilio Pedro Rigonatti
Editora: Ler e prazer
ISBN: 978-85-94183-00-2
Páginas: 292
Preço: R$44,90

Sobre o autor: Nascido em 22 de março de 1948, no bairro de Vila Anastácio, na cidade de São Paulo, Virgilio Pedro Rigonatti começou a escrever aos 60 anos. Desde sempre o contador oral das riquíssimas histórias da família, descobriu um prazer imenso em escrever ao registrar em um blog a trajetória do clã. Após lançar seu primeiro livro, Maria Clara, a Filha do Coronel, pela Editora Gente, romance baseado na vida de sua mãe, decidiu fundar a sua própria editora, a Lereprazer, cujo título de estreia é este Cravo Vermelho. Atualmente, Virgilio prepara o lançamento da sequência de Maria Clara e trabalha em um novo romance.

seta

Primeira Edição © 2011