seta

313 postagens no blog

8 dicas para abrir seu negócio online

15/05/2015 07:39

Atualmente, o mercado de vendas online encontra-se em constante crescimento, tanto no mundo, quanto, especialmente, no Brasil. Em 2014, o comércio eletrônico no país foi extremamente forte na área de informática, eletrônicos e roupas ligadas à seleção brasileira de futebol, por estar perto da Copa do Mundo FIFA.

Em 2015, espera-se que haja um grande crescimento em lojas de nicho, especializados em roupas ou consumo de comida em restaurantes locais, por exemplo. A tendência, para este ano, é que o e-commerce seja focado em itens de necessidade básica, sendo que boa parte das rendas online serão feitas por meio dos dispositivos móveis, como smartphones e tablets, já que, em 2014, cerca de 7% das vendas pela internet foram realizadas via mobile, e esse número tende a crescer.

Com informações como estas, fica claro que investir em lojas online, já possuindo lojas físicas ou não, é uma boa opção. Entretanto, é preciso ter um mínimo de conhecimento básico antes de desbravar esta nova área, pois toda a preocupação que pode existir em uma loja física precisa ser lembrada em um e-commerce. Por exemplo, assim como uma loja física precisa ser organizada e limpa para agradar os olhos do cliente, é preciso ter o mesmo cuidado com a loja online, pensando no design, por exemplo.

Segundo Jonathan Souza e David Nudelman, criadores da Agência Publicidade Popular, de Porto Alegre, muitas pessoas pensam que, porque o ambiente é online, algumas preocupações, como a apresentação dos produtos, não são tão importantes, quando, na verdade, é muito pelo contrário, já que o cliente precisa sentir confiança na qualidade dos produtos ao acessar o site.

Os fundadores listaram 8 dicas importantes para quem quer abrir um e-commerce, confira:

1.   Imagem dos produtos

Segundo os empresários, pensar na imagem dos produtos que serão vendidos online é essencial, pois eles são o "cartão de visita" do seu negócio;

2.   Estoque de Produtos

"Venda apenas o que você pode produzir, vender e não entregar prejudica muito a reputação da sua loja online", explica Souza;

3.   Noções de Informática

De acordo com os sócios, para administrar suas vendas online, é preciso ter o mínimo de conhecimento sobre sua plataforma de vendas. "Ter ajuda de uma equipe para manter seu site sempre funcionando bem é fundamental, mas é preciso que o proprietário saiba, de maneira básica, mexer na sua própria página, para caso aconteça alguma emergência", diz Nudelman;

4.   Divulgação

Quem não faz propaganda, não possui clientes e nem faz sucesso. Para isso, sua loja precisa ser divulgada e campanhas na web, o que ajudará nas vendas;

5.   Atendimento

" Ter uma pessoa que seja responsável por sua loja online é importante para respostas rápidas aos seus clientes", afirma Souza. Ou seja, como a Internet funciona 24h por dia, é preciso ter alguém para dar suporte ao atendimento de seus clientes por boa parte da jornada diária;

6.   Identidade Visual

Assim como eu uma loja física, a aparência da loja online precisa transmitir credibilidade, confiança e transparência para seus clientes;

7.   Logística

"Pense na melhor estratégia de entrega dos seus produtos. Prazos e qualidade de entrega são fundamentais para sua loja ser um sucesso, afinal, ninguém gosta de quem não cumpre o que foi prometido", pontua Nudelman;

8.   Conta Bancária

Para melhor controle das contas da empresa, o recomendado é que o proprietário faça uma conta bancária empresarial, separando o pessoal do profissional;

Serviço: Publicidade Popular

Sites: www.publicidadepopular.com.br

 

seta

Três passos para se antecipar ao cliente e oferecer as melhores soluções

14/05/2015 09:05

Recentemente, um estudo divulgado pela empresa de pesquisas Loudhouse, em parceria com a SAP, mostrou uma realidade cada vez mais comum no universo das vendas. Entre dez empresas pesquisadas, 75% dos compradores sentem que estão à frente do vendedor na hora da negociação.

Apesar de não ser o ideal, é muito comum que os clientes saibam mais que o profissional de vendas quando eles são abordados em termos de informação sobre o mercado e o produto. Esse fato é facilitado porque a população tem se especializado em consumo. Além disso, o auto-serviço tem ganhado a atenção do consumidor e, consequentemente, deixado ele cada vez mais autônomo em suas decisões.

A tecnologia também colabora para essa independência na hora de comprar, com a facilidade ao acesso de informações relevantes de cada segmento. Atrelada a isso, está a escassez de inovação que deixa os itens e serviços ofertados semelhantes. O cliente passa a não ver diferença entre os produtos de empresas concorrentes.

Por outro lado, com as demandas da rotina, o profissional de vendas acaba se preparando menos que o comprador, que está sim mais atento em relação às tendências e possibilidades de seu mercado. Ao chegar à reunião, o cliente sabe tudo sobre o produto que será oferecido, às vezes, até mais que o próprio vendedor.

Porém, ainda é possível se diferenciar em um mercado saturado pelas mesmas ideias e compradores mais espertos! Veja abaixo três passos que podem mudar o rumo de uma venda e a opinião do consumidor:

1-   Repertório adequado - O vendedor profissional precisa, de fato, se preparar mais. Com uma abordagem específica, ele deve ir para uma reunião com um case de sucesso daquele segmento. Para falar com o cliente, é necessário ter uma história relacionada ao mundo dele. Se não, fatalmente, o consumidor vai se sentir mal atendido.

2-   Credibilidade – É necessário ouvir a necessidade no momento da abordagem. Em vez de falar do produto logo no início e correr o risco do cliente saber mais do que você, pergunte qual o problema que ele enfrenta e como acha que o seu produto pode ajudá-lo. Dessa forma, você vai conquistar sua confiança e deixar uma porta aberta para que ele fale das suas reais necessidades.

3-   Diferenciação – Depois da “consulta investigativa” sobre o que o cliente realmente precisa, é possível oferecer algo a mais. Dessa forma, você consegue se destacar em relação ao concorrente e evita demonstrar falta de conhecimento. É necessário oferecer uma solução e ainda se diferenciar para garantir a preferência!

Com esses três passos, você conseguirá o que todo mundo busca: vender uma solução. E se você não propõe solucionar um problema, oferece aquilo que todo mundo já proporciona. Quer correr o risco de demonstrar que as únicas diferenças entre o seu produto e o do concorrente são o preço e disponibilidade? Fuja disso! Ouça o seu cliente e faça uma proposta diferenciada!

*Mário Rodrigues é diretor do Instituto Brasileiro de Vendas (IBVendas)

seta

Princípios Morais

13/05/2015 07:43

“É certo, meus queridos amigos: que todo homem deve ser pronto para ouvir, porém é preciso aprender a refletir sobre os atos para que a ira não se instale; porque a ira do homem não cumpre a nossa necessidade de partilha ao vivermos em comunhão de propósitos.

É preciso rejeitar tudo aquilo que seja capaz de corromper a mente para permaneceres em equilíbrio de propósito, e estando em equilíbrio a informação recebida terá a devida serventia em sua vida; caso contrário seria promover o engano a si mesmo.

Aquele que ao receber estímulos descarrega a expressão de seu pensamento sem verdadeiramente estar em sintonia de propósito assemelha-se a alguém que contempla num espelho a fisionomia que a natureza lhe deu: contempla-se e, mal sai dali, esquece-se de como era. Mas aquele que procura refletir com atenção a lei perfeita da liberdade e nela persevera – não como ouvinte que facilmente se esquece, mas como cumpridor fiel do preceito -, este será feliz na sua caminhada de vida.

Se alguém pensa ser generoso, mas não refreia a sua língua e engana a si próprio, ao manifestar o contraditório, então é vã sua intenção de solidariedade com outros seres. A união pura e sem mácula aos olhos deste compartilhamento da vida e dos valores individuais é esta: se importar com aqueles que precisam de auxílio e estar presente nos momentos em que o conflito instalar em suas mentes para juntos encontrarmos as soluções que o aproximem do compartilhamento do amor, e conservar-se puro da corrupção deste mundo através desta expressão de conhecimento. ”

Max Diniz Cruzeiro – A Bíblia a luz da Neurociência (Mensagem de um Ateu).

 

Existem muitas formas de dizer a mesma mensagem. Quero ouvir a sua expressão do pensamento que manifesta sua vivência sobre este tema www.lenderbook.com me escreva: lenderbook@gmail.com  E sugira textos para repassarmos para uma linguagem neurocientífica.

 

Link completo onde está o versículo Bíblico que deu origem ao texto:  http://www.lenderbook.com/#v54

seta

Ansiedade e compulsão alimentar

11/05/2015 06:16

Segundo uma pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), O Brasil é o 4º país mais ansioso do mundo, com 23% de sua população ansiosa. Esta é uma reação normal diante de situações que podem provocar medo, dúvida ou expectativa. Por exemplo, antes de embarcar em um avião, o nascimento de um filho e uma cirurgia delicada, são situações que geram ansiedade, e de maneira compreensiva.

Entretanto, se essa condição perdura por mais de seis meses, sendo acompanhada por sintomas como inquietação, fadiga, irritabilidade, perturbação do sono e dificuldade de inquietação, se trata do transtorno da ansiedade generalizada (TAG), distúrbio caracterizado pela preocupação excessiva ou expectativa apreensiva. A ansiedade também pode causar a pessoa a comer compulsivamente, ou seja, comer além do que necessário e de modo rápido, independente de se sentir saciado.

Segundo a coach de emagrecimento Cintia Seabra, a ansiedade é o que faz as pessoas comerem mais do que deveriam, e possui diversas causas, como, por exemplo, quando a preocupação sobre o futuro se sobrepõe ao viver no presente. "Para gerenciar bem o seu peso, é necessário gerenciar bem a sua vida. Pessoas ansiosas geralmente comem muito pois usam o alimento para preencher o que falta nas suas vidas - prazer, afeto, companhia, etc", conta a profissional.

Ela, que já ajudou milhares de brasileiros a emagrecer com seu programa online “O Segredo do Emagrecimento”, acredita que, para emagrecer, é necessário fazer esforços e encarar a vida de frente, encontrando as causas para sua ansiedade, e tratando-as. "Na hora de se alimentar, é preciso pensar no que aquela comida vai lhe trazer de bom, e o que ela representa; sustento ou compensação. A medida que você parar de carregar suas preocupações e problemas, a comida vai passar a alimentar somente seu corpo, e não mais sua alma", finaliza Cíntia.

 

Saiba mais no vídeo:www.youtube.com/watch?v=XMTea8mlQiU&feature=youtu.be

Serviço: Cintia Seabra 

Master Coach  e ​​Psicóloga Clínica

cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.osegredodoemagrecimento.com.br

 

 

 

 

 

seta

10/05 DIA DAS MÃES

08/05/2015 16:57

Por caracterizar-se como alimento completo, a Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza o aleitamento materno exclusivo até o 6º mês de vida do bebê. De acordo comFlavia Morais, coordenadora de nutrição da rede Mundo Verde, o leite materno apresenta em sua composição imunoglobulinas - substâncias que formam o sistema imunológico do bebê. “O leite materno aumenta as defesas, prevenindo o aparecimento de doenças como otites, infecções respiratórias, intestinais e urinárias, além de diminuir o risco de diarreias. Pesquisas mostram que a mortalidade infantil é menor em crianças amamentadas ao seio e, ainda, que o aleitamento materno exclusivo previne contra alergias”, explica. 

 

Além de reforçar o vínculo emocional entre mãe e filho, o ato de amamentar também beneficia a mamãe sob vários aspectos. Os riscos de câncer de mama e ovário são reduzidos, além da amamentação contribuir para a mulher recuperar a forma mais rapidamente. Nesse sentido, Flavia alerta que durante a amamentação não existem motivos para começar uma dieta das mais radicais, que podem comprometer a produção e quantidade de leite materno, prejudicando a nutrição do bebê. “Para produzir a quantidade ideal de leite, é necessária uma alimentação balanceada e muita hidratação.Manter uma dieta rica em grãos e cereais integrais, frutas e verduras, e alimentos que sejam boas fontes de proteínas, cálcio e ferro, além de evitar o consumo de frituras, são dicas simples e saudáveis”, reforça a especialista.

Para as mamães vegetarianas, os cuidados devem ser ainda maiores. “As vegetarianas devem verificar se estão ingerindo as quantidades certas de vitaminas para garantir um leite de qualidade para o bebê. Uma consulta com uma nutricionista pode ser a melhor forma de elaborar um cardápio com lanches e refeições saudáveis”, recomenda Flavia.

Confira agora o que não pode faltar no cardápio das mamães, tanto durante a gestação quanto após o parto:


Linhaça e óleo de peixe:

Fontes de ômega 3, nutriente essencial para o desenvolvimento cerebral e visual. O consumo de fontes de ômega 3 pelas mães contribui para o desenvolvimento cognitivo do bebê e das habilidades de comunicação, além de reduzir as taxas de alergias e asma. 

Frutas vermelhas e roxas (açaí, morango, cereja, amora, mirtilo, cranberry):

Possuem alto teor de antioxidantes que têm sido relacionados com a saúde vascular, da visão e cerebral.

seta

Primeira Edição © 2011