seta

343 postagens no blog

Novembro Diabetes Azul – Nordeste recebe ações de conscientização sobre a doença

31/10/2018 15:12

O azul de novembro também lembra a necessidade de conscientizar a população sobre o diabetes, doença que acomete mais de 778 mil pessoas na região Nordeste do Brasil, de acordo com último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde (2013). A campanha mundial organizada pela International Diabetes Federation (IDF) tem como mote para este ano “Família e Diabetes”, a fim de evidenciar o papel do núcleo familiar para prevenção e controle da doença.
 
No país, a ação é promovida pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), instituição responsável pela reinserção do Novembro Diabetes Azul no Calendário de Eventos do Ministério da Saúde. “Foi um avanço importante da Advocacy da Sociedade com a ADJ Brasil e a FENAD, além de mais um grande passo para a integração com o staff técnico-político do Ministério da Saúde”, comenta Hermelinda Pedrosa, médica endocrinologista e presidente da SBD.

No Ceará, a regional da SBD prepara atividades como Pedal Azul, Mutirão de “Olho no Olho”, Fórum Multidisciplinar e Sessão Clínica da Sociedade Brasileira de Diabetes com a de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). Já a regional pernambucana promove a divulgação de material educativo em serviços de saúde e campanha de detecção e orientação no Shopping RioMar.  Rio Grande no Norte receberá palestras, caminhadas e ações em shopping. Em Sergipe, a estadual organiza campanhas na capital e no interior.

*A SBD também está em ações conjuntas com as regionais da SBEM na Paraíba, onde haverá palestras e eventos em praças públicas e shoppings. No Piauí, ocorrerão: Mutirão Nacional da Saúde, palestas de advocacy, iluminação na ponte Estaiada, palestras e aferições de glicemia no SESC, aula no auditório do CRM sobre contagem de carboidratos, caminhada, piquenique azul, e campanhas nos ambulatórios de diabetes dos Hospitais Universitário, Getúlio Vargas e Lineu Araújo*.

Veja a agenda completa das atividades no Novembro Diabetes Azul clicando aqui.

SAVE THE DATE – 1º de Novembro 

O lançamento da campanha está agendado para 1º de novembro, durante uma Sessão Solene na Câmara de Deputados, presidida pela deputada Carmen Zanotto, que coordena a Frente Parlamentar Mista pela Causa do Diabetes.

Estimativa da IDF aponta que, em todo o globo, 425 milhões de pessoas convivem com o diabetes, das quais mais de um milhão são crianças e adolescentes com o tipo 1. No Brasil, o número aproxima-se dos 13 milhões. Regionalmente, os dados brasileiros serão atualizados também em 1º de novembro, quando o Ministério da Saúde divulgará o boletim epidemiológico.

Apoio familiar impacta diretamente o manejo do diabetes

De acordo com a especialista, o tema da campanha chama atenção para influências comportamentais e clínicas da família, que representa o grupo primário de relacionamentos e é capaz de impactar a saúde de seus integrantes. “O diabetes é uma doença crônica e exige mudanças efetivas nos hábitos cotidianos do paciente e da família, inclusive na relação com alimentos e exercícios físicos. É um processo educacional contínuo”, afirma.

Tal questão é ainda mais presente quando o diabetes acomete crianças e adolescentes. Isso porque as atitudes familiares repercutem na aceitação ou não dos mecanismos de enfrentamento da doença. Assim, Pedrosa destaca que todo o núcleo familiar deve estar envolvido, já que no diabetes tipo 1 é dos pais a responsabilidade dos cuidados.

“O manejo da doença é complexo e demanda integração com todas as atividades diárias. O ambiente no qual a pessoa está inserida tem papel fundamental na forma como ela lida com o diabetes, e isso impacta o sucesso ou a falha do tratamento”, avalia a presidente da SBD.

Cuidado específico para cada tipo de diabetes

O diagnóstico do diabetes tipo 1 acontece geralmente na infância e adolescência, o que aumenta a responsabilidade familiar. Aqui, englobam-se alimentação saudável, controle da glicemia, condução da insulinoterapia, identificação e ação perante episódios de hipoglicemia. “A atenção especial da família ao processo de transição, conforme a criança cresce e chega à adolescência, é fundamental para que a conscientização e o autocuidado se ampliem naturalmente”, reforça Pedrosa.

Já o diabetes tipo 2 surge, em geral, na fase adulta e está ligado à resistência à ação e diminuição da produção de insulina no pâncreas, ação deficiente de hormônios intestinais, dentre outros. A obesidade, dislipidemia (elevação do colesterol e triglicerídeos), hipertensão arterial, histórico familiar da doença ou de diabetes gestacional, e o processo de envelhecimento são os principais fatores de risco. O tratamento demanda mudanças no estilo de vida – ao receber o diagnóstico do diabetes, as adaptações da rotina devem ser intensificadas, sobretudo na eliminação de alimentos inadequados e do sedentarismo.  Principalmente nesse caso, a família também pode ter impacto tanto positivo quando negativo na qualidade de vida.

“O envolvimento proativo da família aumenta o comprometimento de quem recebeu o diagnóstico, seja criança, adolescente, adulto ou uma pessoa idosa, e motiva um seguimento com mais chance de êxito resultando em melhor controle, mais qualidade de vida e menor frequência de complicações. Além disso, favorece o engajamento a associações de pessoas com diabetes, para buscar melhorias para o tratamento nas esferas governamentais e, claro, em campanhas de alerta para prevenção”, afirma a presidente da SBD.

Sobre a SBD
Filiada à International Diabetes Federation (IDF), a Sociedade Brasileira de Diabetes é uma associação civil sem fins lucrativos, fundada em dezembro de 1970, que trabalha para disseminar conhecimento técnico-científico sobre prevenção e tratamento adequado do diabetes, conscientizando a população a respeito da doença e melhorando a qualidade de vida dos pacientes. Também colabora com o Estado na formulação e execução de políticas públicas voltadas à atenção correta dos pacientes, visando a redução significativa da doença no Brasil.
Conheça nosso trabalho: www.diabetes.org.br
 

seta

Bolsonaro é um perigo real

24/10/2018 09:38

A eleição de Jair Bolsonaro para a presidência do Brasil representaria um perigo real para o país, avalia D. André de Witte. O bispo de Ruy Barbosa, no Estado da Bahialamenta o excesso de prudência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB “que conheceu períodos mais proféticos que hoje”.

A reportagem é de Jacques Berst, publicada ´por  cath. ch, agência católica da Suíça, 19-10-2018. .

D. André de Wittebispo belga que vive no Brasil desde 1976, falou de seus temores no dia 18 de outubro de 2018em Genebra.

Ele testemunhou na ONU a realidade brasileira a convite da“Franciscans International”, uma ONG que tem o estatuto de consultora junto à ONU. Ela faz um trabalho de ‘advocacy’ em favor dos direitos humanos, pela promoção da justiça, da paz e da proteção da criação. D. de Witte foi ameaçado de morte, nas redes sociais, por partidários de Bolsonaro.

“A parte podre da Igreja católica”

Mas ele não é o único alvo: até a muito prudente CNBB foi chamada, juntamente com o Conselho Indigenista Missionário – CIMI, pelo  favorito da eleição presidencial, de “ser a parte podre da Igreja católica”.

Há vários dias, circula nas redes sociais um vídeo onde o ‘caudilho’ do Partido Social Liberal insulta a Conferência Episcopal Brasileira com linguagem vulgar, como é seu costume.

Nostálgico da ditadura que ensanguentou o Brasil de 1964 a 1985, com seu cortejo de militantes e de simples civis torturados, assassinados ou exilados, Bolsonaro demonstrou, no curso da sua longa carreira política, sua hostilidade aberta contra a Igreja católica.

antigo militar visa, sobretudo os setores mais comprometidos com as causas sociais e os direitos dos mais pobres. Ele não hesitou, certa vez, de na tribuna do Congresso Nacional, dizer que o cardeal Paulo Evaristo Arns, um dos grandes opositores da ditadura militar, era um homem “sem honestidade” e um “aproveitador”.

O papa Francisco também foi tratado de “comunista”

Há muito tempo que “o populista Bolsonaro nos insulta, lamenta D. André de Witte, pois ele não suporta nosso compromisso social, nossa vontade de participar na construção de uma sociedade justa e solidária... Nós somos qualificados de ‘comunistas’ quando nós perguntamos porque há tanta pobreza, quando nós buscamos as causas. O papa Francisco sofreu os mesmos ataques... É o caminho do Cristo!”

                                                                                                                              2

Frente aos ataques, D. André de Witte lamenta, com palavras cuidadosas, o excesso de prudência da CNBB: “numerosos são os bispos que têm medo de falar francamente. Falta uma mensagem imediata e clara. O povo se ressente desta falta”.

Para o bispo de Ruy Barbosa, não se trata de atacar uma pessoa, mas de analisar seu projeto político, pois o que está em jogo é, de qualquer maneira, a alternativa entre um “projeto de vida” e um “projeto de morte”. “Bolsonaro tem um discurso racista, prega a discriminação contra as populações negras, contra as mulheres, quer suprimir a demarcação das terras indígenas na Amazônia”, afirma o presidente da CPT, pois os povos autóctones são considerados como um obstáculo para o desenvolvimento.

“Bandido bom é bandido morto...”

“Sua atitude é perigosa: ele prega a violência armada, afirmando que bandido bom é bandido morto... Ele quer mais repressão e até recompensar os policiais que saem atirando nos delinquentes. Ele quer mais prisões e menos recursos para a educação. Ele quer reforçar a segurança sem analisar os problemas sociais que são, em grande parte, a raiz da ‘insegurança”, detalha D. André de Witte.

O candidato à presidência se deixa fotografar, ao lado de crianças, com armas de fogo: “mostrando para as crianças a maneira de manejar um fuzil... Ele incita à violência contra o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra – MST, apoiando os grandes proprietários de terra. É um programa perigoso para a sociedade”.

Apoiado por evangélicos conservadores, entre os quais o ‘bispo’ Edir Macedo, líder da multinacional “Igreja Universal do Reino de Deus” – IURD e proprietário do Grupo Record e da Rede Record, a segunda maior do Brasil, Bolsonaro se beneficia do poderoso instrumento de propaganda. Ele manipula setores da Igreja católica se dizendo a favor da vida, contra o aborto e partidário da família tradicional contra o casamento de gays.

“Mas não é mais que um discurso”, diz D. André de Witte, lamentando que a campanha eleitoral não contribuiu para a reflexão. Trata-se, antes de tudo, de uma atitude antissistema: “não se quer mais o Partido dos Trabalhadores, o PT, que é acusado de todos os males, principalmente de fazer propaganda nas escolas em favor da homossexualidade. Os partidários de Bolsonaro difundem nas redes sociais uma multidão de ‘fake news’, de informações falsas, como, por exemplo, a distribuição de um kit gay nas escolas. Este kit nunca existiu!”

bispo de Ruy Barbosa lamenta que os grandes meios de comunicação, como a Rede Globo, não fazem corretamente o seu trabalho. “Não temos meios de comunicação que informem corretamente, que analisem, que coloquem os temas em perspectiva, formem as consciências, alertando para o risco dos perigos que estão por vir. Talvez não seja algo voluntário, mas uma omissão que, no entanto, pode se tornar uma cumplicidade. Ainda espero, antes que seja tarde, que toda a sociedade acorde face ao grande perigo que se anuncia!”.

 

seta

TSE: Se ele é culpado, cumpra o seu dever

22/10/2018 19:03

assine agora


O TSE está investigando relatos confiáveis de que aliados de Bolsonaro gastaram quantias ilegais gigantescas promovendo sua campanha. Se isso for provado, é crime eleitoral. Vamos exigir que, se for culpado, ele seja acusado de tais crimes e desqualificado da eleição. Assine a petição agora:  
ASSINE AGORA
O TSE está investigando relatos confiáveis de que aliados de Bolsonaro gastaram quantias ilegais gigantescas promovendo sua campanha - criando até 300 mil grupos de WhatsApp e alcançando até 75 milhões de brasileiros e brasileiras!

Mas e se o próprio Bolsonaro for culpado, o que eles farão? Eles ficarão tentados a deixar passar, mas é uma questão de democracia, justiça e Estado de direito não permitimos que líderes tomem o poder ilegalmente.

Nós lutamos muito e por muito tempo contra a corrupção para aceitar uma eleição fraudulenta. Pior ainda, existem muitas evidências de que milhões de reais foram gastos para espalhar um tsunami de fake news e mentirassobre o Haddad -- mais um ataque profundo e ilegal à nossa democracia. 

Podemos discordar sobre quem será o melhor presidente para o país, mas certas coisas vêm acima da política. Precisamos insistir que NINGUÉM está acima da lei. Se tem uma mensagem que une todos os brasileiros e brasileiras é: FORA CORRUPÇÃO! Vamos exigir que se o TSE considerar Bolsonaro responsável por essa fraude gigantesca, ele seja acusado de tais crimes e desqualificado da eleição: 

TSE: investigue Bolsonaro já! 

A nossa comunidade representa pessoas de diferentes opiniões políticas, e a Avaaz nunca apoiou ou se opôs à eleição de nenhum político no Brasil. Nosso movimento foi crucial no processo da Ficha Limpa e para acabar com votos secretos no Congresso. Isso não é sobre política, é sobre corrupção.

Facebook, YouTube e principalmente o WhatsApp são as ferramentas preferidas de forças corruptas para tirar o poder do povo e se beneficiarem com isso. Mas essa nova tática tecnológica é mais nociva que as velhas estratégias -- os políticos mais corruptos estão realizando uma verdadeira lavagem cerebral em milhões de pessoas, enchendo suas mentes e corações com ódio e mentiras para que virem seus apoiadores!

Ainda bem que isso ainda é ilegal no Brasil. Existem acusações de que o PT cometeu fraude eleitoral -- como o vídeo da urna eletrônica programada para votar no Haddad -- mas já foi comprovado que os vídeos são falsos, verificado pelo próprio TSE e analistas independentes. Esse é só mais um exemplo do tsunami de fake news ilegais e das mentiras com que fomos bombardeados. Se o TSE descobrir que Bolsonaro esteve envolvido nesses crimes, eles devem proteger nossa democracia e responsabilizá-lo: 

TSE: investigue Bolsonaro já! 
Nosso país está numa jornada. Temos combatido a corrupção como nunca, mas a reação dos políticos mais corruptos entre nós foi de tirar vantagem desse momento para chegar ao poder. Essa é a hora. Deixaremos que a corrupção decida quem serão nossos governantes ou lutaremos de uma vez por todas, como nunca antes, por justiça e verdade? Cabe a nós lutar por isso. Vamos escolher lutar pelos nossos filhos e seu futuro. 

Com esperança e determinação, 

O time da Avaaz. 

PS -- O time anticorrupção da Avaaz está fiscalizando as fake news online e acompanhando o esforço de fact checkers independentes como o Comprova, uma coalizão das 24 maiores empresas de notícias de todos os espectros políticos. Uma porcentagem alta das fake news descobertas são atacando o candidato Haddad. Existem muitas razões verdadeiras para criticar o PT, mas não podemos deixar que mentiras nos manipulem. Aqui vão alguns exemplos dessas mentiras (por favor compartilhe para ajudar outros cidadãos a combater as fake news):
  • Haddad distribuiu mamadeiras em formato de pênis nas escolas
  • Urnas eletrônicas automaticamente votam em Haddad
  • Áudio de Haddad e Manuela conspirando contra o Bolsonaro e o exército
  • Ficha Limpa proíbe Haddad de concorrer
  • Haddad apoia pedofilia e incesto em livro

Mais informações:

Empresários bancam campanha contra o PT pelo WhatsApp (Folha de S. Paulo)
https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/empresarios-bancam-campanha-contra-o-pt-pelo-whatsapp.shtml

TSE abre ação de investigação da campanha de Bolsonaro mas nega busca e apreensão em empresas (G1)
https://g1.globo.com/politica/eleicoes/2018/noticia/2018/10/19/tse-abre-acao-de-investigacao-da-campanha-de-bolsonaro-mas-nega-busca-e-apreensao-em-empresas.ghtml

WhatsApp notifica agências que disparam mensagens anti-PT (Folha de S. Paulo)
https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/whatsapp-notifica-agencias-que-disparam-mensagens-anti-pt.shtml
seta

Carta de Médicos alagoanos pela Democracia para o Dia dos Médicos 18/10

18/10/2018 20:04

MÉDICOS E MÉDICAS CONTRA O FASCISMO

Nós, médicos, médicas e estudantes de medicina, organizados enquanto coletivo, por meio deste manifesto, nesse dia do médico, em 18 de outubro de 2018, nos posicionamos contrariamente a essa onda de intolerância, de preconceitos e de exclusão social que cresce em nosso país.

Somos decisivamente contra a onda fascista que avança no país. O fascismo caracteriza-se como uma ideologia autoritária, que repudia as liberdades democráticas e os direitos humanos. Persegue com objetivos de aniquilamento os que considera inimigos, os que pensam diferente, os que não compartilham dos mesmos valores culturais e políticos. O fascismo também se fundamenta na adesão acrítica a líderes que se apresentam com áurea mítica e defendem ações de força e violência como meio para resolução das questões sociais e políticas. O fascismo, em síntese, é a face política da violência cotidiana. É visceral e violentamente contrário aos princípios de liberdade, da dignidade humana, da verdade e da justiça social.

A medicina é - antes de tudo - o respeito à vida. Enquanto médicos e médicas que tem por dever a defesa do bem estar biopsicossocial, não podemos ser favoráveis a alguém que defenda abertamente valores exaltados pelos fascistas, como tortura, misoginia, xenofobia, racismo e homofobia. Nada disso combina com a defesa de uma vida digna e saudável.

Nesse sentido, repudiamos veementemente qualquer alusão favorável ao pior período de nossa história, a ditadura militar, como faz com veemência o candidato à presidência da república Jair Bolsonaro. Não toleraremos qualquer retrocesso que seja em direção a esse passado tenebroso e nos posicionamos firmemente contrários a todos aqueles que defenderem algo parecido.

Nos somamos àqueles que desejam um país que respeita e abraça a diversidade, que esteja comprometidos com o combate à desigualdade social e com a promoção da justiça social por meio da garantia ao acesso universal aos direitos essenciais: saúde, educação, cultura, liberdade, lazer, segurança, entre outros. Combateremos, democraticamente, àqueles que se posicionam contra essas conquistas do povo e dizemos em alto e bom som:

NÃO AO FASCISMO ! PELA DEMOCRACIA!

A quem mais quiser somar,  mais informações: medicospelademocraciaal@gmail.com

 

Formulário para assinar   carta:         https://goo.gl/forms/WR6KEbAfhsB6pQm62

 

 

  1. Adelson Silvestre Júnior – médico
  1. Adilson Monteiro dos Santos Filho - estudante de medicina
  1. Agatha Prado de Lima - estudante de medicina
  1. Agatha Prado de Lima - estudante de medicina
  1. Alex Sandro Ferreira de Souza - estudante de medicina
  1. Alexandre de Almeida Souza Omena - médico
  1. Alexandre Elias de Albuquerque Sarmento Omena - médico
  1. Aline Wanderley Barros - estudante de medicina
  1. Alysson Yuri dos Santos Alves - estudante de medicina
  1. Amanda Ferreira Barbosa - estudante de medicina
  1. Amaralina Alicia Lourenço Portela - estudante de medicina
  1. Ana Carolina Rocha de Jesus - estudante de medicina
  1. Ana Clara Silva Carvalho - estudante de medicina
  1. Andrew Candido Tavares da Costa - estudante de medicina
  1. Anienne Barbosa Gusmão do Nascimento - médica
  1. Anna Caroline Moreira Tenório - estudante de medicina
  1. Antonio Henrique Pedrosa - médica
  1. Antonio Henrique Pedrosa Neto – médico
  1. Antonio Martins de Mesquita Neto  - estudante de medicina
  1. Ariela Assis Avelino - estudante de medicina
  1. Arinaldo de Sousa – médico
  1. Arthur Ramos Ferreira Sampaio - estudante de medicina
  1. Bianca Carvalho de Assis - médica
  1. Bianca Rocha de Albuquerque - estudante de medicina
  1. Bruna Gomes de Castro - médico
  1. Bruno de Lima Fontan- médico
  1. Caio dos Santos Cabral – médico
  1. Caio Tosta Ribeiro - estudante de medicina
  1. Caíque Rocha Neves - estudante de medicina
  1. Camila Fraga Palmeira - médica
  1. Camila Sossai Hupsel Celestino – médica
  1. Carlos Emídio de Mota Araújo – médico
  1. Carolina Pinto de Góes Omena - estudante de medicina
  1. Christianni Sabino Coelho Marinho Falcão - estudante de medicina
  1. Clélia Rocha Miranda - médica
  1. Clélia Rocha Miranda - médica
  1. Dalton de Moura Ferreira Lima - estudante de medicina
  1. Danilo Bastos Bispo Ferreira - médico
  1. Delza Gitai - médico
  1. Diandra Santos Oliveira - estudante de medicina
  1. Diego Pereira Gregório de Andrade - estudante de medicina
  1. Diogo Ciríaco Lira - médico
  1. Edinoi Rodrigues Brito Filho - médica
  1. Edivânia Alves - estudante de medicina
  1. Elaine Maria Quintiliano Cabral - médica
  1. Elka Karollyne Alves Santos - estudante de medicina
  1. Elvys dos Santos Pereira - estudante de medicina
  1. Emannuela Bernardo da Silva - estudante de medicina
  1. Emanuelle Magda de Melo Silva - estudante de medicina
  1. Euclides Mauricio Trindade Filho - médico
  1. Fabio Oliveira – médico
  1. Fabricio Ferreira de Aquino - médico
  1. Felipe Augusto Fagundes Camillo - estudante de medicina
  1. Fernanda Bastos Bispo Ferreira - estudante de medicina
  1. Fernanda de Macedo ferreira – médica
  1. Fernanda de Macêdo Ferreira - médica
  1. Flávio Teles de Farias Filho - médico
  1. Francisco de Freitas Machado Netto - médico
  1. Gabriela Alves Teixeira - estudante de medicina
  1. Gabriella Sampaio Bringel - médica
  1. Gabriella Soares Pereira dos Santos - estudante de medicina
  1. Geanderson Santana da Silva - estudante de medicina
  1. Giovana Bonfim Almeida - estudante de medicina
  1. Giovanna Leite Araujo - estudante de medicina
  1. Girlane Dias da Silva - estudante de medicina
  1. Girlane Dias da Silva – estudante de medicina
  1. Guilherme Augusto Moreira Lucas - estudante de medicina
  1. Guilherme Calixto dos Santos Neves - estudante de medicina
  1. Guilherme Monteiro Constant - estudante de medicina
  1. Gustavo Mendonça Ataíde Gomes - estudante de medicina
  1. Hammel Phillipe dos Santos Amorim - médico
  1. Hélder Silva de Melo - estudante de medicina
  1. Henrique Santos Marques - médico
  1. Hermé Vasconcellos de Gusmão Verçoza - médico
  1. Heros Muniz Barreto Vieira - estudante de medicina
  1. Iehudhe Ravel Farias de Albuquerque - estudante de medicina
  1. Igor Castro - médico
  1. Ingrid Karoline Freitas Guedes Lins - estudante de medicina
  1. Ingrid Rocha Antunes - estudante de medicina
  1. Iris Maria de Miranda Correia  - estudante de medicina
  1. Isadora Cardozo Roza Barreto - estudante de medicina
  1. Isis carvalho Miranda - estudante de medicina
  1. Isis Carvalho Miranda - estudante de medicina
  1. Israel Moreira Ramos de Souza  - estudante de medicina
  1. Janine Carneiro Folha - médico
  1. Janine Maria Oliveira Dias - estudante de medicina
  1. Jessica Erculano da Silva - estudante de medicina
  1. Jéssika Lays Dos Santos Medeiros - estudante de medicina
  1. Jessyca Andrade Leite - estudante de medicina
  1. João Aderbal Raposo de Moraes – médico
  1. João Ancelmo dos Reis Neto - estudante de medicina
  1. João Ancelmo dos Reis Neto - estudante de medicina
  1. Joao Henrique Chagas Soares - médico
  1. João Marcos Rodrigues Oliveira - - estudante de medicina
  1. João Marcos Rodrigues Oliveira – estudante de medicina
  1. João Paulo dos Santos Correia - estudante de medicina
  1. João Paulo Gomes da Silva - estudante de medicina
  1. João Paulo Porto Dias - médico
  1. João Victor Campos da Silva – médico
  1. João Victor Castro Villela - estudante de medicina
  1. Jonas Augusto França Santos - estudante de medicina
  1. Jonathan Chagas Feitosa – médico
  1. Jonathan Soares Agricio - estudante de medicina
  1. José Arthur Campos da Silva - estudante de medicina
  1. José Arthur Campos da Silva - estudante de medicina
  1. José Arthur Campos da Silva - estudante de medicina
  1. José Edvilson Castro Brasil Junior - médico
  1. José Ismair de Oliveira dos Santos - estudante de medicina
  1. José Robson Casé da Rocha - estudante de medicina
  1. José Ronaldo Cavalcante da Rocha Freitas - estudante de medicina
  1. José Ruthely Silva Pacheco - estudante de medicina
  1. José Wanderley Neto – médico
  1. Judemar Pacheco de Macedo - médico
  1. Júlia Guimarães Lima - estudante de medicina
  1. Júlia Morgado Nunes da Costa - estudante de medicina
  1. Júlia Silva Ferreira - estudante de medicina
  1. Juliana Maria Palmeira canuto – médica
  1. Juliana Seara dos Santos Vieira - estudante de medicina
  1. Juliana Seara dos Santos Vieira - estudante de medicina
  1. Julio Onofre de Oliveira Tavares - médico
  1. Kamilla Peixoto Bandeira - estudante de medicina
  1. Karlos Eduardo Alves Silva - estudante de medicina
  1. Kassiele Menezes Silva - - estudante de medicina
  1. Kathia Monielly Tenorio Nunes - médica
  1. Kelvyn Melo Vital - médico
  1. Lais de Carvalho Silva - estudante de medicina
  1. Laís Elizabeth Canabarro Martins- médica
  1. Lais Gomes de Oliveira - médica
  1. Lais Quintiliano Pedroza - médica
  1. Laís Rosa Farias Magalhães - estudante de medicina
  1. Lara Moreira de Souza Farias - estudante de medicina
  1. Laura Caroline Fuhr - estudante de medicina
  1. Laura Marques Angelo Neto  - estudante de medicina
  1. Lauro José Pedroza Lima – médico
  1. Leonardo Alves Pasqua  - estudante de medicina
  1. Leonardo Lopes Fortes Melro - estudante de medicina
  1. Letícia Marques Rodrigues Lins  - estudante de medicina
  1. Letícia Moreira de Souza   - estudante de medicina
  1. Letícia Moreira de Souza  - estudante de medicina
  1. Linda Patricia Viana da Silva - estudante de medicina
  1. Luciana Constant – médica
  1. Luciene Duarte de Alencar - médica
  1. Ludercio Morais de Andrade - estudante de medicina
  1. Lycia Gama Martins - estudante de medicina
  1. Maíra de Albuquerque Viégas - médica
  1. Maitê Passos Costa - estudante de medicina
  1. Manuel Cavalcante de Lacerda Neto – médico
  1. Marco Viegas da Matta de Souza - estudante de medicina
  1. Marcos Antonio de Medeiros Rocha – médico
  1. Marcos Leonardo Farias Correia - médico
  1. Marcus da Rocha Sampaio- médico
  1. Maria Carolina de Araújo Marques - médica
  1. Maria Carolina de Araújo Marques – médica
  1. Maria Cecilia Alvim Farias ­ estudante de medicina
  1. Maria Clara Domingos de Araújo Sousa - estudante de medicina
  1. Maria Clara Motta Barbosa Valente - estudante de medicina
  1. Maria Clara Sousa Lima  - estudante de medicina
  1. Maria Gabriela Luz Macêdo - estudante de medicina
  1. Maria Helena Leitão Gomes - estudante de medicina
  1. Maria Julia Gadelha Xavier Martins - estudante de medicina
  1. Maria Paula Lima de Vilhena - médica
  1. Maria Thereza Patury Galvão Castro - estudante de medicina
  1. Mariana Cunha Melo - estudante de medicina
  1. Mariana Pércia Namé - médica
  1. Mariana Ramos Andion - estudante de medicina
  1. Marília Barroso de Sousa - estudante de medicina
  1. Marília Magalhães Morais Freire – médica
  1. Marilia Vital Veras Costa  - estudante de medicina
  1. Marina Umbelino de França Tozzi - estudante de medicina
  1. Mary Lúcia Guimarães da Rocha – médica
  1. Matheus Soares da Silva Cavalcanti - estudante de medicina
  1. Matheus Ulisses Coutinho Saraiva - estudante de medicina
  1. Mauricio Sergio Sousa Silva - estudante de medicina
  1. Mayara Da Silva Honorato - médica
  1. Melina Pimentel Cavalcante Pedrosa - médica
  1. Melissa Souza Ferreira de Morais - estudante de medicina
  1. Milena Reami Sabbadini  - estudante de medicina
  1. Mirna de Araújo Costa - estudante de medicina
  1. Monalisa Nunes dos Santos Silva - estudante de medicina
  1. Morgana Fernandes dos Santos - estudante de medicina
  1. Mylena Mayara Fonseca Vieira - estudante de medicina
  1. Natália Barros - estudante de medicina
  1. Nathalia Lopes de Oliveira - estudante de medicina
  1. Nícolas Rosal Lemos - estudante de medicina
  1. Pablo Anselmo Suisso Chagas - estudante de medicina
  1. Pablo Anselmo Suisso Chagas - estudante de medicina
  1. Patrícia Soares de Lima - - estudante de medicina
  1. Patricia Soares de Lima - estudante de medicina
  1. Paula Cintra Dantas - estudante de medicina
  1. Pedro Américo de Miranda Neto - estudante de medicina
  1. Pedro Américo de Miranda Neto - estudante de medicina
  1. Pedro Jorge Pércia name de Souza Franco - médico
  1. Priscila de Lima Catao de Andrade - médico
  1. Rafael Marinho Normande - estudante de medicina
  1. Rafael Santos Silveira de Vasconcelos - estudante de medicina
  1. Raíssa Ruperto Souza das Chagas - estudante de medicina
  1. Raquel Dantas de Andrade - estudante de medicina
  1. Raul de Lima Fontao Rodriguez - estudante de medicina
  1. Raul de Lima Fontao Rodriguez - estudante de medicina
  1. Raul Ribeiro de Andrade - estudante de medicina
  1. Rawanderson dos Santos - estudante de medicina
  1. Reinaldo Luna de Omena Filho - médico
  1. Renan Vieira - estudante de medicina
  1. Renata Cristina Caetano Barbosa - estudante de medicina
  1. Renata Torres de Andrada Ferraz - estudante de medicina
  1. Renato Cavalcanti Barreto - médico
  1. Rodrigo Dantas da Cruz – médico
  1. Rodrigo Rebouças de Castro - médico
  1. Romildo Dias de Melo Neto - estudante de medicina
  1. Romualdo Arthur Alencar Caldas - médico
  1. Romualdo Arthur Alencar Caldas – médico
  1. Rosana Vilela - médica
  1. Rose Viviane Bezerra – médica
  1. Roseana Porto Farias - médico
  1. Rozangela M de Almeida Fernandes Wyszomirska – médica
  1. Saamec Ramle - estudante de medicina
  1. Sarah Dominique Dellabianca Araujo - médica
  1. Shayanny de Souza Silva - - estudante de medicina
  1. Shayanny de Souza Silva – estudante de medicina
  1. Silvana Maria F. Cavalcante - médica
  1. Simone Cajú Wanderley- médica
  1. Sofia Soares Amorim - estudante de medicina
  1. Sophie Brandão Gonçalves  - estudante de medicina
  1. Stefany Correia - médica
  1. Suely Arruda Vidal - médico
  1. Sylvana Medeiros Torres - médica
  1. Sylvia Christina de Souza Conde - estudante de medicina
  1. Sylvia Christina de Souza Conde – estudante de medicina
  1. Syrlene Medeiros Patriota - médica
  1. Tadeu Brandão Cavalcante Júnior – médico
  1. Taime Victor Lima de Araujo - estudante de medicina
  1. Tainá de Carvalho Gonçalves - estudante de medicina
  1. Talita Quirino de Oliveira – médica
  1. Tarciane Lília dos Santos - estudante de medicina
  1. Tayná de Almeida Araújo - estudante de medicina
  1. Telmo Henrique Barbosa De Lima - médico
  1. Thairon Henrique dos Santos - estudante de medicina
  1. Thais Madeiro Barbosa Lima - estudante de medicina
  1. Thaís Manuella Ferreira - estudante de medicina
  1. Thayanne Gusmão de Azevedo  - estudante de medicina
  1. Thayná Gonçalves Alves - estudante de medicina
  1. Thays Oliveira Silva - estudante de medicina
  1. Thiago Henrique Aquino Tenório - estudante de medicina
  1. Valfrido Leao de Melo Neto – médico
  1. Valmir de Melo Gomes - médico
  1. Vanessa Galvão Alves - estudante de medicina
  1. Vanessa Santos Cavalcante Melo - estudante de medicina
  1. Victor de Macêdo Ferreira - estudante de medicina
  1. Victor José Correia Lessa- médico
  1. Victor Targino Carvalho   - estudante de medicina
  1. Vitor Lúcio Barbosa Santos - estudante de medicina
  1. Vitor Ramalho Arruda Silva – médico
  1. Vitor Sousa Peixoto – médico
  1. Viviane Maria Cavalcante Tavares - estudante de medicina
  1. Waleska Lucio Lins de Araújo - médica
seta

Questões para o Dia do Médico - 18 de outubro

18/10/2018 14:48

18 de outubro é o Dia do Médico. Esse tipo de data geralmente é marcada pelas comemorações e parabéns, mas raramente por uma reflexão mais profunda. Afinal, como celebrar sem enfrentar numerosos questionamentos? Eles vêm de diversas frentes, seja da sociedade, da atividade em si mesma e dos próprios profissionais.

Uma questão está na maneira como o médico é visto hoje. Antes um amigo da família, tornou-se muitas vezes um ser visto apenas como aquele que prescreve exames infinitos, muitas vezes sem conhecer os olhos do paciente ou sem sequer tocá-lo num exame inicial. Não se trata aqui de ser contra a tecnologia, mas de se posicionar pela humanidade.

Diversos fatores se conectam neste ponto, pois o próprio paciente vai hoje muitas vezes para a consulta já com o diagnóstico pronto e até com a receita definida. Espera apenas o aval do profissional e se incomoda quando o médico toma outro caminho que não seja o que ele espera.

Chegamos então ao ponto crucial desta conversa. O quadro descrito leva hoje muitos médicos a terem medo do paciente em diversas instâncias, que vão desde diagnósticos distintos do esperado ao erro médico. Nesse contexto, o Dia do Médico é para ser lembrado sim, mas menos como celebração e mais como paradigma de reflexão para construir dias melhores para os profissionais da área e para a sociedade como um todo.

Oscar D’Ambrosio é jornalista pela USP, mestre em Artes Visuais pela Unesp, graduado em Letras (Português e Inglês) e doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

seta

Primeira Edição © 2011