seta

223 postagens no blog

Forró, Cultura popular e animação estão garantidos no São João do Benedito Bentes

23/06/2015 07:21

Quadrilha junina, coco de roda e muito forró. Assim serão as noites de São João no Benedito Bentes 1. Uma grande estrutura com palco, camarote, tenda e banheiros químicos foi montada ao lado do terminal de ônibus, na Praça Padre Cícero, para receber o público.

                A primeira noite de festa será nesta terça-feira (23), véspera de São João, que começa a partir da 20h com a apresentação da quadrilha junina “Lapadão”, da Chã da Jaqueira. Logo em seguida, será a vez do coco de roda “Reviver Alagoano”, do bairro de Bebedouro, exaltar a cultura popular do nordeste.

                A programação segue com as atrações musicais. Às 21h, a banda “Os Estourados do Forró” garante a animação e, na sequência, sobe ao palco a banda Playboyzada, encerrando a noite.

                O São João do Benedito Bentes 2015 é realizado pelo Governo do Estado, pela Prefeitura Comunitária do Benedito Bentes e pelo vereador Silvânio Barbosa. “Para nós é muito importante garantir uma programação recheada no nosso bairro, que, além do entreter com as bandas musicais, preserva nossa cultura de raiz com as apresentações de cocos de roda e quadrilhas juninas”, destacou Silvânio Barbosa. 

                A festa continua na quarta-feira (24) e também tem programação para os dias 27 e 28 de junho, véspera de São Pedro, totalizando quatro dias de festividades. Entre as atrações estão Poney O Rei da Sofrência e Geraldo Cardoso. O evento ainda vai movimentar a economia da região. “Esse também é outro ponto fundamental do evento. Nós cadastramos quase 50 comerciantes para trabalhar durante todo o São João, gerando emprego e renda que movimentam toda a economia”, finalizou Silvânio Barbosa.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

23/08 QUADRILHA LAPADÃO, COCO DE RODA REVIVER ALAGOANO, OS ESTOURADOS DO FORRÓ E PLAYBOYZADA

24/06 COCO DE RODA REIS DO CANGAÇO, COCO DE RODA RAÍZES NORDESTINAS, ASSANHADOS DO FORRÓ E OS KAFONAS

27/06 COCO DE RODA ARCO ÍRIS, IVANA PINK E BANDA E PONEY O REI DA SOFRÊNCIA

28/06 QUADRILHA AMANHECER NO SERTÃO, FORRÓ ESTAÇÃO E GERALDO CARDOSO

MAIS INFORMAÇÕES: 98802 3758 / 99322 4491 

seta

Alimentação saudável em época de festa junina

17/06/2015 15:14

O mês de junho chegou e, junto com ele, as festas juninas, recheadas de quitutes de dar água na boca. Para quem se preocupa com uma alimentação saudável, o período requer atenção, pois além e deliciosas, as comidas de festa junina costumam ser bastante calóricas. Pensando nisso, a nutricionista da Life Clínica, Márcia Loureiro, elaborou algumas dicas de como aproveitar as comidas típicas sem sair da linha.

Alguns alimentos típicos como o milho, o pinhão, o amendoim e a batata doce são saudáveis e ricos em nutrientes. O cuidado deve recair sobre o modo de preparo desses itens. “É possível repensar algumas receitas, trocando apenas alguns ingredientes”, explica Márcia.

Confira abaixo alguns benefícios e dicas de como aproveitar melhor esses alimentos:

Pinhão

O pinhão, muito consumido neste período, é uma semente muito apetitosa com alto valor alimentício e o modo de preparo não altera o valor nutricional dele.  “Uma porção de 100g, por exemplo, é rico em proteínas, cálcio, fósforo, ferro e vitaminas A, B1 e C. Para atingir as necessidades diárias dos nutrientes é indicado a ingestão de 6 a 10 unidades por dia. O pinhão possui um teor de 50 a 60% de óleo mas mesmo rico em gorduras, se manter uma dieta regular, o pinhão pode aumentar os esforços de perda de peso pois contém ácido pinoleico que atua como inibidor de apetite”, informa a nutricionista.

Milho Cozido

O milho é rico em vitaminas A, E, B1 e B5, ácido fólico, magnésio, fósforo, ácidos graxos essenciais e previne doenças cardíacas e promove a redução da hipertensão e o controle do diabetes. As fibras presentes no alimento são benéficas para a prevenção de doenças digestivas como, por exemplo, hemorroidas e prisão de ventre. “Nesta época vale abusar do milho cozido. Além de rico em nutrientes, ele também é indicado para o tratamento de doenças renais. O ideal é não deixa-lo muito tempo na geladeira e sim, cozinhá-lo rapidamente para não perder os nutrientes. Já a pipoca é um alimento muito nutritivo, mas deve ser consumido moderadamente, na medida de aproximadamente uma xícara de chá. A parte branca da pipoca é rica em amido resistente, que é bom para o intestino e para diminuir o nível de açúcar no organismo; e a casca é rica em antioxidantes”, explica. 

Canjica

Um dos alimentos mais esperados nesta época é a canjica. Ela é fonte de fibra dietética, contém baixos índices de colesterol e pequena tava de gordura saturada porém, com ingredientes como leite, leite de coco e açúcar, este é um dos alimentos mais calóricos da época.  De acordo com a especialista, “a receita da canjica pode ser adaptada com ingredientes menos calóricos. O milho pode ser preparado com leite desnatado ao invés de integral e adoçante e o sabor não muda”. 

Amendoim

Deliciosos e crocantes, os amendoins são consumidos não só em época junina mas durante o ano todo. Fonte de energia, os amendoins são ricos em vitaminas e minerais como o zinco, cálcio, magnésio, ferro e fósforo. Embora calóricos, eles podem ser um aliado a dieta pois promovem a sensação de barriga cheia, pois como precisa ser muito mastigado ele controla a saciedade e faz com que a fome demore a aparecer. “Vale optar pelos amendoins torrados em casa que preserva todos os nutrientes do alimento. Os industrializados, revestidos com casca possuem uma quantidade grande de sódio, facilitando o aparecimento de doenças cardiovasculares e hipertensão. Paçoquinhas e doces de amendoins também devem ser moderados por possuírem açúcar em excesso”.

Batata Doce

A batata doce é um carboidrato de baixo índice glicêmico rico em fibras, ferro, vitamina C, A e E e potássio. Além disso, auxilia na queima de gordura e ganho da massa muscular, fortalecendo o sistema imunológico, a manutenção dos ossos, reduz o colesterol e regula a pressão arterial. “A batata doce é um alimento muito nutritivo e algumas dicas no preparo preservam ainda mais os nutrientes. Cozinhe o alimento com a casca e em pedaços grandes pois os pedaços pequenos entram em contato maior com a água, multiplicando a perda desses nutrientes. Evite usar muita água e deixar a batata no fogo por muito tempo. Prefira cozinhar no vapor ou no micro-ondas com pouca água”.

Seguindo essas dicas, é fácil manter uma alimentação saudável neste período. Se extrapolar, vale optar por comidas mais leves nos dias seguintes. “Caso o consumo seja exagerado, a dica é optar por carnes magras, bastante frutas e legumes, beber bastante líquido e praticar atividade física regularmente”, finaliza Márcia.

 

Márcia Melo Loureiro (CRN: 8.996) 

Márcia Loureiro é nutricionista formada na Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCC). Realiza atendimento em consultório clínico, com atuação voltada para o processo de reeducação alimentar, por meio do qual os pacientes aprendem a se alimentação de forma equilibrada e fracionada.

Márcia possui uma empresa, chamada Salutar Alimentos, que produz e comercializa refeições balanceadas e personalizadas para diferentes tipos de dieta.

Sobre a Life Clínica

A Life Clínica oferece a seus pacientes cuidados e serviços médicos, odontológicos e estéticos em benefício da saúde e da promoção de qualidade de vida. São 17 anos de história, em busca da manutenção da excelência em serviços de saúde. Com uma equipe multidisciplinar altamente qualificada, que presta um atendimento humanizado e personalizado, a Life Clínica dispõe de profissionais que atuam nas áreas de angiologia, cirurgia plástica, cirurgia vascular, clínica geral, estética facial, estética corporal, fertilidade e reprodução humana, fisioterapia dermato-funcional, ginecologia, medicina laboratorial, metabologia, nutrição, neurologia, obstetrícia, pneumologia e psicologia. A Life Clínica conta ainda com o apoio de instalações modernas e o mais avançado e completo aparato tecnológico necessário para cada área de atuação.

seta

A banalização do "eu te amo"

15/06/2015 13:23

Atualmente, seja pelo status de ter alguém para amar, seja por medo de ficar sozinho (a), as pessoas parecem desesperadas para ter seus sentimentos por alguém comprovados, ou, então, querem que o cônjuge reforce esse amor constantemente. Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, o que acontece hoje em dia é uma banalização do "eu te amo". "Por mais que não possa parecer, cada vez mais as pessoas se esforçam para sentir algo que (ainda) não existe. Não podemos falar aquilo que não sentimos, ou seja, não há porque apressar o 'eu te amo' em uma relação", afirma.

Ele explica que não é saudável falar por falar, pois isso acarreta no desgaste da relação. "Não deve ser pensado em quantidade, mas, sim, em qualidade. Não obrigue seu cônjuge a falar, deixe que ele se expresse à sua própria maneira. A consistência do sentimento é mais importante do que a frequência, então o ideal é falar quando o 'eu te amo' vem naturalmente, não quando ele é solicitado”, comenta.

O psicólogo diz que é preciso que as pessoas saibam avaliar o que é o amor, e como ele é percebido no dia a dia do casal. "Lembro-me de um casal que atendia; quando fiz a pergunta 'o que é amor para você' o marido respondeu que era quando acordava, seu café já estava o esperando, e sua mulher estava levando as crianças para a escola. Já para ela, era quando sentia que recebia atenção e carinho do seu companheiro ou quando faziam programas que ela escolhia. Desse modo, expliquei que são nesses momentos em que eles se sentem amados que o 'eu te amo' deve ser falado, pois, assim, ambos irão se sentir bem na relação já que o sentimento se encontra presente naquele instante", explica. Ele ainda recorda que, nesse caso específico, após o casal passar a entender os momentos em que se sentiam felizes na relação, eles começaram a reproduzir com mais vezes essas atitudes que faziam com que ambos se sentissem amados, tornando a relação mais prazerosa e íntima.

Borba finaliza, dizendo que nunca deve-se exigir que a outra pessoa faça ou diga algo de maneira forçada. "Esse tipo de reação é infantil,pois exclui a liberdade do outro. Quando a pessoa se sente livre e sem cobranças, o sentimento flui naturalmente, o que revela-se ser bom tanto para um, quanto para o outro", conclui.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

seta

12 de junho Dia dos Namorados: como construir relacionamentos estruturados e saudáveis

09/06/2015 08:09

No mundo de pessoas que assumem cada vez mais personalidades marcantes, que batalham por independência, traçam sonhos e buscam acima de tudo o bem-estar tem sido difícil construir relacionamentos duradouros.

Há quem diga que os namoros e casamentos têm se tornado descartáveis, mas a realidade é que hoje as pessoas têm um poder maior de decidir sobre a própria vida . Se um casal não anda na mesma direção e não conseguem ajustar esse ponto importante da relação, pode gerar um desgaste muitas vezes irreversível para o relacionamento.

Existe fórmula mágica para encontrar o grande amor da vida? Existe uma pessoa ideal? Será que vou encontrar alguém que me ame acima de todos os meus defeitos? Para todas as seguintes perguntas, eu diria que NÃO.

Vamos refletir alguns pontos que envolvem um relacionamento:

  • Personalidades: é louvável uma pessoa que tenha sua personalidade muito bem formada, mas lembre-se que ninguém é obrigado a ter as mesmas opiniões, modo de ver o mundo ou pensar que você. Os conflitos de opiniões geram muito desgaste, então reflita e tente entender o lado o outro e mesmo que não concorde, respeite!
  • Objetivos: todo casal deve traçar seus objetivos. Não precisam ser objetivos tão sérios como planejar um casamento no primeiro mês de namoro, mas troquem experiências e tracem objetivos, nem que seja uma viagem para aquela cidade que desejam conhecer, ou um produto que desejam comprar, guardar um dinheiro para um passeio.
  • Individualidade: mesmo em um relacionamento, qualquer pessoa gosta de ter o seu momento, para assistir um filme que gosta, ler um livro, cozinhar ou qualquer outro lazer. É importante respeitar o espaço do outro e às vezes deixá-lo consigo mesmo.
  • Família e amigos: família e amigos também precisam da atenção do casal, procure se sentir parte das pessoas que o seu parceiro/parceira ama. Para ele/ela é importante alguém que agregue e não o/a leve para longe das pessoas já presentes na vida dele/dela.
  • Ciúmes: em um relacionamento existe o ciúme inofensivo que é aquele que vem como uma resposta protetora a um fator externo que possa ameaçar a estabilidade e o ciúme patológico que faz com que o parceiro se distancie das relações de amizade, trabalho em busca de diminuir os desentendimentos com o outro e achar uma solução para o relacionamento. É importante confiar no outro e na história que vocês constroem juntos.
  • Rotina: depois de algum tempo de namoro, alguns casais se incomodam com a rotina tomada pelo namoro, ou seja, todo final de semana as coisas são as mesmas e não há mais novidades. Nunca deixe de surpreender seu parceiro com um gesto de carinho, um convite para um jantar diferente, um passeio inusitado, uma simples flor, caixa de chocolates ou até mesmo uma mensagem romântica. Todo mundo gosta de lembrar que é amado!
  • Amigos: é preciso ver no companheiro ou companheira um grande parceiro para os bons e maus momentos. Para dar risada, curtir um final de semana, mas também para compartilhar angústias tristezas e também para diminuí-las. 

Pode parecer clichê, porém amor é o princípio básico para qualquer relacionamento amoroso, mas é preciso cuidar diariamente da relação e ajustar sempre que necessário. Caso contrário o desgaste será inevitável e uma possível parceria positiva é interrompida.

*Sidneia Freitas é psicóloga, neuropsicóloga e sócia-fundadora da Clínica Sintropia

seta

Antibióticos em frangos podem gerar bactérias resistentes, constata PROTESTE

08/06/2015 15:06

O uso indiscriminado de antibióticos na produção animal tem contribuído para gerar bactérias resistentes. Uma das maneiras de essas superbactérias entrarem em nosso organismo é pelo consumo de carnes mal cozidas. Para verificar a situação na carne de frango, a PROTESTE Associação de Consumidores comprou 50 peitos de frango congelados em supermercados e hipermercados da cidade de São Paulo, em fevereiro, e em todas as amostras havia bactérias resistentes.

No laboratório, foi constatada a prevalência de bactérias resistentes a antibióticos betalactâmicos e produtores de ESBL (ß-lactamases de espectro estendido), enzimas que conferem resistência a um dos grupos de antibióticos mais utilizados na prática clínica humana e veterinária: os betalactâmicos. Estes incluem as penicilinas, seus derivados sintéticos e semissintéticos e as cefalosporinas, como a cefotaxima e a ceftazidima, entre outros.

Após o isolamento das bactérias produtoras de ESBL, determinamos o grau de resistência aos antibióticos. Essas bactérias podem causar infecções urinárias, gastrenterites e outros problemas graves, sobretudo em pessoas mais sensíveis, como idosos, pacientes imunodeprimidos ou que usem dispositivos médicos invasivos, como cateteres ou sondas.

A maioria das bactérias morre a 70ºC. Então, é fundamental cozinhar bem os alimentos. Se reaproveitar as sobras, aqueça bem antes de servir. Além disso, manipule alimentos crus e cozidos e m separado: lave as mãos com frequência e só corte carne crua na mesma tábua que folhosos após lavá-la bem (não use a mesma faca para ambos - só depois de lavar). Outra dica: higienize bem frutas e legumes. E essencial: tome antibióticos apenas quando o médico receitar, seguindo à risca as instruções de uso.

Diante da preocupante situação encontrada, a PROTESTE está cobrando dos Ministérios da Agricultura e Saúde mais fiscalização sobre a prescrição e aplicação dos antibióticos para controle de doenças nos animais. Foi pedida a instalação de sistemas de monitoramento nacional e internacional para reduzir o impacto das resistências aos antibióticos.

Ao Ministério da Saúde, foi sugerida a promoção de campanhas de sensibilização para o bom uso de antibióticos. Os resultados também foram enviados à recém-criada Comissão de Vigilância Sanitária em Resistência Microbiana da Anvisa, que visa elaborar normas e ações para o monitoramento, controle e prevenção da resistência microbiana.

O uso veterinário de antibióticos é legal. No entanto, como a taxa de infecções humanas por bactérias resistentes aos antibióticos aumenta, questionamos a prática de dar rotineiramente antibióticos para frangos, bovinos e suínos. Cientistas e especialistas em saúde pública dizem que, sempre que um antibiótico é administrado, ele mata as bactérias mais fracas e pode permitir que as mais fortes sobrevivam e se multipliquem. O risco é que as superbactérias possam desenvolver resistência cruzada a importantes antibióticos. O uso frequente de antibióticos em baixa dosagem, uma prática utilizada por alguns produtores de carne, pode intensificar o efeito.

 

Confira informações e novidades sobre Direito do Consumidor em nosso site:www.proteste.org.br/institucional

seta

Primeira Edição © 2011