seta

384 postagens no blog

Cirurgia de Tireoide sem cicatriz?

28/11/2018 19:25

Nos últimos anos, algumas formas de retirada da glândula tireoide foram desenvolvidas para se evitar uma cicatriz visível no pescoço. Esta onda teve início nos países do oriente como a China e a Coreia do sul, onde existe um aspecto cultural importante relacionado a cicatrizes visíveis na área da cabeça e do pescoço. Uma das formas que se tornou popular nesses países foi a tireoidectomia transaxilar, realizada pelas axilas e com auxílio do robô, na maioria das vezes. Esta cirurgia não “pegou” no ocidente, pois trata-se de um longo caminho entre a axila e a tireoide, envolve o uso de drenos, com um período de internação mais longo e frequentemente requer que o acesso seja feito dos dois lados para retirar toda a glândula. Outras tentativas de minimizar a presença da cicatriz foram desenvolvidas como acessos por incisões retroauriculares (atrás da orelha), acessos por incisões peri-aureolares (na mama), mas com os mesmos inconvenientes da cirurgia transaxilar.

Mais recentemente a cirurgia transvestibular, foi desenvolvida na Tailândia, onde já existem mais de 1200 pacientes operados desta maneira. Na realidade, um cirurgião americano já havia descrito este acesso em estudos anatômicos, e ele vem sendo rapidamente adotado em diferentes partes do mundo. Nos Estados Unidos ela já é realizada rotineiramente em grandes serviços como a Johns Hopkins, uma das principais escolas de cirurgia do mundo. No Brasil, existem pouco mais de 70 pacientes operados por este acesso, em grandes centros de São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina.

A tireoidectomia por acesso transvestibular, pode ser realizada com equipamentos de video cirurgia, idênticos aos utilizados na cirurgia da vesícula, ou com o robô. O vestíbulo é o espaço entre o lábio e os dentes inferiores, onde são feitas 3 pequenas incisões para a colocação de portais que permitem a passagem da câmera e das pinças para que o cirurgião possa identificar, manipular e retirar a glândula. Os dois lados da tireoide podem ser abordados pelo mesmo acesso, o que explica a sua rápida adoção por cirurgiões de diversas partes do mundo. Os benefícios da video cirurgia, já comprovados em cirurgias abdominais, como a magnificação da imagem pela câmera e a delicadeza do instrumental de laparoscopia, tornam a cirurgia muito segura, com resultados semelhantes aos da cirurgia convencional aberta, em termos de complicações e sequelas. Na realidade, a cirurgia é a mesma, com os mesmos passos, o que muda é o acesso e a forma com que o cirurgião manipula e enxerga as estruturas. O pós-operatório também é muito semelhante ao da cirurgia aberta em termos de tempo de internação  retorno ao trabalho e queixas, mas as cicatrizes são mínimas e ficam escondidas dentro da boca.

Obviamente que não são todos os pacientes que são candidatos a este tipo de abordagem. Cada caso precisa ser avaliado individualmente para que a indicação seja realizada corretamente. Pacientes com glândulas de grande volume ou anatomia desfavorável continuarão a ser operados pelo métodos tradicionais, que são muito seguros, diga-se de passagem, e geralmente deixam cicatrizes quase imperceptíveis. Mas pacientes jovens e bem selecionados agora tem uma alternativa para realizar a cirurgia de tireoide sem cicatriz.

No último dia 9 de novembro de 2018, a primeira Tireoidectomia transvestibular endoscópica da Santa Casa de São Paulo foi realizada pelo médico cirurgião de cabeça e pescoço Dr. Antonio Bertelli. O Dr. Bertelli realizou seu treinamento na Johns Hopkins, nos Estados Unidos e foi um dos pioneiros desta técnica no Brasil, já tendo realizado outros casos em outros hospitais de São Paulo. Na Santa Casa de São Paulo, a Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço é chefiada pelo Dr. Antonio José Gonçalves, atual vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e que estava presente na cirurgia citada.

Em 28 de novembro de 2018 acontece o primeiro curso de tireoidectomia transvestibular da America Latina, em São Paulo, coordenado pelo Dr. Antonio Bertelli, Dr. Leonardo Rangel (RJ) e Dr. Renan Lira (SP), como um evento da VI Jornada Paulista de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, JOPA-CCP.

Dr. Antonio Augusto T. Bertelli, Professor Instrutor da Faculdade de Ciências Médicas da  Santa Casa de São Paulo e Médico Assistente da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

seta

Câncer de mama também atinge os homens

21/11/2018 12:20

Neste Novembro Azul, a Sociedade Brasileira de Mastologia alerta que os homens também podem ser acometidos pelo câncer de mama. Apesar de a doença atingir, principalmente, mulheres, nos homens ocorre em menor quantidade – um caso diagnosticado para cada 100 casos em mulheres. A falta de informação e o preconceito são os principais inimigos da doença, já que os homens têm menor propensão a procurar médicos, e quando procuram encontram dificuldade de acesso.

Estudos mostram que a média de idade dos homens que apresentam a doença varia de 50 a 70 anos. Na maioria dos casos, a detecção é feita em estágio avançado, o que pode dificultar o tratamento e haver metástase. “O principal motivo dessa demora no diagnóstico é o preconceito. Pelo fato do câncer de mama ter as mulheres como alvo, há uma falta de conscientização sobre a importância dos exames de rotina. Entre as principais causas da doença nos homens estão as alterações genéticas e hormonais, alimentação rica em gorduras, excesso de álcool ingerido, além do uso de anabolizantes ou de hormônios”, esclarece o presidente da SBM, Antonio Luiz Frasson.

Segundo ele, a melhor maneira de combater a doença é a informação orientando os homens quanto à possibilidade de também terem câncer de mama, assim como manter hábitos saudáveis de vida, como alimentação balanceada, atividade física regular, redução do consumo de álcool, abolição do tabagismo, controles do diabetes e peso, além de procurar o médico regularmente. Quando existe a queixa de um nódulo, o diagnóstico é feito por meio do histórico do paciente e de exames como mamografia, ultrassonografia e biópsia do tumor. O tratamento dependerá do estágio do tumor, podendo ser feito através de cirurgia, radioterapia ou quimioterapia.

 

O tratamento do câncer de mama masculino assemelha-se ao feminino. A cirurgia está indicada para praticamente todos os casos. No homem, devido ao pequeno volume mamário, a cirurgia consiste na retirada da mama e na realização de biópsia de um gânglio axilar, para avaliar a extensão da doença. Na presença de comprometimento axilar, realiza-se também a retirada de linfonodos axilares. Quanto mais cedo for iniciado o tratamento, menor a extensão da cirurgia e menor a necessidade de receber quimioterapia e radioterapia.

 

seta

Projeto de lei que visa o aumento de cotas para trabalhadores estrangeiros é aprovado no Japão

20/11/2018 15:09

Foi aprovado um novo projeto de lei que dá autorização a estrangeiros trabalhadores para entrar no país. A validação de tal projeto visa combater a falta de mão de obra que vem atacando o país nos últimos tempos.

A aprovação definitiva de tal reforma na legislação está prevista para o próximo mês e promete trazer mudanças significativas para todo o continente e sua política imigratória. Há anos a questão imigratória do país vem sendo tema de diversos debates pelo fato da homogeneidade étnica mas, com o envelhecimento da população mudanças nas medidas estão e continuarão sendo tomadas.

A entrada de trabalhadores para os setores de alimentação, construção e atendimento de pessoas permitirá que o desfalque seja suprido e novas demandas possam ser cumpridas.

Segundo o governo Japonês um novo tipo de visto será criado, para que os imigrantes tenham acesso ao país com menos qualificações do que as que são exigidas atualmente. Os indivíduos que solicitarem esse visto deverá ter fluência na língua nativa e o mesmo não poderá ter união afetiva com pessoas que já residem no continente. Durante cinco anos a pessoa que dispor desse visto terá permissão livre para residir no país.

A regra só valerá para mão de obra escassa

O governo afirmou, para a população que a regra de imigração para o país não irá mudar, procurando tranquilizar a todos que temem a entrada de novos estrangeiros. O Japão só irá aceitar pessoas que possuam a determinada competência para trabalhar imediatamente.

Além da preocupação da população algumas organizações também mostraram suas dúvidas e criticaram a lei afirmando que a entrada de novos imigrantes afetará todas as tomadas políticas.

Há muitos anos o setor empresarial pede por uma maior abertura para com os estrangeiros, mesmo de forma cautelosa o desejo sempre era expressado. A única preocupação por parte do governo é sobre a falta de preparação da população nativa e da precisão de texto.

O Japão possui uma das menores taxas de desemprego existentes (apenas 2,3% da população). De acordo com oficiais estatísticas, em 2017 o país abrigava cerca de 1,28 milhões de trabalhadores estrangeiros. Entre esse número 459 mil pessoas que emigraram para o país como cônjuge, sul-coreanos e descendentes de japoneses. A nova lei promete atrair 500 mil novos imigrantes trabalhadores para o país até o ano de 2025.

 

Outros campos como, o da beleza também estão ganhando um espaço considerável no continente, um exemplo é em mamoplastia e implante capilar. Profissionais da área de mamoplastia e implante capilar podem conseguir o visto do continente e ter seu próprio espaço no território, visto que tais categorias são bem pouco vistas no país.

A novidade do país já vem atraindo bons olhares de brasileiros que buscam uma nova perspectiva para suas vidas. Com isso, o primeiro-ministro japonês espera um grande e bom retorno a partir dessa medida.

A reforma na legislação imigratória ainda passará por uma aprovação oficial do Parlamento japonês e esta deve acontecer até o dia 10 de dezembro. As primeiras imigrações através da lei estão previstas para o mês de abril de 2019.

seta

Gestão de trade marketing: como ter uma equipe de alta performance?

13/11/2018 17:05

Um dos desafios da gestão de trade marketing é se dividir entre as estratégias de aumento das vendas e a gestão de pessoas. Isso porque, contar com uma equipe de alta performance é essencial para garantir que as ações traçadas no back office sejam colocadas em prática com eficácia pelo pessoal em campo.

Tudo isso exige uma gestão atenta, já que os orçamentos são cada vez mais apertados, e é preciso ter um direcionamento muito claro de todas as ações para otimizar os recursos, inclusive de mão de obra.

Confira então algumas dicas para formar uma equipe de alta performance.

Mantenha uma boa comunicação com a equipe

A atual geração de trabalhadores possui uma necessidade muito grande de estabelecer diálogos com todos os níveis hierárquicos de uma organização. Nesse sentido, muitos esperam que as relações profissionais entre líderes e liderados sejam abertas. Para auxiliar nessa, você pode contar com o suporte da tecnologia, como um aplicativo de trade marketing, por exemplo.

Com a ferramenta, é possível estabelecer  comunicação em tempo real com a equipe de campo, tirar dúvidas, dar informações importantes para as estratégias no PDV, corrigir rotas de forma muito mais rápida, e ainda receber e oferecer feedbacks.

Uma comunicação eficiente gera mais comprometimento e favorece o desempenho da equipe, além de fortalecer a relação de confiança entre colaboradores e a empresa.

Invista em treinamentos

Para formar uma equipe de alta performance é preciso garantir que as pessoas dominem suas atividades. Por isso, é importante oferecer treinamentos e capacitá-los de forma contínua. Invista em cursos, treinamentos online, workshops, palestras e parcerias para ter um time preparado para os desafios diários. Quanto mais capacitada a sua equipe, melhores serão as entregas para a empresa.

Encontre as pessoas certas

Podemos considerar que a formação de uma equipe de alta performance começa na contratação das pessoas certas, ou seja, com a escolha do perfil adequado para o cargo.

É importante avaliar os critérios técnicos, pelo menos em um primeiro momento, mas atentar-se também às competências socioemocionais como resiliência, capacidade de lidar com situações de estresse e de grande pressão por resultados.

Defina metas inteligentes e desafiadoras

Definir metas e estratégias a serem seguidas é importante para que a equipe saiba exatamente onde a empresa deseja chegar e qual o papel de cada profissional nesse processo.

Assim, é importante que as metas sejam alinhadas com a realidade da organização, sendo mensuráveis, alcançáveis, relevantes e com prazos bem definidos.

Ofereça feedbacks constantes

Quando um profissional sabe exatamente quais são seus pontos fortes e os de melhoria, ele consegue se desenvolver de forma mais estruturada e constante, oferecendo melhores entregas. Portanto, reserve um tempo na agenda para oferecer feedbacks individuais e coletivos. Essa atitude influencia diretamente no aumento do desempenho e da motivação dos colaboradores.

Conte com a ajuda de um sistema de trade marketing

Aliar em uma mesma ferramenta comunicação, informação e estratégia  é possível com a ajuda de um sistema de trade marketing. Investindo nesse recurso é possível acompanhar e monitorar a equipe em campo por meio de um aplicativo instalado em um disposto móvel, seja tablet ou smartphone.

Além de manter uma comunicação online com a equipe, softwares como o da Agile Promoter ainda permitem fazer o acompanhamento das rotas, checar se a equipe está cumprindo o cronograma.

Ter uma equipe de alta performance exige habilidades em gestão de pessoas, domínio das estratégias de trade, e também requer contar com os recursos tecnológicos para facilitar a comunicação e o monitoramento das atividades dos colaboradores de campo.

 

seta

Novembro Azul mês de conscientização do Câncer de Próstata

12/11/2018 18:27

 

 

 
 
 


Neste #NovembroAzul, doutor Adriano Fregonesi, urologista do Hospital Santa Elisa, afirma que as campanhas para detecção precoce do câncer de próstata são necessárias para que haja o diagnóstico deste tipo de câncer ainda na fase inicial da doença.

O câncer de próstata é o câncer mais comum entre os homens (após o câncer de pele), mas na maioria das vezes, pode ser tratado com sucesso. Se você tem câncer de próstata ou conhece alguém que tem, saber o que esperar pode ajudar a lidar com a situação.

Neste post você pode descobrir tudo sobre o câncer de próstata, incluindo fatores de risco, sintomas e tratamento.
 
O que é a próstata?

Só os homens têm próstata. A próstata geralmente é do tamanho e da forma de uma noz e cresce à medida que a pessoa envelhece. Fica embaixo da bexiga e envolve a uretra.

Sua principal função é ajudar a produzir sêmen - o fluido que transporta espermatozoides. E, os problemas mais comuns da próstata são: o aumento da próstata, prostatite e o câncer de próstata.
 
O que é câncer de próstata?

O câncer de próstata pode se desenvolver quando as células da próstata começam a crescer de forma descontrolada.

Geralmente, cresce lentamente e pode não causar problemas. Mas alguns homens têm câncer de próstata com maior probabilidade de se espalhar e precisa de tratamento para impedir esse crescimento para fora da próstata.
 
Sinais e Sintomas

O câncer de próstata que está contido dentro da próstata (chamado de câncer de próstata localizado ou câncer de próstata precoce) geralmente não causa nenhum sintoma. É por isso que é importante saber sobre o seu risco.

Mas alguns homens podem ter alguns problemas urinários. Estes podem ser leves e acontecem ao longo de muitos anos e podem ser um sinal de um problema benigno de próstata.

A maioria dos homens com câncer de próstata precoce não apresenta sinais ou sintomas. Mas existem alguns fatores que podem indicar que você tem mais chances de ter câncer de próstata, como por exemplo:

  • Se você tiver 50 anos ou mais;
  • Se alguém na família teve câncer de próstata como o seu pai, avô ou irmão.
Você normalmente só terá sintomas se o câncer crescer perto do tubo da urina (através da uretra) e pressioná-lo, mudando o modo como você urina. Mas como o câncer de próstata geralmente começa a crescer em uma parte diferente da próstata, o câncer precoce geralmente não pressiona a uretra e causa sintomas.

“Se você notar mudanças na maneira como urina, é mais provável que seja um sinal de um problema não-canceroso muito comum chamado aumento da próstata, ou outro problema de saúde. Mas ainda a melhor conduta é procurar seu médico e fazer os exames de rotina” afirma dr. Adriano Fregonesi.

Possíveis alterações incluem:
  • Dificuldade em começar a urinar ou a esvaziar a bexiga;
  • Um fluxo fraco quando você urina;
  • Uma sensação de que sua bexiga não se esvaziou adequadamente;
  • Precisar urinar com mais frequência, especialmente à noite;
  • Um desejo súbito de urinar - às vezes você pode vazar antes de ir ao banheiro.
Se o câncer de próstata irrompe da próstata (câncer de próstata localmente avançado) ou se dissemina para outras partes do corpo (câncer de próstata avançado), pode causar outros sintomas, incluindo:
  • Dor nas costas, dor no quadril ou dor na pelve;
  • Problemas para obter ou manter uma ereção;
  • Sangue na urina ou sêmen;
  • Perda de peso aparentemente sem explicação.

Esses sintomas também podem ser causados ​​por outras coisas, como prostatite (infecção e inchaço da próstata), diabetes ou alguns medicamentos.
 
E se eu não tiver nenhum sintoma?

Você pode falar com seu médico se tiver mais de 50 anos, tiver histórico familiar de câncer de próstata - mesmo que não tenha nenhum sintoma. Estes são os fatores mais comuns que podem aumentar o risco de câncer de próstata.

Esta simples informação confirma que não tem hora certa para ir ao urologista. Pasme, vencer o preconceito é uma das principais barreiras. O exame da próstata regular é muito importante. Não espere ter dores e doenças mais graves para ir ao urologista.

A recomendação da Sociedade Brasileira de Urologia-SBU, é de que o exame periódico seja realizado mesmo na ausência de sintomas.

Incidência

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma).
Em valores absolutos e considerando ambos os sexos é o quarto tipo mais comum e o segundo mais incidente entre os homens. A taxa de incidência é maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.

Mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de 3/4 dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.

Estima-se que em 2018 68.220 novos casos sejam diagnosticados (INCA).
 
Tratamento

Se você foi diagnosticado com câncer de próstata, sua equipe médica discutirá as opções de tratamento com você. É importante pesar os benefícios de cada opção de tratamento contra os possíveis riscos e efeitos colaterais.

Para a maioria dos homens diagnosticados com câncer de próstata, o câncer é encontrado enquanto ainda está em um estágio inicial - é pequeno e não se espalhou além da próstata. Esses homens geralmente têm várias opções de tratamento a considerar.

Nem todo homem com câncer de próstata precisa ser tratado imediatamente. Se você tem câncer de próstata em estágio inicial, há muitos fatores, como sua idade e estado geral de saúde, e a probabilidade de o câncer causar problemas para você considerar antes de decidir o que fazer. Você também deve pensar sobre os possíveis efeitos colaterais do tratamento e a probabilidade de incomodá-lo. Alguns homens, por exemplo, podem querer evitar possíveis efeitos colaterais, como incontinência ou problemas de ereção pelo maior tempo possível. Outros homens estão menos preocupados com os efeitos colaterais e mais preocupados em remover ou destruir o câncer.

A escolha entre as opções deve ser amplamente discutida com o médico responsável pelo o tratamento do tumor localizado e pode ser feito com cirurgia ou radioterapia.

 

Fonte: Dr. Adriano Fregonesi, urologista do Hospital Santa Elisa - Jundiaí

seta

Primeira Edição © 2011